Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

SorrisoIncógnito

Todo o sorriso é apaixonante devido ao incógnito que o ofusca! SORRIR_um estado de espírito...

09
Out19

Maria quatro. Texuga zero.

Maria

Passou mais um mês, logo quatro meses do dia em que disse #MariaTexuga tem lá calma!

IMG_20191009_152724_935.jpg

 

Bem, parece que estagnou ali e não difere muito. Por isso é que a luta para não descambar parece que está ainda mais forte. Mas temos que manter o foco. E sei que, enquanto não quiser ser tão radical, enquanto quiser continuar a comer porcarias e coisas que tais, vamos andar ali  sem grandes oscilações.

Mas o que é me é importante é não aumentar. Não voltar a ganhar tanto peso. E lutar todos os dias contra aquele apetite de comer muito e principalmente a horas impróprias.

Como podem ver pelo título é mais um mês positivo. Positivo é não aumentar por isso descer apenas mais umas gramas já valeu! Pesagem no primeiro dia do mês e perdi 600 gramas! Seiscentas gramas face ao mês anterior, e por isso, o balanço destes quatro meses, é de 5,4Kg face ao primeiro dia que decidi ir no foco, 1 de Junho.

Não atingi ainda o que queria, mas não pus uma meta em termos de tempo. Para muitos pode não ser nada em quatro meses, mas para mim já é muito bom.

Sendo que, a minha dieta não passa por seguir um regime diário e ter um único dia de asneira. Não passa por não comer de todo porcarias, fast food, fritos, doces... Não passa por não beber um vinho, uma cerveja ou uma cola se me apetecer. Não passa por comer papas de aveia, farelos, iogurtes magros naturais, cenas prozis ou outras coisas que tais que nem estou inteirada do que seja.

A minha dieta continua a mesma do início. Tentar reduzir apenas a quantidade de comida que comia. Mas quando me apetece como o que quiser e repito o prato se assim for o desejo. Não me martirizo. Não. Nada disso. A vida é muita curta para não ter um dos meus maiores prazeres que é comer.

Quando me apetece ir à pizza, vou. Quando me apetece ir à francesinha, vou. Quando apetece repetir a cabidela, não penso duas vezes. Continuo a juntar arroz com batata e carne vermelha porque gosto. Continuo a comer batatas fritas de vez em quando. Os iogurtes continuam a ser gregos ou cremosos com pedaços. Continuo a comer queijo todos os dias e não é magro. E não aboli totalmente o pão da minha vida.

Prefiro pensar que aos poucos, com o peso e o volume que já consegui perder voltei a vestir roupa que no início do verão começar, não servia. Voltei a usar os calções que tanto gosto de usar no verão e que já vinham de outros Verões. Voltei a vestir calças que não usava há dois anos. Porque não serviam mesmo. E vestidos. E na fotografia podem ver-me com os calções de ganga que comprei já este ano em Maio, a pensar que não tinha calções para usar no verão e quando cheguei ao verão usei-os pouco porque já ficam largos e já os consigo tirar quase sem desaperta-los.

O balanço é positivo, mas agora devia pensar em reduzir mais alguma coisa, ou fazer mais exercício físico. E isso já são outros quinhentos que não sei se vou seguir. A ver vamos.

Mais um mês, vamos a isso. Quem continua no foco, mesmo agora que o verão já se foi?

10
Set19

Maria três. Texuga zero.

Maria

90. comida.png

 

Passou mais um mês, logo três meses do dia em que disse #MariaTexuga tem lá calma!

E que mês!

Agosto foi um mês difícil. Só em termos de números da balança. Mas mesmo difícil. Acho que foram mais os dias de asneira que os dias em que consegui seguir o meu foco de tentar comer menos. Houve festas. Férias. Jantaradas. Muitas à mesa com a família. Muitos reencontros em almoços e lanches. Muitos petiscos aqui e ali. E mais festas. E mais reencontros e mais férias. 

Confesso que até eu deixei de acreditar em mim ali a meio do mês.

Nas férias, como referi no post anterior, comi muito e muito bem e quando cheguei a casa e me pesei, foi um alívio. Não tinha aumentado o peso. Não sei bem o que aconteceu, mas nas férias tudo funcionou muito bem e também fiz bem as minhas caminhadas a pé. Deve ter sido por isso que valeu. Porque a boa vida foi muita e temi pelo pior.

