Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

SorrisoIncógnito

Todo o sorriso é apaixonante devido ao incógnito que o ofusca! SORRIR_um estado de espírito...

04
Out19

Apaixonem-se ♡

Maria

IMG_20191004_075335_675.jpg


Pessoas que não estão apaixonadas ficam chatas. De mal com a vida. Deles e dos outros. Não têm paciência para eles mesmos. São pão sem sal. Mal amados e desinteressantes.
Pessoas que não estão apaixonadas por algo ou alguém metem-se na vida dos outros, para ocupar o vazio das delas.
As pessoas apaixonadas são geralmente bem dispostas, não atrapalham a nossa felicidade e ocupam-se com a delas. Andam de bem com a vida e não têm tempo para atazanar a vida dos outros. Apaixonem-se. Apaixonem-se por alguém ou pela vida.
O ser chatinho é meterem-se na vida dos outros, é a felicidade dos outros fazer urticária.

08
Ago19

Como aguentar 12 anos numa empresa?

Maria

Muitas vezes fazem-me essa pergunta quando  se fala da minha empresa. Tantos anos na mesma empresa não é fácil. E acredito que, visto de fora, algumas sejam as dúvidas e as suposições. 

Já aqui falei. E tenho sempre o prazer de o dizer. O que me faz ficar cá tanto tempo são as pessoas. E num emprego, num trabalho diário, numa casa onde passas tanto tempo como na tua, ou mais (pelo menos acordada) são as pessoas que te fazem o ser e o querer estar. Quando pensam que é o dinheiro que move. Não, não é. São "bolos" diferentes. É importante. Mas para o nosso bem estar não é só o dinheiro que conta...

Percebam porquê.

Faleceu ontem o "Manuel". Que sempre apelidei carinhosamente de "meu Manelzinho" aqui na empresa. Quando cá cheguei, ele já cá estava. E foi sempre um querido comigo. Um amigo mais velho trinta anos. Que me aconselhou. Me deu dicas. Que muito desabafou. Que amava a família e babava pelas filhas... 

Trabalhamos juntos cerca de três, quatro anos não sei precisar e acabou por sair. Por seguir outro caminho.

Ás vezes ali aparecia ele no meio da produção a levantar a mão. Vinha cá ver como estávamos, dar um Oi. Contar que estava bem. Do que andava a fazer. Sempre que passava por ele na rua, aquele sorriso e aquele levantar a mão era certo.

Aqui na empresa não somos muitos. Somos família. Desde o início. Fui recebida assim há mais de doze anos. E continua-se a receber assim quem vem por bem.

O "Manelzinho" já cá não trabalhava há alguns anos. Mas foi da família. E ficou.

Hoje a empresa encerra para nos irmos despedir dele pela ultima vez. Todos. 

Mesmo que já não trabalhasse cá na empresa. Foi família. Esta empresa é isto.

Até sempre "Manelzinho"! <3

18
Jun19

É por estas e por outras que o meu blog vale a pena.

Maria

 

Apesar de continuar a não ser dada a essas coisas, mesmo depois de já ter tido experiências positivas. Conheci este fim-se-semana, muito por acaso, uma pessoa que contactei pela primeira vez através do blog. A Marta. Já falo com ela há imenso tempo, do tempo que também ela não dava a cara nem o nome. E nem consigo dizer há quanto tempo a sigo, como sei que já me segue também há muito.

A vantagem de quem dá a cara é que pode ser reconhecida. Aqui ou ali. Quem não dá, como no meu caso, ninguém te vai reconhecer quase de certeza. Eu podia ter passado por ela e ela nem ficava a saber que no dia anterior era comigo que estava a trocar mensagens. Mas assim que a vi, com aquelas primeiras dúvidas passageiras "será ou não será" fui ter com ela e disse eu sou a Maria. Foi giro. Eu, meia tímida, não é fácil aproximar-me assim, mas neste caso é como se já a conhecesse há muito, porque não o fazer?

Já me aconteceu ver ao longe a S* num shopping e não conseguir naquela altura ir ter com ela para a conhecer pessoalmente. Nunca sei se as pessoas gostam disso ou não. Eu não me importaria que me reconhecessem em algum lado e me dissessem "olha eu gosto de te ler" "já te sigo algum tempo"... mas nunca se sabe do outro lado.

E um blog é também isto, apesar de não ter dado para grandes conversas, gostei de te conhecer Marta!

**

E vocês? Já conheceram ao vivo e a cores pessoas que o primeiro contacto tenha sido pela internet? Em blogs, em sites, nas redes sociais, em chats? Experiência boa ou má?

14
Jun19

Descomplica!

Maria

89.  Descomplica.png

 

Isto são uns segundos de vida da qual  segundos gastamos a complicar o desnecessário. Passamos demasiado tempo em busca de algo quando não aproveitamos o que temos nem lhe damos o devido valor. Moemos a cabeça com imensas perguntas e depois nem damos valor às respostas. Que por vezes estão tão ali à nossa frente. Se tudo parece fácil é porque algo está mal e isto tem que ter outro reverso da moeda.

