Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

SorrisoIncógnito

Todo o sorriso é apaixonante devido ao incógnito que o ofusca! SORRIR_um estado de espírito...

24
Mai17

O que te faz lembrar o teu primeiro grande amor?

Maria

Sim, já lá vão uns bons anos. Mas o nosso coração é automático e o meu para associar músicas a pessoas é tiro e queda. Nem é bom.

Do acaso, andava a navegar no youtube, quando me "recomendaram" uma nova música do Chayanne. Não o ouvia há anos. Mas mal li o nome automaticamente começaram a surgir palavras no pensamento com lembranças bem antigas. E lembrei desta música, não me lembrava o nome, mas mesmo depois de não a ouvir há quase quinze anos a letra sei de cor. Cantava isto vezes sem conta. Assim que comecei a ouvir passaram flashes de memória. Isso e quase parece que senti aquelas palavras a serem sussurradas ao meu ouvido...

O coração é tramado.

Sim isto era muito lamechas, mas com tantos amigos a viver em Espanha houve uma fase que eu ouvia bastante música espanhola (sim já aqui confessei o meu atrofio pelo Alexandro Sanz).

 

"Una noche le luna, a la orilla del mar
Es el lugar perfecto para conversar
Para decirte lo que estás provocando
Quiero robarte un beso y contarte mi amor
Es tan corta la vida y tan largo el dolor
Que el deseo de tenerte me está quemando.

Y es que estoy 100% enamorado
Esclavo de tu piel
Y el roce de tus labios
Que nunca me han besado.

Échale leña al fuego, candela
Que quiero ser la llama en tu hoguera
Échale leña al fuego, candela
Y dame el cielo de tus caderas
Échale leñaa al fuego, candela
Déjame recorrerte entera
Échale leña al fuego, candela
Y después has de mí lo que quieras.

No dejes que el temor haga blanco en tu piel
Déjame regalarte un nuevo amanecer
Y ve nacer el sol en cada latido.

Aférrate a mi pecho, abrázame con fuerza
Siénteme despacio y ábreme las puertas
Que una vez cerró tu corazón herido.

Porque voy a borrarte con mis manos el ayer
Y amarte tanto y tanto
Como jamás te amaron."

21
Dez16

Sê feliz. Permite-te.

Maria

16. Passado.jpg

O passado não tem que ser o monstro das bolachas. Tem apenas que ser mais um parágrafo na história da nossa vida.

Não tem que ter dado sempre tudo certo. Não tem que ter sido sempre tudo um mar de rosas, sabemos, não o é. Não tem que ter sido perfeito. Tem que conter erros, falhas. Foi porque se viveu. Temos que olhar para o passado como algo que nos ensina. Que aprendamos daí alguma coisa. Não tem que ser proibido. O passado independentemente do que foi, já foi.

Pode nunca ter dado certo. Mas há-de dar.

Sê feliz. Permite-te.

19
Ago16

A coragem de uma desilusão.

Maria

 

Há três anos atrás, depois de um desgosto. De uma quebra. De uma total afinação de rotinas. Há três anos atrás, depois de desculpas esfarrapadas, de olhar para os outros em primeiro lugar. Depois de muitas lágrimas e menos uns quilos. Há três anos atrás depois de uma desilusão. Comprei uma viagem de avião e fui, de um momento para o outro, sozinha, ser feliz. É uma altura que fica sempre lembrada e poderia ser por uma situação má. Mas vejo exactamente o contrário. No dia em que precisei de forças e de ver luz no escuro, escolhi ser um pouco mais forte e ter coragem. Fui com muita vontade de estar bem. Fui por mim, apenas por mim e pelo meu ser. Pela minha paz de espírito, pelo meu bem estar, pelo meu sorriso.

Tantas e tantas vezes falta-nos a coragem para dar um passo, para mudar de caminho, para fugir às rotinas, para pôr um ponto final. Mas que tenhamos sempre a certeza de que, quando for preciso teremos mais força que alguma vez imaginámos. Que assim seja sempre. Que não nos falte força e coragem para lutar sempre pelo nosso amor próprio acima de tudo. E volta e meia lembro dessa coragem. Às vezes só porque sim, outras tantas porque preciso.

16
Ago15

O que tiver que ser já estará escrito nas estrelas?

Maria

Frases blog1.jpg

 

Acho mesmo que não dá para imaginar onde poderá estar a nossa vida daqui a um, dois ou três (meses fará) anos. Acho que nunca poderia imaginar quando escrevi isto como as coisas estariam hoje. Às vezes o melhor mesmo é deixar ir. O que tiver que ser será, mudando nós o que quisermos mudar... Ela, a vida, encarrega-se de nos mostrar que talvez, como me disse a One smile, One life  há um ano, "o que tiver que ser já estará escrito nas estrelas". Sim... se calhar é mesmo por aí!

03
Fev15

O amor é um lugar estranho.