Como podem ver pelo título é mais um mês positivo. Positivo é não aumentar por isso descer apenas umas gramas já valeu! Desci 200 gramas! Duzentas gramas face ao mês anterior, quatro quilos e oitocentos face ao primeiro dia que decidi ir no foco, 1 de Junho.

A sorte de não ter aumentado é que no início do mês, antes das férias principalmente, tinha baixado mais o peso e então depois quando ganhei, não aumentei o suficiente para ultrapassar o peso do mês passado. Mas anda ali rés-bés Campo de Ourique e prevejo tempos difíceis. Tenho tornado a repetir cada vez mais o prato. Logo a comer mais quantidade. E depois as caminhadas, tirando quando estava de férias e tinha que as fazer para ir à praia, foram nulas este mês. Fui a apenas duas aulas, sendo que, só tenho aula/treino uma vez por semana e estive duas semanas de férias, não fiz mais. Em casa, também durante todo o mês, não fiz exercício. Não usei nenhuma aplicação mesmo que ela me lembre quase todos os dias que tenho que fazer exercício. Um caos como percebem.

Comi muita porcaria, porque fui mais umas quantas vezes ao Mac e fui à pizza. Comi fritos, bolos, doces, gelados, comi muito bolo do alto torrado com manteiga. Comi muitos assados. Bebi álcool. Comi gelados.

Ainda assim, não aumentei do peso do mês passado. Mas agora que voltei mais ao menos à rotina, espero que este mês me traga mais resultados, se bem que, como anteriormente já disse, acho que cada vez fica mais difícil de perder peso.

Mais um mês, vamos a isso. Quem está no foco?

29
Ago19

O querer ser ainda mais que aquilo que se é, tolda-nos...

Maria

Só ontem à noite é que vi a notícia do Ângelo Rodrigues 

 


Primeiro apetece-me reagir como se de um amigo se tratasse. Tipo "meu estupor de merda como te foste meter nessas cenas pá!". Era exactamente isto que eu diria a quem quero bem.

Não condenando totalmente porque todos cometemos erros na vida com as nossas escolhas. E as consequências seremos nós a ter que lidar com elas. Mas ter como consequência o estar ali na corda bamba é do car@lho! Porra. E custa-me, saber que estamos numa era em que a beleza, a perfeição o ser ainda mais que aquilo que se é, tolda-nos e leva-nos a querer sempre um bocadinho mais. Seja para outros ver, seja para nós. Espero que seja só um GRANDE susto. Que este miúdo (que já era bonito antes daquela armadura toda) tem muito para dar ainda.

Mas que seja um abre olhos.

Vai na fé e que te safes dessa! 

09
Ago19

Maria dois. Texuga zero.

Maria

90. comida.png

 

Passou mais um mês (e uns dias que me atrasei a publicar este post), logo dois meses do dia em que disse #MariaTexuga tem lá calma!

Primeiro trago as notícias das análises da tiróide. Baixaram (ainda que não para os valores normais) ao tomar a medicação nestes oito meses, logo a conclusão que tiro, ainda sem ter feito a eco, é que provavelmente terei que continuar a tomar todos os dias aquele comprimido em jejum. Mas ainda falta fazer a eco e ir ao médico. Mas já fico satisfeita por terem baixado os valores e também os do colesterol. Acredito que a "dieta" também vá ajudando.

Balanços?

Como podem ver pelo título é mais um mês com balanço positivo. Mas quando pensei que o difícil era começar agora estou com dúvidas. É que o tempo vai passando e cada vez sinto mais falta e vontade daqueles pratos tão cheios de tudo e mais alguma coisa que adoro morfar.

Tenho tentado não pensar muito em comida mas se, já antes por vezes sonhava com ela, agora o cenário não melhorou em nada.

Acabo por achar que no principio foi mais fácil afinal, mas de qualquer maneira continuo a não me negar a entregar a algumas coisas.

Tenho a noção que tenho sido bem forte quanto a não cair na tentação de não repetir o prato (menos ontem que foi cabidela e é impossível não repetir a cabidela que a minha mãe faz!). De comer menos arroz e massas à noite. De evitar mais que um pão por dia. Molhos. De não fazer a visita ao frigorífico ou aos armários antes de me deitar.  Batatas fritas. E fritos no geral. Cones de milho que tenho lá em casa e ainda vão passar a validade. Não comprar pizzas congeladas, ou lasanhas ou coisas do génro. Fáceis de cair em tentação. Tenho tentado.

