Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

SorrisoIncógnito

Todo o sorriso é apaixonante devido ao incógnito que o ofusca! SORRIR_um estado de espírito...

23
Mai19

Há pessoas para ficar, há pessoas para ir!

Maria

87.  amizades.png

Sabemos sempre que com outras pessoas somos mais felizes. Somos ainda mais felizes que sozinhos. E dessas pessoas, as que nos acrescentam, somos parte. E fazem-nos mais felizes assim como nós também fazemos parte da felicidade deles. São aqueles a quem chamamos "os nossos". A quem queremos perto. Com quem partilhamos os melhores sorrisos e a quem socorremos para nos segurarem as lágrimas.

São essas pessoas que nunca podemos esquecer. E da mesma proporção que há pessoas que nos fazem ainda mais felizes. Há também aquelas que nos sugam a felicidade e muitas vezes nem damos conta disso.

Pessoas que já só estão "ali", sabe-se lá onde, mas que nunca estão mesmo "aqui". E que nem chegam a estar. Não se chegam a dar. Logo não chegam a ser das que acrescentam. Que dizem que são amigas mas que na realidade, ao olhares, não vês nada que o demonstre. Só estão ali a insistir que o são. Às vezes já podem ter sido muito, mas depois simplesmente deixam de o ser. 

[ Às vezes podemos ter uma peça que seja muito importante numa altura da nossa vida ficamos com ela porque na verdade faz parte. O tempo passa. E ela apenas fez parte naquela altura. Lá trás. Ficar com ela, dar-lhe um lugar de destaque só para lembrar que um dia foi importante é não dar valor a todos as outras que fazem o dia de hoje mais bonito. ]

Há pessoas que devemos deixar ir. Que o deixar ficar só estão a ocupar ideais falsos. Quando menos esperas vai haver uma atitude que te vai fazer perceber isso tão bem que te vai magoar.

Pessoas que magoam não fazem parte dos teus que estão lá para te fazer feliz. Se não estão, é deixar ir. Há tanta coisa que ao deixares ir te faz feliz que vais perceber que há pessoas que também são assim.

Não vão deixar de existir. Só não podes contar que estejam lá. Porque na verdade elas também não contam. Quanto mais cedo te libertares, mais cedo vais perceber o que te faz falta, o que realmente interessa e o que não! E que ninguém vive de metades de pessoas que querem estar em todo o lado mas na verdade não estão, principalmente do teu lado. ♡

10
Mai19

(mais) 10 Factos sobre mim

Maria

20190510_133953.jpg

 

Depois deste post de 10 factos sobre mim e depois do desafio que me fizeram no instagram, ficam mais 10:

  1.  Choro facilmente quando me enervo. Mas raramente me viram chorar, mesmo os meus.
  2.  Faço imensos filmes na minha cabeça por qualquer situação. E digo já que tenho cá uma imaginação que nem é bom. Do género um carro vem na minha direcção e quase colidimos. Na minha cabeça, em segundos, faço todo o filme de como poderia tudo ter acontecido a seguir. É cansativo.
  3. No ultimo ano cheguei a engordar quase dez quilos (poucos perdi).
  4. Uso sempre anéis. E sempre que lavo as mãos, tenho que tirar os anéis (e isso já me valeu umas peripécias pelo facto de que os pouso e não me lembro).
  5. Nunca durmo com brincos. Sejam eles grandes ou pequenos. Mas nunca saio de casa sem uns.
  6. Não consigo viajar sozinha. Já andei de avião sozinha mas tinha alguém do outro lado à espera.
  7. Sou doadora de sangue e tenho muito orgulho!
  8. Uso muitas vezes uma aliança que é como um amuleto. Foi-me oferecida por alguém que já faleceu.
  9. Já fui convidada para ir a um programa de Tv por causa do blog e recusei.
  10.  Tenho duas afilhadas, ambas filhas de amigos (devo ser boa amiga!).
05
Mai19

Mãe ❤

Maria

20190505_113911_0001.png

 

Primeiro eu, sempre eu depois tu. Primeiro eu e o mano e só depois tu. Sempre foi assim. Continua a ser assim.

Primeiro o meu sorriso depois o teu. Primeiro os teus filhos depois tu.

O primeiro prato é para os filhos, a primeira cadeira na esplanada. A primeira água na sede de ambos. A melhor carne passada, o ovo com melhor gema, o salmão melhor grelhado. A melhor parte na sopa. As costelas do anho. As coxas do frango. A primeira colher do arroz de cabidela para sair aguado ainda que tu fiques com o mais seco.

Sempre nós, depois tu.

