Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

SorrisoIncógnito

Todo o sorriso é apaixonante devido ao incógnito que o ofusca! SORRIR_um estado de espírito...

18
Mai21

Há pessoas saudade ❤

Maria

Frases vida

 

Porque sabemos que às vezes não dá. Mas vale a pena muitas outras vezes fazer por dar 🤩
Porque há pessoas que deviam ficar sempre. Independentemente do que foram ou deixaram de ser.
Há pessoas que acrescentam mas na maior parte das vezes não dá. Por mil e duas razões parvas.
Há pessoas saudade ❤
[sem segundas intenções ou com todas as intenções do mundo]
22
Fev21

Coisas que aprendi com relações falhadas

Maria

Todos temos relações falhadas. Uns mais que outros. Mas há sempre uma que falhou. De mais ou menos tempo, mas que em algum momento nos foi importante. Aprendemos com elas? Sempre! Mas nem sempre nos apercebemos logo da lição a tirar dali. Seja quem for que tenha falhado e seja quem for que a tenha dado como terminada.

[imagem retirada da internet]

 

  •  Vamos amar sempre muito aquela pessoa até todo o sempre - só que não.

na verdade quando estamos apaixonados, quando estamos numa relação e quando já amamos aquela pessoa, achamos que é para sempre. Às vezes não é, outras tantas mesmo deixando de se estar juntos o amor fica (pelo menos até alguém preencher um cantinho do que ficou).

  •  vai haver um momento, com outro alguém, que nos vai remeter a um outro momento passado no que falhou.

Pode não fazer mossa, mas vai lembrar.

  • Há um som de alerta que tem que estar pronto a tocar a qualquer momento e tu foge!

Sim. Na verdade se esse som soar foge, mas foge mesmo e nem tentes arranjar desculpas para o que quer que seja. Há coisas que não têm desculpa. E se aceitas que te agridam verbalmente, emocionalmente, psicologicamente ou fisicamente estás a cair num fosso que ficará para sempre aberto. Por muito entulho que lhe queiras pôr de forma a esquecer... não dá! Foge.

  • devemos ser minimalistas nesse sentido e deslargar tudo o que nos leva aquela relação.

Ou então arrumar numa "gaveta" em que só tenhamos acesso se realmente quisermos ter acesso e não uma que se anda a esbarrar dia sim, dia sim. Isso não vale. É jogo sujo com nós mesmos.

  • as redes sociais são um dano colateral irreversível.

Isto do irreversível é como quem diz, uma vez na internet para sempre na internet. Há pessoas que partilham tudo e mais alguma coisa que na volta há gente que muda mais vezes de fotografias com alguém que eu a mudar a roupa do armário na troca de estação. E isso não é bonito. É assim, cada qual faz o que quiser com quem quiser, é a minha opinião. Mas.. andar cá a pôr fotos e a tirar é aquela base... mais vale pensar duas vezes antes de partilhar.

  • "Vou-te excluir do meu orkut" já dizia a música e na verdade é o melhor.

vamos sempre espreitar, "ficar à espera" de novidades, vamos reagir internamente ao que vamos dar de caras e isso, isso é passado e passado é lá trás. Ninguém quer ler palavras soltas ao vento para outro alguém que antes eram para nós, certo? Mas se a amizade boa ficou, onde se consegue separar as águas... isso são outros quinhentos.

  • acreditamos que não vamos voltar a ser felizes no Amor.

na verdade pode muito bem acontecer, é a vida. Mas as probabilidades de voltar a acontecer são do tamanho do nosso optimismo e no "deixa andar" estando abertos a... por isso o luto é necessário. E vamos andar a chafurdar na lama... Mas nada de encarnar a escuridão nos dias. Longe disso porque energias negativas atraem energias negativas (xô xô).

  • nunca voltar aos sítios onde já fomos felizes - o tanas.

devemos voltar sim onde quisermos se o lugar for mesmo importante para nós. Porque podemos voltar a ser felizes ali, sozinhos ou acompanhados. Há lugares que podem fazer-nos lembrar alguém, mas.. isso é só um pormenor, que não deve ser maior que a vontade de ir algum lugar que gostamos mesmo.