Mas depois ainda não consigo resistir de vez em quando. Por exemplo, neste mês, fiz muitas almoçaradas aos domingos de assados no forno a lenha o que me faz perder a noção de um prato já que não consigo resistir. Fui ao mac. Acabei na ultima semana do mês por ir comer uma francesinha e já comecei este mês a ir à pizzaria. Não tem sido um dia de asneira por semana, o balanço ainda diz que tem sido mais.

Mas não me martirizo por isso. Confesso!

As caminhadas continuam mas com muitas mais falhas que o primeiro mês. Tenho sempre essa noção quando espreito a aplicação da samsung health e vejo o caos. No treino semanal à quarta não faltei nenhum dia no mês de Julho! E fiz dois ou três treinos em casa, segundo outra aplicação que tenho no tablet. Uma miséria, mas vá.

Dizer com isto que, neste ultimo mês, Julho, emagreci mais dois quilos (4,5kg no total). Bem bom para a miséria de "dieta" que sigo. Cada vez me sinto melhor, porque não ando tão inchada. Consegui reduzir volume na zona da barriga. E continuo a achar que vou ganhando mais firmeza nas pernas. Já consigo que alguns calções do ano passado passem a coxa e já consegui vestir uma ou outra calça que já não apertava.

Balanço mais que positivo, porque acho que fica mais difícil de perder peso agora. E com tantos descuidos e falhanços no foco. Mas a gente tenta.

Veremos para o próximo mês, mas estou menos confiante, visto que entro hoje de férias e costuma ser o caos instalado. Engordo sempre. O ano passado passou os dois quilos em quinze dias. Mas eu tenho fé nesta #MariaTexuga.

Mas se uma #MariaTexuga consegue, todos conseguem.

Comer menos quantidade. Aplicações de telemóvel para motivarem a fazer exercício. Evitar tantas porcarias. E exercício físico umas vezes por semana (e rezar aos santinhos que a tiróide dê tréguas).

Estão no foco? Partilham dicas? 

06
Jul19

O dia que disse - Maria Texuga tem lá calma!

Maria

Comida

 

Foi mais ao menos há um mês que resolvi que isto não dá para estar sempre a alargar. Coincidiu com a mudança de guarda roupa e o aperceber-me que muita roupa do ano passado não me serve. Grande merd@ até porque gosto sempre da minha roupa e tenho calções tão giros que não passam a coxa. E aquilo além daquele murro no estômago deu-me um click. Eu já sabia dos quilos a mais. Aliás já aqui referi que desde o fim de 2017 engordei quase dez quilos. Coisa pouco o tanas! Mas o ano passado, depois de ir ao médico e contar este aumento, andei em "teste" (e a fazer medicação) a ver se é da tiróide que anda a fazer estragos. Passado meio ano vou fazer os exames a ver se já se encontra controlada para parar de ocupar cada vez mais espaço. Engraçado, fui esta semana à consulta e a primeira coisa que o médico me perguntou foi mesmo o "continuas a engordar?" olhando para mim "é que não parece nada". A ver vamos. Mas adiante que vim trazer novidades. Boas. Na esperança de ajudar com a partilha. E para me dar força a continuar.

Quem me conhece e me segue sabe que, nas veias corre-me este gosto e prazer pela comida. Por enfardar este mundo e aquele por estar sempre aparentemente larpada de fome. Nada mudou. Mas sempre fui daquelas que comia tudo e mais alguma coisa e o prato dos outros e não engordava nada. Nada. Mas depois que essa tiróide apareceu já não é bem assim. Quando anda controlada tudo muito bem, quando se descontrola é o Deus me acuda. E fecha a matraca.

Dietas nunca foi algo que procurei. Nunca fui a um nutricionista mas também nunca fiz uma busca desenfreada pela net à procura do milagre de atacar em três tempos aqueles quilos a mais.

No dia um de Junho, pesei-me e não gostei mesmo nada do que vi. Nesse mesmo dia que nada me servia e tive que pôr de lado as peças que tanto queria usar este verão (e vou usar!). 