Passamos tempo a acreditar que as coisas melhores estão por vir. Que isto chega a uma altura que descomplica e deixa de estar tão cinzento. Quando fomos nós, na maior parte das vezes a complicar o simples.

As pessoas queixam-se mais, que o tempo que perdem a agradecer. Pedem muito e continuam sempre a agradecer pouco.

Continuamos a gastar tempo com aquilo que não nos acrescenta mesmo nas vezes que dizemos que não vamos perder esse tempo. Já foi.

Passamos o dia a correr, sem ter tempo para tanta coisa e no fim desperdiçamos o dia. Não paramos para olhar mais à nossa volta. Atendemos telefonemas no corre corre, não paramos para desfrutar da conversa. E não devolvemos chamadas porque nos esquecemos que alguém ligou. Talvez três dias depois e aí já nos penalizamos por nos termos esquecido e volta a passar. Mandamos as mensagens mais directas possíveis e até com os amigos esquecemos de relembrar o quanto gostamos daquela amizade. E precisamos.

Complicamos com a resposta "havemos de combinar".

A verdade é essa, precisamos de qualidade de tempo, e desperdiçamos o pouco tempo que temos a complicar.

Teremos nós, sempre, tempo de descomplicar?

05
Jun19

Há coisas que me fazem espécie…e pessoas #19

Maria

IMG_20190605_133710_732.jpg

 

Irritam-me assim um bocadinho condutores que:

 

  • não dão o pisca ao virar a direcção tanto como aqueles que dão, quando já estão a efectuar essa mesma mudança de direcção.
  • condutores que andam no reme reme em sítios que não podemos ultrapassar e quando há uma aberta para ultrapassar eles aceleram, mas logo ali à frente volta aos 40, percebem?
  • aqueles condutores que vos micam através do retrovisor e começam todo um lançamento de charme à distancia via quatro rodas. A janela aberta, meio braço de fora e olhares. Baah. Coro de meia tigela.
  • Condutores que numa rua apertada onde quase não passam dois carros (nas aldeias há muitas!) param e ficam à espera que o outro se desenrasque nas manobras sem fazer uma única e contra nós gajas falo, que encontro muitas que nem sabem encostar o carro para dar passagem e ficam a olhar para uma pessoa a tentar lançar uns pozinhos para conseguir passar quase no cu da agulha.
  • Condutores que se colam à traseira do vosso carro, não numa de tentar ultrapassar assim que possível, mas numa de olha eu aqui coladinho - é só parvo!
  • Condutores que dão o pisca a assinalar que vão parar, abrandam mas depois andam mil setecentos e cinquenta metros em marcha lenta e pisca ligado (apertar-lhes o pescoço era pouco!).
  • condutores que se metem à estrada sem parar e vos forçam a uma travagem e que ficam a olhar só naquela de "eu sou o rei" - do quarto alugado ali na serrinha.
  • condutores que estacionam o carro, quase ao lado de outro já estacionado em sentido contrário. Principalmente numa estrada apertada e tens que andar ali a fazer manobras rés-bés campo de Ourique, quem vier que se amanhe!
  • na maioria camionistas que se acham os reis da cocada preta da estrada. É tudo, literalmente, à grande.
  • vão levar os filhos à escola e estacionam onde der, tipo em segunda ou terceira fila  e fazem parar o trânsito até que voltam ao carro com aquele sorriso amarelo a levantar a mão (é nestas alturas que me apetecia conduzir uma catrapiller escavadeira e passar tudo a ferro).
  •  

Mas agradeço todos os dias não ter que lidar com as filas e filas nas grandes cidades. Devem tirar anos de vida e isto da vida serem só dois dias é muito tempo.

23
Mai19

Há pessoas para ficar, há pessoas para ir!

Maria

87.  amizades.png

Sabemos sempre que com outras pessoas somos mais felizes. Somos ainda mais felizes que sozinhos. E dessas pessoas, as que nos acrescentam, somos parte. E fazem-nos mais felizes assim como nós também fazemos parte da felicidade deles. São aqueles a quem chamamos "os nossos". A quem queremos perto. Com quem partilhamos os melhores sorrisos e a quem socorremos para nos segurarem as lágrimas.

São essas pessoas que nunca podemos esquecer. E da mesma proporção que há pessoas que nos fazem ainda mais felizes. Há também aquelas que nos sugam a felicidade e muitas vezes nem damos conta disso.

Pessoas que já só estão "ali", sabe-se lá onde, mas que nunca estão mesmo "aqui". E que nem chegam a estar. Não se chegam a dar. Logo não chegam a ser das que acrescentam. Que dizem que são amigas mas que na realidade, ao olhares, não vês nada que o demonstre. Só estão ali a insistir que o são. Às vezes já podem ter sido muito, mas depois simplesmente deixam de o ser. 

