Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

SorrisoIncógnito

Todo o sorriso é apaixonante devido ao incógnito que o ofusca! SORRIR_um estado de espírito...

11
Dez20

O amor é um lugar estranho. E fofido!

Maria

IMG_20201211_092734_345.jpg

às vezes temos mesmo que parar e puxar pela razão e olhar

ver o sentido

perceber que se calhar o caminho não é aquele

na verdade, pode não existir ali um só, um nós

e percebemos que não éramos um, éramos dois, cheios de caminhos para percorrer e metas para atingir diferentes, logo sozinhos...

perceber que o caminho não será junto é difícil

mas olhar sem o coração às vezes é mesmo preciso para não toldar a realidade aos nossos olhos

será sempre difícil, mas [um dia] vais conseguir olhar para trás e perceber

sem mágoa

que é o que tinha de ser!

e está tudo certo [ ♥ ]

02
Dez20

"É Natal sempre que damos aos outros o amor que temos pelos nossos"

Maria

"É Natal sempre que damos aos outros o amor que temos pelos nossos.

Foi o que tanto e tão bem fizeram, neste ano de 2020, os profissionais de saúde, dos transportes, do comércio e da restauração, bem como as forças de segurança, os bombeiros, os professores e muitos outros na sua missão de levar esperança e conforto a cada um de nós. Esta é a nossa homenagem a todos eles."

 

Das publicidades com lições dentro. Que vídeo bonito.

17
Set20

Este país não é para velhos - o tanas!

Maria

[imagem retirada da internet]

Eu tenho uma ligação muito grande com a minha família. Sou muito família. Os meus são[-me] tudo e não é cliché.

Cheguei a não perceber porque as famílias não se dão. Porque não se falam. Porque embirram. Porque não convivem. Não é que agora não perceba. Mas o sangue não é tudo, assim como o amor. Tive que entender que podemos ter o mesmo sangue a correr nas veias mas somos pessoas diferentes, pensamos diferente, queremos diferente e deixamos muitas vezes as divergências quebrarem a ligação... outras vezes são após terceiros aparecerem que as ligações se fragilizam.

Mas no meio disto tudo, não sei se pelos valores que me passaram, se pelos ensinamentos que tive, se por infelizmente só ter conhecido uma avó e sentir que me faltou conhecer os outros... no meio disto tudo eu prezo muito a família. Os momentos em família. As conversas, as partilhas, as experiências que nunca vamos ter na vida. Os conhecimentos, as lendas, o antigamente...

Quando olho para o lado, talvez para outros com a minha idade, ou mais novos, não vejo isso. Não levam a família assim "tão a sério" e as ligações perdem-se... principalmente com os mais velhos.

Não sei se o facto de estar solteira influenciou, mas acho mesmo que não, sempre fui família e prezei muito as ligações familiares, mesmo quando estou acompanhada.

Gosto imenso de quando se juntam e não me importa de ouvir contar certas histórias repetidamente. A velhice traz isso, do esquecer o que já se disse, do querer partilhar o que marcou, do querer lembrar o que já lá vai há muito. Nós lá chegaremos. E sinceramente acho que seremos pessoas mais solitárias que os velhos do nosso país neste momento, porque infelizmente cada vez mais eles são descartáveis porque o ser humano está mais egoísta e só pensa naquele que se move à volta do seu umbigo... um dia vai sentir-se na pele o que é ser-se velho e os olhares de "empata" que certas pessoas mandam.

Um dia destes, em família, ouvia uma história de há mais de uns cinquenta anos, de uma história de amor que não acabou, mas que passou para outro plano visto que infelizmente uma das pessoas já faleceu e perdi-me enquanto a ouvia...

Hoje ama-se menos, com menos respeito, com mais inseguranças e com menos valores. Com muitas expectativas em pouco empenho. Numa experiência que é viver muito o hoje, em que não se investe, não se trabalha no outro, em que o desistir é mais fácil.

Eu visito muito os meus tios e não visito mais a minha família porque a vida é assim... mas enriquece-me o tempo com eles. Gosto imenso de os fazer sorrir. De ser a palhaça com eles como sou com a minha afilhada de três anos. De lhes dar a minha companhia, de os abraçar (e como agora sinto essa falta) de os ver em pleno quando reunidos.Gosto muito da família que me calhou. E quando eles me agradecem por aparecer, sou eu que fico agradecida por ainda os ter e por os ver numa luta que é geral aos nossos idosos - a incerteza do amanhã, a conquista de um lugar bonito na vida de outros, o carinho, agradecimento e compreensão.