Pesei-me e lá estavam os dez quilos a mais. O chegar aquele peso que nunca na vida lá estive perto sequer. E aquilo mói. Não deixei de dormir por causa disso (já por não comer não digo o mesmo), mas ficou-me atravessado. Tinha começado as minhas caminhadas, mas a falhar como as notas de quinhentos.

Então foi o basta.

Pensei em ir ao nutricionista. Mas eu sou daquele tipo que, se me dizem para não fazer isto eu não paro de pensar nisso. E em termos de comida devo ser o alvo mais fraco à face da terra.

Resolvi que tinha que fazer o meu caminho. Pois bem, comer menos claro. Mas não seguindo uma dieta específica, fiz a minha própria. Não abusar de um prato. Não repetir, coisa que fazia quase sempre. Comer mais saladas. Não me empanturrar até cair ao sofá a dizer ai Maria que estou que nem me sinto. Reduzir às doses de arroz que adoro, reduzir às doses de massa que comia até se fosse preciso ao pequeno almoço porque gosto mesmo muito. Reduzir às batatas. Reduzir aos fritos e até tenho sonhado com rissóis de camarão. Reduzir ao jantar. Sim o meu mal sempre foi o jantar. Ao almoço nem como exagerado (se não for a casa) mas ao jantar abusava mesmo. Parar com o hábito de comer antes de me deitar. Bolachas de chocolate continuam ali abertas e tenho evitado tocar numa. Há um mês que ando nisto.

Tenho treino às quartas-feiras e tenho tentado não faltar. Mas já falhei.

Resolvi caminhar quase todos os dias na semana (esquece fim-de-semana). Faço um passo acelerado entre os dois quilómetros e meio três. A um ritmo que já estou habituada. E tenho a preciosa ajuda da aplicação do telemóvel "Samsung Health" que  me grava o quanto ando e isso ajuda. É motivadora, porque para além de te dar a noção do que andaste a fazer, dá-te aquele "beliscão" de querer fazer mais.

Em trinta minutos tenho uma média de 2.7km. Não é muito, mas é o querer fazer sempre igual ou mais. Isto em caminhada porque correr não posso. E passa rápido e faz bem. Sinto-me mais leve à noite. Todos os dias um bocadinho ajuda.

Dizer com isto que, num mês emagreci dois quilos e meio. Não é muito, mas emagreci. E já sinto as pernas a ganhar firmeza. Sinto-me menos inchada. E acho que foi a parte mais difícil - o começar.

Num mês que tive semanas de ir na mesma semana ao Mac duas vezes, há pizza hut e aos cachorros com molho de francesinha. Às jantaradas de cabidela e aos bolos que me trazem para o trabalho. Todos os dias como pelo menos um pão. Continuo a comprar iogurtes gregos. E quase todos os dias me oferecem croissants quentinhos pela manhã e nem sempre consigo resistir. Sim, ainda não consegui controlar não comer porcarias. Nem acho que vá chegar a esse ponto porque adoro-as (e agradeço todos os dias morar bem longe de uma pizza hut). Mas é motivador. E o importante é manter o foco. 

Eu passo todo o dia sentada. Mais uma coisa que não ajuda. Mas se uma #MariaTexuga consegue, todos conseguem.

Comer menos quantidade. Aplicações de telemóvel para motivarem a fazer exercício. E exercício físico umas vezes por semana (e rezar aos santinhos que a tiróide dê tréguas).

Partilham dicas?

30
Mai19

Desde pequenina a cruzar os dedos e a pedir às estrelas ☆

Maria

IMG_20190530_083451_548.jpg

 

Quando estamos à espera de notícias tão importantes, podemos ser as pessoas mais positivas do mundo, que dias há temos todos os medos e mais alguns. Os dias parece que nunca mais passam. As horas na cama são uma eternidade. Desabafamos com quem conseguimos, mas sempre pouco do que deveríamos fazer. E parece que mesmo não querendo, a nossa vida fica ali meio que em suspenso. Numa corda bamba em que a possibilidade em te conseguires equilibrar está em pé de igualdade com a possibilidade de te destrambelhares toda por ali abaixo. Eu não sou das que pensa que as coisas só acontecem aos outros, mas na verdade, enquanto nada nos toca (ou aos nossos) tudo é um mar de rosas e a gente nem dá conta, às vezes. Já quando chega um safanão, ficamos ali rés-bés campo de Ourique com a certeza que vai ali existir um ponto de viragem, que (esperamos) seja para o bem. Por nós, ou pelos nossos!