  • aprendemos com os erros.

e isso quer dizer que não voltamos a errar? Não, muito pelo contrário. Mas de certeza que alguma coisa aprendemos com aquela cabeçada.

  • dois olhares sobre a mesma coisa não vão sentir o mesmo nem tampouco tirar a mesma conclusão.

é a vida, se até no futebol conseguimos olhar para o mesmo lance e interpreta-lo cada um à sua maneira, muitas vezes claro está, puxando a brasa para a sua sardinha, num relacionamento a coisa não é assim tão diferente quando são duas pessoas, com diferentes pontos de vista, diferentes emoções, valores e atitudes. O bom é encontrar alguém que te ajude a suportar essa diferença e a contorná-la. Mas é por isso que às vezes as coisas falham ali mesmo em frente a um qualquer obstáculo.

  • O problema não és tu, sou eu!

Balebas. Balelas.

 

Podem sempre acompanhar todas as novidades pelo Facebook. Ou pelo Instagram - @sorrisoincognito 》

 ▪ Texto em destaque no SapoBlogs e na página do @SAPO

10
Fev21

Coisas que aprendi por entre os pingos da chuva desta pandemia.

Maria

Até à data, e com quase um ano de pandemia, duas vezes em teletrabalho (67 dias no primeiro, 50 dias no segundo), meses sem ver família que estamos habituados, meses sem sair com amigos, meses sem ir jantar fora, meses a arranjar-me só para ir às compras quando estritamente necessário e trabalho presencial na pior fase da pandemia - assim resumidamente em quase um ano passado das nossas vidas:

 

- concluímos à partida que sairíamos desta pandemia melhores pessoas, mais resilientes, mais atentos ao próximo, mais bem dotados de valores - mentira.

- houve uma altura em que açambarcaram tudo e mais alguma coisa, mas o papel higiénico ficará para toda a história.

- o teletrabalho é o caos. Psicologicamente terrível. Não conseguir "separar águas" em local físico. Nem horários. Nem desligar-me do trabalho quando tinha mesmo que ser. Saltar a parte de "levar trabalho para casa" para o "ter só trabalho em casa" efectivamente.

- perder o fio à meada e ver na balança uma inimiga. Dedicar-me mais à cozinha mas só para aprender a fazer bolos - quem passou pelo mesmo sabe - enraizou-se e faço muitos mais bolos agora que em todo o outro tempo que me conheço.

- descarregar stress em quem não se deve. Normalmente tenho uns vinte minutos de viagem do trabalho até casa. E quando estou num dia mau, tento que nesse tempo liberte os demónios até que quando estacione em casa, os problemas não passem a porta. Em teletrabalho o medo é não os conseguir mandar pela janela!!

- pessoas que não mais visitaram certa família, amigos, quem não tenha festejado datas importantes, quem não se pôde despedir num ultimo adeus de alguém próximo e que ficará para todo o sempre uma ferida irreparável (das feridas mais profundas desta pandemia). Quem tenha perdido o emprego, quem tenha visto a vida a dar uma volta e estar em dificuldades, há quem tenha perdido quase tudo. Há quem esteja na linha da frente há meses e que mesmo assim todos os dias tenha que sair de casa pronto para mais um dia de muita luta, desespero, e cansaço psicológico... enquanto ainda há quem faça festas, se junte com amigos e familiares sem máscara, quem visite a casa de outros para beber umas cervejas e zero distanciamento.

- há quem diga que o nosso sistema de saúde não vale um chaveto e no fim disto tudo dirá o mesmo, incluindo que os médicos só estão a fazer o seu trabalho!

- há pessoas que ao mínimo sintoma vão fazer o teste, há quem nunca chegue a ligar para a saúde 24 porque isto passa e isto não é nada - relativizando tudo o que é parar grupos de contágio.

- há quem ainda não saiba aquela diferença do que é fazer quarentena, fazer isolamento voluntário ou profilático e quem não sabe para que servem na verdade as máscaras.

- encontramos meios de combater o vírus mas comprovamos bem cedo que para a estupidez não há cura.

- Quem, (ainda) não tinha pensado que este tipo de gente seria também capaz de tentar dar o seu punho na altura da vacinação?

- ainda , um ano depois, quem ache que isto não passa de uma gripezinha.