[ Às vezes podemos ter uma peça que seja muito importante numa altura da nossa vida ficamos com ela porque na verdade faz parte. O tempo passa. E ela apenas fez parte naquela altura. Lá trás. Ficar com ela, dar-lhe um lugar de destaque só para lembrar que um dia foi importante é não dar valor a todos as outras que fazem o dia de hoje mais bonito. ]

Há pessoas que devemos deixar ir. Que o deixar ficar só estão a ocupar ideais falsos. Quando menos esperas vai haver uma atitude que te vai fazer perceber isso tão bem que te vai magoar.

Pessoas que magoam não fazem parte dos teus que estão lá para te fazer feliz. Se não estão, é deixar ir. Há tanta coisa que ao deixares ir te faz feliz que vais perceber que há pessoas que também são assim.

Não vão deixar de existir. Só não podes contar que estejam lá. Porque na verdade elas também não contam. Quanto mais cedo te libertares, mais cedo vais perceber o que te faz falta, o que realmente interessa e o que não! E que ninguém vive de metades de pessoas que querem estar em todo o lado mas na verdade não estão, principalmente do teu lado. ♡

10
Jan19

Viver na aldeia, dizem, é chato!

Maria

Dizem.

Eu dou mais um exemplo de que, se calhar, não é bem assim.

Ontem durante a tarde mandaram-me um recado aqui na empresa, que ao fim da tarde, o dono de uma empresa vizinha fazia anos e ia fazer patuscada para passar lá.

Eu, quando acabei de trabalhar, e toda ranhosa que estava só queria ir embora. Meti-me no carro e ala que se faz tarde. Mas, ao passar em frente à empresa onde estavam todos fizeram-me paragem e nem pensar em ir embora sem petiscar nada. E foi assim que comi duas sandes com carne de espeto quentinha a fazer na hora e um copo de tinto. Até fui embora mais aconchegada.

Isto nas cidades não existe. E também não existe em todos os lados. Mas ainda existem vizinhos dos bons. Eu moro na melhor rua do mundo, mas às vezes também me convenço que trabalho num dos melhores sítios. Vizinhos bons e boas pessoas não vêm declaradas. E sabem tão bem.

30
Dez18

Feliz Ano Novo!

Maria

Desejo sorrir cada vez mais. Ser uma pessoa melhor. Mesmo! Baixar barreiras, destruir muros. Queria que se não fosse melhor que este ano que fosse igual, mas no fundo desejo de 2019 um bocadinho mais. Que eu tropece em pessoas boas e que leve os negativos para o raio que os parta sem passar no meu caminho [não confundas, por favor]. Simples assim. Directo e sem engolir sapos. Que possamos sorrir juntos. Desejar mais. Sonhar, ainda que de olhos abertos e pés assentes no chão. Abrir o coração. Ser simpáticos e guardar o mau humor nos lençóis antes mesmo de sair da cama. Apreciar o arco íris. Falar, conhecer, ir. Não deixar ficar quem só tirou bilhete de passagem. Já basta a passagem do ano. Ter coragem. Enfrentar. Ser forte. Gostar de nós, mais de nós. Primeiro sempre nós. E deixar que gostem de nós...

Ser feliz! Minimizar más energias. Procurar sorrisos. Agradecer sempre. Cuidar. Cuidar de nós. Apaixonar. Dizer gosto de ti. Fechar feridas. Seguir em frente. Seguir em frente é o caminho.

2019.png

 

De coração desejo-nos a todos um Feliz 2019 . Que nos seja simples, leve e bom. Saúde.

Obrigada por mais este ano repleto de carinho e partilhas a quem está desse lado! E cá vos espero em 2019. Sem desculpas.

Beijos, abraços e sorrisos,

 

Maria

SorrisoIncógnito

 

Sigam-me em:

Facebook: sorrisoincognitoblog
Instagram: https://www.instagram.com/sorrisoincognito/

05
Dez18

Love on top

Maria

Um dia destes à noite, estava eu quase mais para lá que para cá, e numa de zapping ao passar na tvi em que dava um directo ou um diário não sei bem, apanhai uma imagem de um quarto, em que três camas estavam a ter umas rotações em movimento de edredões. Quase em simultâneo. Sendo que quem estava numa parou, aproximou-se de outra das duas que estavam em altas rotações, (altas mesmo percebem?) e perguntou: Onde está o teu tabaco?

QTF?

refostedos que eu digo, envergonham qualquer jovem de hoje em dia. Mas acho que só eu é que achei aquilo de tão baixo nível que não percebo como ainda há programas desta categoria capazes de demonstrar as personagens que se estão a formar por aí fora.

Aplausos para eles que se acham os maiores perante tais actos. Esses maiores que se assim são em frente às câmaras eu nem imagino o que são atrás, ou sem elas.

Sobre mim

foto do autor

Espreitem Como eu Blog

Expressões à moda das “tripas” do Porto!

Sigam-me

<>

INSTAGRAM

<>

<>

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sorriso desde 11/02/09

<>

<>

Twita-me

<>

<>

Pesquisar

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D