Nunca fui muito negativa. Tento sempre ver o lado bom das coisas e protejo-me com o melhor que sei que tenho, a fé na pessoa que procuro ser e no que acredito que se Deus quiser é o que terá que ser. Para mim e para os meus. Acho que já aqui o disse que o que mais peço é sempre para me tornar uma pessoa melhor. E acredito que é daí que me vem o ser positiva, o ter esperança, o tentar encontrar sempre um sorrio por muito que ele não esteja lá, nem perto.

Hoje foi um dia de viragem importante. E positivo. Com notícias boas. Que me deixou quase sem respirar (e eu que já estive no hospital esta semana porque estou com mais uma infecção na garganta, quem me segue no facebook sabe que fiquei afónica uns dias) até ouvir "as notícias são boas" e tudo voltou ao sítio até o pipi que andava em incontinência por causa do nervoso miudinho. Não é só a nossa história, mas a história dos nossos que faz parte da nossa.

Obrigada a todos que enviaram energias positivas e que foram no meu pedido de "fingers crossed". Valeu bem a pena (e que me volte a inspiração para este cantinho que tenho andado afastada).

Graç'à Deus está tudo bem. ☆ 

30
Nov18

O que tem em comum carneirinhos, cosméticos e candy crush?

Maria

Insonias claro. E já ca faltava uma crise de insónias.

Quando eu penso que elas realmente se foram, elas acenam e dão o beijo no ombro das invejosas - no meu claro - que só queria que elas fossem para o raio que as parta.

Quem dorme bem provavelmente não entende isto. E não sabe, também provavelmente, a sorte que tem.

Eu não sou a melhor amante do sono, mas assim como toda a gente preciso. Para o bem da minha sanidade mental, do meu bem estar, da minha capacidade no trabalho, para a minha pele, para bem dos que me rodeiam e para não me apetecer a cada cinco minutos me atirar para o chão só naquela de deixar estar quietinha. Preciso de dormir bem. Mesmo no pouco que acho que durmo na maioria das vezes. Mas quando esse pouco é bom, basta. Depois vêm as insónias e baralham esta merda toda cá dentro.

Acordei por volta das quatro e fiquei durante alguns minutos a fechar bem os olhinhos a ver se a coisa se dava de voltar a adormecer mas nada. Fiz todos os malabarismos possíveis,  virei-me para o lado esquerdo para o lado direito, barriga para cima, barriga para baixo e nada. Tudo na mesma linha já que o quarto estava completamente escuro devido a ter fechado muito bem a persiana. Foram uns longos minutos até decidir ir ao wc, não fosse o corpo ter despertado para ir fazer um chichizinho mas o cérebro não ter associado as coisas. Deitei-me e após mais uns longos minutos comecei logo a ver que estava fresca demais para quem vai deitar pro lado e adormecer. Peguei no telemóvel vi novidades ou apenas constatei que estava tudo normalmente a dormir aquela hora. Joguei candy crush, mas aquilo só tem cinco vidas e elas foram-se num instante até que tive que contar carneirinhos. E quando recuperei vidas no candy crush voltei à carga. Voltei a desligar tudo e a olhar pro tecto. E comecei a ouvir a chuva a cair cá fora. E eu sem dormir. E de repente eram cinco e tal e voltei a repetir os processos e nada. Até que, pelas seis e meia da manhã olhei para as horas a última vez antes de aterrar. Às oito estava acordada. Mas em modo lento lentinho. O que me fez sair de casa quase à hora que devia estar a entrar no trabalho (valha-me as horas extras servirem para alguma coisa).

Não estou mal disposta, mas esta noite dormi cerca de quatro horas. E isso explica este modo bem disposto zombie que me encontro. Na verdade não me sinto fresca como uma alface do Lidl, mas sinto que estando na prateleira dos frescos as aparências enganavam. Na verdade por fora a coisa até se dá, a maravilha dos cosméticos, no caso a base ajudou, mas por dentro sinto que estou em cacos, com os astros desalinhados e com o tico e o teco a falar línguas diferentes. Uma balbúrdia portanto.

Ora eis que hoje foi dia de Sr. Doutor e acabei de sair de lá e constatar que ele tomou consciência do meu eu interior, em cacos claro e depois de uns puxões de orelhas devido aos resultados das minhas análises, verificamos que a máquina  está em modo a precisar do fim-de-semana e não só. 