Este país é deles, antes de ser nosso.

01
Jul20

Julho!

Maria

JULHO.png

 

Começamos hoje o primeiro dia da segunda parte do ano. A primeira metade do ano está feita. E que ano!

Ninguém, de todo, nem pouco nem mais ou menos imaginaria este ano assim. Podemos ter perspectivas melhores, ou menos boas de um ano, mas isto que aconteceu estaria longe do plano imaginário de qualquer um. E afectou-nos a todos. Cada um à sua maneira. Mas esta foi uma situação à qual ninguém passou ao lado, a ninguém foi indiferente. Estamos todos na mesma tempestade, mas não estamos no mesmo barco. Ponto.

Este ano não escrevi resoluções. Não escrevi planos. Nesta nova década quis entrar a querer que isto resultasse de alguma maneira, apostando dia a dia em ser feliz, sem pressões de querer isto e aquilo.

Ainda em Dezembro passado, no ultimo dia do ano, escrevi que para 2020:

(...) Ser simpáticos e guardar o mau humor nos lençóis antes mesmo de sair da cama. O Mundo lá fora não tem que levar por tabela dos nossos problemas. Apreciar o arco íris. (...)

longe de mim, mesmo muito longe, estava pensar que nunca na vida apreciei tanto o arco íris como neste 2020 associado ao símbolo "vai ficar tudo bem".

No primeiro dia do ano escrevi:

Recomeço. Janeiro é sim de recomeço. Este 2020, uma nova década. 366 novas oportunidades de ser mais e melhor. Boa sorte nisso. Janeiro sê bom ♡

renovem energias, transbordem o coração de esperança, aproveitem cada nova oportunidade,estejam com quem vos acrescenta, sintam as coisas, vivam de maneira a que o vosso coração seja o maior.

Para este novo meio ano, não mudo uma palavra. Que Julho seja outro recomeço. Que não esmoreça em nós a gratidão do árduo trabalho que tem sido feito até agora. Que não seja altura de baixar a guarda por completo, temos que o fazer com precaução. Mas que todo este novo processo de adaptação, dia a dia, seja feito com a maior coragem e esperança em dias melhores. Em acreditar que vai tudo ficar melhor. E a tentar sermos mesmo melhores pessoas. Cada um tem que fazer a sua parte.

Eu gostava de dizer que, em plena pandemia pensei mesmo que voltaríamos pessoas mais capazes, resilientes e melhores. Alguns voltaram é certo. Mas nem todos. Há ainda um grande processo a ser feito em pessoas que têm um umbigo proporcional ao mundo. Mas esquecem que o importante era ter um coração proporcional ao melhor deste Mundo.

Sejam felizes. Mas cuidem-se. 

23
Jun20

Da vida...

Maria

IMG_20200623_005021_659.jpg

 

No entretanto que a vida nos dá, vive. Mas vive apaixonada/o por algo que te dê sentido. Para que valha a pena. Para que haja mais respostas que perguntas. Para que o sorriso possa ser transparente. Para que te faça sentido. E lembra-te. Isto faz todo o sentido. Rodeia-te de quem saberá estar lá a lembrar-te dia após dia que isto é do caraças e vale a pena. Mas acima de tudo, procura a cada dia a tua energia positiva para que seja essa energia a trazer-te sempre o sentido. Em cada momento. Único e fugaz. Sempre ❤💛💚💙

26
Mai20

O Amor é um lugar incrivelmente estranho. Mas bom!

Maria

IMG_20200526_102734_388.jpg

Às vezes já não é a pessoa que te faz falta. Se conseguires olhar com o coração em sentido vais perceber que, é aquele sentimento que te faz falta. São "as borboletas" na barriga, são o respirar fundo e sentir aquela paz, é o acreditar naquele sentimento que ali se construiu. É sentir falta de se sentir feliz só porque sim, de querer fazer aquilo mas com alguém do lado, é querer partilhar até as coisas mais parvas... e por falar em parvoíce, é sê-lo com aquela insanidade típica de dois seres em um só.

Às vezes já não é daquela pessoa que tu sentes falta, é do que ela te fez sentir, mas que tens que lembrar que o poderás voltar a sentir. Aquele sentimento mas com outro alguém  ♥

Sobre mim

foto do autor

Espreitem Como eu Blog

Expressões à moda das “tripas” do Porto!

Sigam-me

<>

<>

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Twita-me

<>

<>

Pesquisar

Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

subscrever feeds