[- há mesmo um plano de vacinação? Dúvidas, dúvidas...]

- tenho medo do vírus, que tenho, mas tenho mais medo de pessoas.

 

Podem sempre acompanhar todas as novidades pelo Facebook. Ou pelo Instagram - @sorrisoincognito 》

20
Nov20

Aos olhos dos outros

Maria

IMG_20201120_153501_471.jpg

Continuamos a fazer muita coisa para "ficar bem" aos olhos dos outros. Enquanto que o devíamos fazer em prol apenas só de nós mesmos.
E às vezes o nosso bem, não é o bem aos olhos de outros... e está tudo certo.
Nós não estamos sempre bem. Nem temos que estar. A vida é isto. E fingir que é diferente é errar. Connosco. Devíamos aprender a gostar mais de nós. A fazer mais por nós. E a quando nos desiludimos por algo que fazemos/optamos/decidimos ser porque aos nossos olhos não estivemos bem. Primeiramente aos nossos olhos. Depois o julgamento dos outros.
Ao contrário está mal.
》Lembrem-se:
Os outros vão estar sempre ali para te julgar. E muitas vezes mesmo quando nem te desiludiste contigo mas só porque se desiludiram. Contigo. E vai na volta, para ti até pode estar tudo certo.
Há uma diferença no que disse. E essa é a diferença que faz toda a diferença.
Já pensaram nisso? 🖤

24
Set20

Pessoas que te mostram a luz ao fundo do túnel?

Maria

IMG_20200924_153135_534.jpg

 

Há sempre alguém que vai fazer com que vejas para lá do que está à tua frente. Daquilo que os teus olhos enxergam mas que o coração não está a chegar lá.

Há pessoas que te vão mostrar o quão bonita és naquele dia em que acordas com a juba a ter vida própria, em que nem o teu melhor creme tapa a marca que apareceu e em que nada encontras para vestir que te faça sentir bem.

Há pessoas que te vão fazer rir, naquele preciso momento em que os ciscos nos olhos só esperam um sinal para desabarem.

Há pessoas que te vão mostrar que mesmo nos dias sem sol ele está lá pronto para voltar a aparecer.

Há pessoas que te vão fazer olhar melhor para o que nem deste conta. Pessoas que saberás na hora que te apareceram no momento certo. 

Há pessoas que te vão acalmar as perguntas, mesmo que não te tragam as respostas já prontas.

Essas pessoas são para manter perto.

Pessoas que te chegam positivas. Que te empurram para a frente. Pessoas que sabem abraçar. Que te dão a mão, também quando ninguém está a ver. Pessoas que sabem ouvir. Que te admiram. Que te convidam quando não estás na onda. Pessoas que te integram. Que te mostram o lado certo quando tudo está do avesso.

Pessoas que te mostram a luz ao fundo do túnel?

Gosto [ ♥ ]

22
Mar20

Não há agasalho que nos proteja de pessoas frias. O resto dá-se um jeito

Maria

Às vezes ainda me surpreendo com as pessoas. Não devia.

Enquanto há todo um esforço para não se sair de casa.

Enquanto uns fazem tele-trabalho. E empresas fecham.

Enquanto uns têm que fechar os seus próprios projectos, lojas, empreendimentos, o pão de cada dia.

Enquanto uns fazem isolamento/quarentena voluntária.

Enquanto uns não visitam a família.

Enquanto uns adiam casamentos, batizados, festas comemorativas...

Enquanto uns não festejam o aniversário com a família e amigos. 

Enquanto uns ficam isolados e completamente sozinhos em casa.

Enquanto as escolas fecham e todas as crianças vão para casa.

Enquanto pára o futebol.

Enquanto uns dão concertos a partir de casa para animar a malta.

Enquanto uns dão aulas de fitness, exercício físico, zumba, o que seja - de casa - para nos manter activos de casa.

Enquanto há pessoas que gostavam de ficar com os seus em casa e arriscam todos os dias a ir trabalhar para os restante de nós termos o necessário.

Enquanto uns arriscam a vida para agarrarem a vida de outros - Obrigada!.

Enquanto uns não conseguem fazer a ultima cerimónia merecida a um ente querido.