Maria

Deixei de perguntar ao vento. Deixei de querer saber. Não planeei. Até porque enquanto o fiz não consegui. Deixei. Não quero saber. E quando sei sem perguntar dá-me risos. Não vale a pena, interiorizei. Deixei do tentar arranjar respostas. Do querer saber se amanhã as coisas mudam ou continuam a mesma coisa. De querer saber se alguém vive ou se eu sobrevivo. Não teve um dia, é a fase que vai passando. O tempo que é nosso amigo. Aquele tempo que achamos que nunca teremos e aí ele passa e olhamos para trás e quase nem demos conta de ele ter passado. A vida é estranha. O que sentimos é estranho. Conhecer alguém é estranho. Até porque é quando deixas de conhecer que conheces. É estranho de se escrever. E sentir? Alguém já sentiu o que é achar que não se conhece alguém que esteve ali a conhecer-se durante tanto tempo? Sim, esse é o pior tipo de estranho. Mas deixei de querer saber. E é como alguém me disse: É hora de parar de olhar para trás! Já se sabe onde estivemos. Agora precisamos saber para onde vamos!

[ ♥ ]

03
Dez14

O passado no presente.

Maria

Vi algures e gostei da ideia então o ano passado resolvi escrever um post e agendar para um ano depois. Agora que ele caiu aqui de para-quedas tenho a noção que um ano passou rápido e que há muitas coisas que não mudaram assim tanto.

Se na altura estava quase nos 30, agora já pouco falta para os 31. Não cortei o cabelo pequeno como queria ter a coragem de o fazer e continuo a gostar dos meus cabelos assim mesmo, longos. A relação que tinha acabado na altura, acabou mesmo, apesar de ter havido mudanças nos entretanto que ponderaram ali um reconciliação, mas não passou disso. A minha relação com o tabaco é que não acabou. Também não tentei, mas continua a ser um objectivo. A situação no trabalho posso descrever da mesma maneira. Nada é seguro nesta altura. Cada vez menos. A crise continua. Quanto ao Natal este ano também não terei comigo o mano e o pequeno, o que faz com que as perspectivas em relação ao Natal continuem pela rua da amargura. Agora não tenho apenas uma, mas sim duas sobrinhas emprestadas (tenho mais mas estas são especiais) e são umas piolhas lindas da tia. Perspectivas para o fim de ano estão basicamente no mesmo ponto que o ano passado, mas espero de coração que a minha passagem de ano não me traga a surpresa do ano passado.

Quem alinha em escrever um post para um ano depois e ver as mudanças? O meu já está agendado.

09
Set14

Saudade...

Maria

A dor que dói mais...

"Trancar o dedo numa porta dói. Bater com o queixo no chão dói. Torcer o tornozelo dói. Um tapa, um soco, um pontapé, doem. Dói bater a cabeça na quina da mesa, dói morder a língua, dói cólica, cárie e pedra no rim. Mas o que mais dói é saudade.
Saudade de um irmão que mora longe. Saudade de uma cachoeira da infância. Saudade do gosto de uma fruta que não se encontra mais. Saudade do pai que já morreu. Saudade de um amigo imaginário que nunca existiu. Saudade de uma cidade. Saudade da gente mesmo, quando se tinha mais audácia e menos cabelos brancos. Doem essas saudades todas.
Mas a saudade mais dolorida é a saudade de quem se ama. Saudade da pele, do cheiro, dos beijos. Saudade da presença, e até da ausência consentida. Você podia ficar na sala e ele no quarto, sem se verem, mas sabiam-se lá. Você podia ir para o aeroporto e ele para o dentista, mas sabiam-se onde. Você podia ficar o dia sem vê-lo, ele o dia sem vê-la, mas sabiam-se amanhã. Mas quando o amor de um acaba, ao outro sobra uma saudade que ninguém sabe como deter.

Saudade é não saber. Não saber mais se ele continua se gripando no inverno. Não saber mais se ela continua clareando o cabelo. Não saber se ele ainda usa a camisa que você deu. Não saber se ela foi na consulta com o dermatologista como prometeu. Não saber se ele tem comido frango de padaria, se ela tem assistido as aulas de inglês, se ele aprendeu a entrar na Internet, se ela aprendeu a estacionar entre dois carros, se ele continua fumando Carlton, se ela continua preferindo Pepsi, se ele continua sorrindo, se ela continua dançando, se ele continua pescando, se ela continua lhe amando.

Saudade é não saber. Não saber o que fazer com os dias que ficaram mais compridos, não saber como encontrar tarefas que lhe cessem o pensamento, não saber como frear as lágrimas diante de uma música, não saber como vencer a dor de um silêncio que nada preenche.

Saudade é não querer saber. Não querer saber se ele está com outra, se ela está feliz, se ele está mais magro, se ela está mais bela. Saudade é nunca mais querer saber de quem se ama, e ainda assim, doer."

Martha Medeiros

Sobre mim

foto do autor

Espreitem Como eu Blog

Expressões à moda das “tripas” do Porto!

Sigam-me

<>

INSTAGRAM

<>

<>

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sorriso desde 11/02/09

<>

<>

Twita-me

<>

<>

Pesquisar

Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D