Sempre foi assim, cresci assim e ainda hoje é igual. Nada a fazer. Está em ti. Esse amor maior por nós. Teus filhos. E eu quero poder sempre retribuir-te aquilo que me és. Mesmo nas nossas birras, no meu não querer dar o braço a torcer no teres sempre razão. Quero poder ser o teu melhor. Tu és o meu melhor na vida. O meu tudo. O meu sentido. O que me fez ser hoje quem sou. O melhor exemplo que podia ter. Oh Mãe, como tu és grande. Nunca te dás o valor devido nem imaginas o valor que tens. Mas tu és tanto e eu faço questão de te provar isso sempre que possa. Cada vez mais. Isto não fazia sentido se assim não fosse. Obrigada por estares sempre ali a meu lado, nas alegrias, nas tristezas, quando caio e principalmente quando os joelhos doem da queda e tu me dás a mão e dizes, "és mais que isso".

Tu sabes que estou sempre contigo, que faço o que posso para te ver o melhor possível. E nestes dias de coração apertado que temos passado, tens sempre a minha mão para sentires que tudo vai correr bem! 

Juntas somos tanto, porque tenho a sorte de te ter na vida. Obrigada. Obrigada por tudo. 

Um feliz dia MÃE!! Amo-te! 

Um beijinho a todas as mães. Um especial à minha Mãe ♥

01
Mai19

Quando apontamos um dedo temos os outros apontados a nós!

Maria

Acho que esta é uma daquelas lutas que há partida estão perdidas.

Mas que eu não desisto e que continuo a passar a palavra.

No ano passado quando estive em Fátima, cheguei nos meus "pedidos" a mencionar isto mesmo, julgar menos. Ser uma pessoa melhor. Porque estou a aprender todos os dias a fazê-lo.

Não é um processo fácil. Há sempre tendências e hábitos que ficam enraizados. Não que andasse por aí a julgar quem quer que seja. Que nunca fui muito disso. Sempre me ensianaram a não o fazer. E eu acho que tenho dado bem conta do recado. Mas já houve situações que o fiz sim. E aprendi com esses erros. Julgar o outro é fazer de nós pessoas de menos quando o julgamento é um dado adquirido sem factos e sem motivos mais que óbvios. Baseados numa primeira impressão. Num "diz que disse". Numa base de "concordar com a onda". Que grande erro!

Devemos julgar menos e perceber mais que cada um tem a sua história que nunca vamos saber razões e não encontramos todas as respostas. Julgar menos quem tem uma opinião diferente da nossa. Julgar menos a vida de outra pessoa porque desconhecemos o que a move.

Todos nós erramos na vida. Vezes sem conta. E o erro de uma pessoa hoje, pode ser o teu amanhã ou já o teres cometido. E qual a nossa moral para julgar?

O julgamento traz energias negativas. Fecha relacionamentos. Não te acrescenta. De cada vez que estiveres a um passo de o fazer lembra-te:

FB_IMG_1556058495306.jpg

Que este seja um mês sem julgamentos.  De energias positivas.  E de esperança! 🙏❤

19
Abr19

O resto da tua vida

Maria

 

"Este País é dos Sacanas"

Quem o disse foi a tia Dulce do Carlos Coutinho Vilhena, segundo ele próprio diz.

Partimos por aí. Eu já tinha micado umas coisas do Carlos, mas não sou fã e nem posso dizer que conheço o seu trabalho. De todo. E fiquei a conhecer isto quando um amigo meu me disse "tens que ver isto e acho que vais gostar". Contou-me por alto e aguçou-me a curiosidade. Tive que ver. O como gostei do que vi partilho.

Gosto de histórias reais. Gosto de partilhas deste género. A vida não é cor-de-rosa. A de ninguém. E talvez por isso explique, tantas e tantas vezes, o nosso completo espanto quando alguém muito famoso acaba com a vida.

Nós nunca sabemos o que lá vai dentro. Da vida de cada um. E isso é o que torna isto interessante. Estes documentários reais são um novelo de lã no qual nem sempre podemos imaginar a obra que dão. E isto merece ser partilhado. Primeiro pela história do João André, mais conhecido pelo Kiko dos Morangos com Açúcar mas que é o João. Aquele nome que não diz nada a quem só lhe conhece o rosto. Mas há vida para além do que se vê.

E há actores que por muitas personagens que fazem  e pelo sucesso que alcançam ficam, o seu verdadeiro nome é que é conhecido. Outros há que ficam perdidas numa personagem meia eterna a muitos...

O Carlos teve sentido, no que há partida, pelo seu ponto humorístico passaria pelo "gozo" de "aquele tipo dos morangos, o Kiko, agora é entregador de pizzas?" ao "este tipo é o João André". E isto merece ser visto

Hoje é o primeiro dia, do resto da tua vida!