Ainda lhe perguntei: Sr. Doutor explique-me lá os valores completamente disparados a que se deve?

-isso quer dizer que está (a tiroide) muito acelerada lá dentro.

Portanto se calhar percebe-se as insónias. E o aumento de peso, mas tu não estás gorda, diz ele.

10
Out18

A saúde deste País

Maria

As greves as greves...

Sinceramente eu nem sou muito de comentar as greves que se fazem neste país, mas quando toca à saúde a coisa custa-me.

Custa-me na parte de toda a gente é livre de fazer greve e os funcionários públicos fazem-nas.

Mas depois conhecer alguém com cancro que tinha operação já algum tempo marcada para amanhã e que lhe ligam a avisar que devido à greve dos enfermeiros não pode ser operada e depois marcam novamente operação é inexplicável.

«Se calhar estão à espera que uma pessoa morra para ser chamada para ser operada.»

Encolho os ombros mas... se calhar... e isto é tão triste.

30
Set18

Um murro no estômago!

Maria

Há lugares que eu acho que todos devíamos visitar na vida. Uma vez que fosse.

E partilhar.

Não é para sentir pena das pessoas. É para quando muito, sentir pena de nós próprios quando nos queixamos de merdas insignificantes. Mas sim para dar valor. Para nos fazer sensíveis ao próximo.  Para ter um "cara a cara" com realidades tão diferentes. E com um amanhã do qual não sabemos o que esperar.

 

Estive esta tarde numa conversa com um senhor de 88 anos que não conheço de lado nenhum. Desabafava. Comovido. A mulher tem um cancro galopante. Apareceu há cerca de três meses e está a sentir-se muito sozinho. Ainda há pouco passeavam pelo Alentejo.. De lágrimas nos olhos contava. "Às vezes conhece-me outras vezes não, isto é triste"... "Queria que fosse eu e não ela" dizia-me. Enquanto ela nos olhava. "Leva-me a passear. Até já" disse ela.

Tudo naquele quarto quente, mas frio. 

Caraças, aqueles murros no estômago. Isto é amor. E a vida devia ser de amor.
E esta minha mania de dizer que não gosto de domingos. Hoje é domingo. Que bom 

[Isto aconteceu hoje, numa unidade de cuidados  continuados.]

29
Ago18

ALERTA Dadores de Medula

Maria

A querida m-M está a passar por uma fase que abana qualquer família. Eu já sou dadora de medula por isso o mais que posso fazer é partilhar o seu pedido e passar a palavra.

Repost dela:

 

[Para quem não me segue no Facebook, repito aqui. Todo e qualquer alcance é importante. Sonho chegar a quem nos possa ajudar.]

 

Meus doces...

Devem ter reparado que andei mais afastada da internet nos últimos dias...

Pois é... um daqueles medos que todos temos, mas pelos quais ninguém quer passar, atingiu a minha família.

ALERTA - DADORES DE MEDULA

A minha irmã foi diagnosticada com falência grave de medula, na semana passada.

Estamos a fazer todos os testes de compatibilidade para encontrar um dador familiar direto...

A minha A. tem 38 anos, é mãe de duas crianças (o meu sobrinho H. e a minha sobrinha L.) e sempre foi saudável...

Caso não haja um dador direto na família (eu sou a melhor e única hipótese), ela entra na lista internacional, por isso precisamos de aumentar as hipóteses de encontrar um dador compatível, mais cedo do que tarde.

Peço-vos:
* Tornem-se dadores de medula óssea;
* Se já o és (OBRIGADA!) partilha este status com os teus familiares e amigos.
(Confirma as características de um dador de medula e onde podes tornar-te parte da lista internacional no IPST)

Vamos aumentar as probabilidades, hoje por ela, amanhã por todos quantos os que precisam!

 

[Estou muito grata a todos os quantos já partilharam, a todos os quantos já são dadores e a quem já está a tratar de o poder ser. Eu, aguardo novidades do IPO.]

 

》Sejam dadores. Ajudem vidas. Passem a palavra. ❤

Sobre mim

foto do autor

Espreitem Como eu Blog

Expressões à moda das “tripas” do Porto!

Sigam-me

<>

INSTAGRAM

<>

<>

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sorriso desde 11/02/09

<>

<>

Twita-me

<>

<>

Pesquisar

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D