Enquanto há pessoas que têm família internadas que já não visitam alguns dias...

Enquanto há pessoas que se disponibilizam a ajudarem os mais necessitados e os mais idosos.

Há outros que num dia de sol, vão passear para as marginais, para as praias, para o calçadão, para o raio que as parta porque isso não vale e pode ser evitado sem custo. Sim sem custo, poupem-me - a mim e a todos aqueles que adotaram o #ficaemcasa.

IMG_20200322_223836_770.jpg

 

Em tempos escrevi - Não há agasalho que nos possa proteger de pessoas frias. Distantes. Amargas. De pessoas que não olham para o lado, que não sentem os outros, que não se dão. Pessoas que não sabem sorrir. Ajudar. Ver além do seu mundo.

E é tão isto. Enquadra-se. Não se entende essas pessoas. Não se entende como fazem isto. Não percebo pessoas - destas. Não consigo.

12
Mar20

Tenho medo de pessoas.

No dia em que o coronavírus foi declarado pandemia pela OMS

Maria

 

Ontem partilhei no facebook o que me aconteceu, assim que saí do trabalho e passei por um dos hipermercados que passo todos os dias e que, muito na minha, aproveitei para ir fazer umas compras normais para a semana, como sempre faço.

Sim, Eu sou aquele tipo de pessoa que faz compras uma vez por semana. Razão: passo todos os dias por hipermercados logo não preciso de passar lá só uma vez por mês e atolhar a casa com tudo e mais alguma coisa. Pois que já tinha ouvido falar das "prateleiras vazias". Mas pensei eu que não devia ser bem assim até que, sai do trabalho e como qualquer normal semana e depois de não ter estado no fim-de-semana e não ter feito compras, lá fui eu.
Pois que...não havia verduras, alface, repolho, alho francês, cenouras... nada. Não encontrei massa, nem arroz. Também não tinha óleo. Salsichas tinha uma lata com certeza esquecida. Água minha gente. Nada. Nem garrafões nem garrafas. E óbvio, papel higiénico nem vê-lo. Ora eu ia fazer umas compras porque não costumo abastecer assim até ao teto mas... compreendo que a epidemia da estupidez é qualquer coisa que assiste a quem não sabe viver em sociedade. Em comunidade. Em tentar perceber que o alarmismo e o pânico deixa-nos ainda pior. É inconsciente. Tão inconsciente é quem vai limpar prateleiras como aquele que está em quarentena mas sai para os seus afazeres que engloba terceiros. Adoro pessoas. #sqn

E quando me dizem se tenho medo do vírus, tenho os meus receios, mas tenho medo das pessoas. E acredito cada vez mais naqueles que matam pela ultima lata em países de guerra e acredito que haja gente que tire o comer da boca de outros para comer e acredito, que num país que não está em guerra, num país que está apenas em cautela e de olhos abertos a tentar perceber que temos que ter cuidados e que cada um pode e deve fazê-los para bem de todos, haja gente a correr para o supermercado para atolhar a casa de papel higiénico?! É que eu por exemplo até estava a precisar porque quando compro, compro apenas o essencial até voltar às compras, assim dá para todos. Percebem o - dá para todos?

E já agora, metam lá o rabinho em casa quem está de quarentena ou quem pode evitar não sair à rua. E com isso quero dizer não vão para a padaria tomar o pequeno almoço e façam lá sala de duas horas, nem vão para as esplanadas todas atolhadas em típica época de verão, não precisam apanhar já o sol nas praias onde já quase não têm um espacinho para pôr a toalha. ah e irem todos a correr para o supermercado também não é boa ideia, como para as farmácias tentarem comprar três frascos de álcool quando na verdade até costumam deixar o frasco lá de casa passar a validade porque não usam. E se não têm sintomas, deixem lá as máscaras em paz. Lavem bem as mãos. Muitas vezes. 

Minha gente, menos. Porque a não ser que a estupidez dê caganeira, o vírus - dizem - não dá.

Sobre mim

foto do autor

Espreitem Como eu Blog

Expressões à moda das “tripas” do Porto!

Sigam-me

<>

<>

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Twita-me

<>

<>

Pesquisar

Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

subscrever feeds

Em destaque no SAPO Blogs
pub