Capítulo I _ a descoberta:

Capítulo II _ o passado

Continua e acredito que depois de verem estão tão curiosos quanto eu.

A vida real é isto. E pode acontecer a qualquer um de nós.

O importante é não desistir.  É o desenrascar. Não deixar de ser quem são. Ser humildes. Seguir os sonhos nem que seja por outros caminhos. E o acreditar que o melhor está para vir.

03
Abr19

O manter o foco...

Maria

Março foi esquisito. Tirou-me a vontade de escrever. Mais que isso. De partilhar. Tirou-me muita vontade. Como ao mesmo tempo sinto uma vontade de desabafar tudo e mais alguma coisa. Mas não consigo.

Quando criei o blog o intuito era esse mesmo partilhar para além dos diários que já fazia e das folhas de word que enchia com desabafos e pontos a lembrar. Foi também para aprender a partilhar. Como se a contar a terceiros. A saber falar com outros. Sempre fui reservada. Difícil de desabafar. Difícil de desabar. Mas humana, e por isso mesmo faço tudo numa introspectiva muito minha. 

Houve alturas que o blog ajudou-me imenso. Grupos que se criaram. Pessoas que foram muito ombro. Alturas em que consegui desabafar. Falar e partilhar aquelas dores, os medos, a ansiedade e as opções tomadas. Houve alturas que foi aqui que tudo se resolveu. Comigo mesma, mas fora de mim.

Estou novamente naquela fase que preciso tornar a aprender. A partilhar. A desabafar. Porque isto nem sempre é sorrisos. Mas continuo no lema que os meus sorrisos é que têm que ser partilhados porque as mágoas ninguém tem nada a ver com isso.

Ora, Março foi esquisito. Teve abanões. E trouxe medos. Positividade sempre ali a piscar o olho, mas medos. Que me tiraram vontades. Mas traz esperança. E figas certo?! Boas energias.

Tenho andado a mil. Cansada que não me lembro. Problemas atrás de problemas e preocupações. Muito trabalho, que cansa mas ajuda muito a manter a cabeça ocupada. O que importa é o foco.

E o foco em que tudo vai correr bem ninguém mo tira. É isso.

Abril estamos juntos!

08
Mar19

Que longo caminho temos a caminhar, Mulheres!

Maria

 

O dia de hoje, continua a fazer sentido enquanto houver mulheres, que por o serem, sentem descriminação na pele. E teremos que lutar toda uma vida contra isso. E é nesse sentido que merece ser lembrado. Conhecemos sempre alguém que já sofreu violência, se nós próprias não sofremos. Conhecemos todos os dias histórias de violência domestica que infelizmente só têm aumentado, levando já a 13 mortes só este ano. É preciso lembrar este dia, enquanto houver homens que se acham donos de mulheres com poderes de lhes fazer o que bem lhes apetece para bem do seu ego. É uma luta velha, é uma luta sofrida, é uma luta diária, é uma luta que precisa de todas nós. Juntas, numa causa.

Mais que sentir o pipi aos saltos por ter um jantar logo marcado com outras mulheres(que não tenho), para receber uma flor, é sentir o poder de lutar pela igualdade das mulheres, fazer sentido o nos juntarmos para ouvir, ajudar e partilhar historias e ideias.

Continuamos a travar desigualdades nos postos de trabalho, nas relações, nos bitaites, nas religiões, nas diferentes culturas, nos diferentes países.

Continuam a haver mulheres a serem descriminadas por serem isso mesmo, mulheres. Um ser humano que sofre na pele. Mutilações, leis que ridicularizam e rebaixam o ser mulher. Violações. Desigualdade salarial. Mulheres que vivem apenas e só para servirem os homens. Que são proibidas de trabalhar. De conduzir. De saírem à rua de cara descoberta. Continuam a haver mulheres que ao se queixarem de violência recebem como resposta a normalidade de um "também apanhei muito". Continuam a haver mulheres em meios pequenos que não se lamentam com medo de repudiações. De serem todos conhecidos. Do homem ser amigo do polícia que vai receber a queixa de violência.

Se olharmos à nossa volta, temos ou não temos um longo caminho para desbravar?

Que tenhamos sempre coragem de lutar por nos orgulharmos de sermos mulheres. E de ajudar outras mulheres.

Mais que comemorar, é um dia para reflectir!

Sobre mim

foto do autor

Expressões à moda das “tripas” do Porto!

Espreitem Como eu Blog

Sigam-me

<>

INSTAGRAM

<>

<>

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sorriso desde 11/02/09

<>

<>

Twita-me

<>

<>

Pesquisar

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D