Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

SorrisoIncógnito

Todo o sorriso é apaixonante devido ao incógnito que o ofusca! SORRIR_um estado de espírito...

18
Nov16

To listening... ♥

Maria

 

Tens os olhos de Deus

E os teus lábios nos meus

São duas pétalas vivas.

E os abraços que dás,

São rasgos de luz e de paz

Num céu de asas feridas,

E eu preciso de mais,

Preciso de mais.

 

Dos teus olhos de Deus,

Num perpétuo adeus 

Azuis de sol e de lágrimas,

Dizes: ‘Fica comigo

És o meu porto de abrigo,

E a despedida uma lâmina!’.

Já não preciso de mais,

Não preciso de mais.

 

Embarca em mim,

Que o tempo é curto

Lá vem a noite

Faz-te mais perto.

Amarra assim 

O vento ao corpo,

Embarca em mim

Que o tempo é curto.

Embarca em mim.

 

Tens os olhos de Deus,

E cada qual com os seus

Vê a lonjura que quer,

E quando me tocas por dentro

De ti recolho o alento

Que cada beijo trouxer.

E eu preciso de mais,

Preciso de mais.

 

Nos teus olhos de Deus

Habitam astros e céus,

Foguetes rosa e carmim,

Rodas na festa da aldeia

Palpitam sinos na veia

Cantam ao longe que ‘sim!’.

Não preciso de mais,

Não preciso de mais.

27
Set16

Das histórias da vida...

Maria

Hoje acordei com uma mensagem do facebook a lembrar as minhas memórias:

"Faz sete anos de amizade no facebook com o "João""

"O João foi, durante anos largos, o meu melhor amigo. Conheci-o com quatro anos e passámos juntos todas as fases parvas:
- a de eu o odiar simplesmente porque era rapaz e parvo;
- a de ele não me suportar porque eu era uma pitinha estúpida;
- a de eu o amar platonicamente porque era um caloiro de Filosofia com quem os temas de conversa não se esgotavam;
- a de ele me achar piada porque tinha uma lata descomunal;
- a das conversas telefónicas prolongadas, dos toques para o bip, das primeiras sms;
- a de eu acreditar que nunca teria hipóteses com ele porque me via como uma irmã mais nova;
- a de ele acreditar que nunca poderia ter nenhuma relação comigo porque era demasiado fútil e só andava combetinhos e surfistas da banheira;
- a das cartas escritas à mão e postais de design enviados em tempos de férias;
- a de ambos nos conformarmos e de partirmos para outras;
- a de ele arranjar namoradas atrás de namoradas e de eu delirar cada vez que não resultava;
- a de eu arranjar namorado e lhe contar em primeira mão que tinha perdido a virgindade;
- a de ele acreditar que o meu namoro não ia durar por aí além;
- a de eu perceber que o namorado tinha vindo para ficar e o que sobrava da história com o João era uma belíssima amizade;
- a do João se lembrar que era agora ou nunca;
- a de nos termos enrolado;
- a de um de nós perceber que o enrolanço não tinha sido a melhor das ideias;
- a de nos zangarmos;
- a de eu voltar para o namorado que ele odeia;
- a de ele arranjar uma namorada- desta vez mesmo à séria- e eu (obviamente e de forma assumidamente ressabiada) achá-la uma baleia;
- a de não nos zangarmos, mas simplesmente deixarmo-nos de falar.
 
O João continua a ser o meu melhor amigo. Sinto que, apesar do desfecho, foi maravilhoso tê-lo tirado de cima do armário.  E, ainda que sem nos vermos e nem nos falarmos, penso que finalmente acertámos o passo e estamos em sintonia. Acabaram-se os encontros. Mas também os desencontros. Tenho saudades.
Mas gaja que é gaja tem ou já teve um João."

Não podia deixar de partilhar (e não sei se já o fiz antes) este texto da Pólo Norte que me marcou há tanto tempo... porque afinal de contas, gaja que é gaja já teve um "João". E a amizade com o "meu" "João" faz hoje sete anos no facebook, mas muitos mais na vida.

E, ainda que sem nos vermos e nem nos falarmos, penso que finalmente acertámos o passo e estamos em sintonia. Acabaram-se os encontros. Mas também os desencontros. Tenho saudades.

13
Set16

Plágio

Maria

Nunca vou perceber porque partilham as frases ou textos de outros sem umas aspas. Nunca vou conseguir perceber porque partilham as frases de outros sem fazer referência. Não percebo porque partilham uma frase, um poema, um texto de (por exemplo) Bob Marley entre aspas e no fim com a devida referência mas uma frase/texto meu, não.

Não percebo porque partilham as palavras de outros como sendo deles.

img1.jpg

Pronto é coiso. É isto.

16
Abr16

Deixa-me...

Maria

insta_deixa-me.jpg

 

De uma vez por todas deixa-me. Preciso disso. Que te esqueças de mim. Que não me vejas. Deixa-me. Não voltes a mexer em mim. Em cuticar-me o coração. Não voltes a abalroar-me por aí. Chega. Nunca fui de te pedir muito, mas agora peço-te tudo, deixa-me.

Deixa-me viver apenas a minha vida. Não me fales. Não me procures. Não me respondas. Apaga. Apaga em ti o eu para então eu apagar em mim o tu. Antes não consigo, sei que vai voltar. Ou vais. Mas não quero isso. Deixa-me. Parece que estou no caminho certo.

Deixa-me para então eu te deixar.

[ ♥ ]

Sobre mim

foto do autor

Espreitem Como eu Blog

Expressões à moda das “tripas” do Porto!

Sigam-me

<>

INSTAGRAM

<>

<>

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sorriso desde 11/02/09

<>

<>

Twita-me

<>

<>

Pesquisar

Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D