Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

SorrisoIncógnito

Todo o sorriso é apaixonante devido ao incógnito que o ofusca! SORRIR_um estado de espírito...

28
Nov16

Vivo num país #2

Maria

Em que uma pessoa mata-se a trabalhar para poupar dinheiro para comprar um carro. Depois de comprar um carro vem uma personagem que o rouba tirando-nos muito mais que um carro, anos de vida a trabalhar e a poupar para ter algo nosso do qual precisamos na maioria para trabalhar. Mais tarde, na grande maioria das vezes essas personagens não são identificados e dos carros nem rasto, outras vezes, essa alegada personagem é identificada e o que é que lhe acontece? Nada. Ficam constituídos arguidos com termo de identidade e residência aka nada. E a quem ficou sem o carro, sem o dinheiro, sem as poupanças, sem o (muitas vezes) único meio de transporte? Nada também, fica sem isso e dê-se por feliz.

Vale ou não vale ser criminoso?! Eis a questão...

Pobre justiça a nossa. E desgraçado daquele que cai nestas mãos, tanto dos criminosos como da justiça...

05
Nov16

Vivo num país

Maria

Em que um GNR tem que pagar uma indemnização ao pai de uma criança que acidentalmente matou. Isto tudo aconteceu em 2008, quando o GNR perseguia o homem depois de um assalto onde levou o filho menor com ele. Vivo num país, em que um GNR tem que pagar 55 mil euros ao pai depois de esse pai ter levado o filho para  um assalto e ter-se posto em fuga. O GNR ainda não pode exercer as suas funções e acaba de pagar a indemnização e o pai inconsciente vai receber esse tal "prémio" por há oito anos ter feito um assalto levando o filho.

Vale ou não vale ser criminoso?! Eis a questão...

Pobre justiça à nossa.

21
Abr16

Assim vai o nosso país.

Maria

Esta polémica instalada sobre o governo mudar ou não o nome do Cartão do Cidadão para Cartão de Cidadania, faz-me lembrar um pouco aquela cena do mundo actual, em que há uma situação mais caricata ou alguém precisa de ajuda e as pessoas querem é fotografar e "discutem" se o devem fazer com ou sem flash ou qual o melhor ângulo da foto. O verdadeiro problema não interessa, interessa é, porque sim, o que for interesse para cada um. A discriminação está na nossa cabeça e cada um reflecte a sua.

Comparações estúpidas assim como "leis" que são propostas para voto.

Na realidade há todo um país cheio de problemas realmente importantes para discutir e discute-se isto.

28
Ago15

Imagens chocantes nos maços de tabaco para reduzir o consumo é treta.

Maria

Quem fuma tem consciência que aquilo não faz bem nenhum. E quem acha que alguém não vai fumar pelas imagens que traz é enganar-se a si próprio. Era quase como agora começaram a pôr nos carros imagens de acidentes para reduzirem a velocidade. Quem quer acelerar não vai ligar a isso, até porque todos os dias somos abalroados por imagens nos meios de comunicação sobre acidentes e pelo grande numero de mortes derivados dos mesmos e nem por isso deixei de ver quando saio à estrada malucos a levarem tudo a frente. Assim como aconteceu com as frases nos maços, no início até se lia, depois passou à história, compra-se um maço e nem se liga mesmo. As imagens será o mesmo, no início é novidade depois passa. E duvido que alguém deixe de fumar por uma imagem que venha no maço. Imagens chocantes nos maços de tabaco para reduzir o consumo é treta.

"As tabaqueiras terão ao dispor uma biblioteca de 42 imagens a cores para imprimir nos maços de tabaco e um conjunto de advertências em texto. As fotografias apresentam-se como casos reais e são ilustradas com mensagens como "Fumar provoca 9 em cada 10 cancros do pulmão", "Deixe de fumar - pense em quem gosta de si" ou "O seu fumo prejudica os seus filhos, família e amigos"."

Daqui.

A única lei em relação ao tabaco que acho no meu entender que ajudou a reduzir foi a proibição em espaços públicos, visto que, o ter que se sair de um café ou bar (presumo que fossem dos sítios públicos que mais se fumasse) reduziu em alguma coisa, mas não deixaram de fumar essas pessoas. E é ridículo pensarem que sim. A força de vontade de alguém deixar o tabaco ou outro vício qualquer não passa por hipotéticas prevenções de tentarem chocar as pessoas com imagens ou com frases. A vida é demasiado real, todos os dias temos a noção disso e nem por isso paramos de viver para tentar sobreviver a todo este caos que leva à morte das pessoas.

Eu já fumei, já deixei de fumar e já repeti o processo algumas vezes. Ninguém mais que eu sabe o que corro ao fazê-lo. E ao deixar não vai ser por um maço trazer imagens chocantes, ser vermelho ou trazer frases que me belisquem. Acreditem. O deixar de fumar vai um bocadinho mais além que estas leis da treta.

13
Mai15

Um minuto de silêncio, Sorriso Maria!

Maria

Diz que a partir de hoje faço parte dessa lista de portugueses que escrevem mal o português. Mas refiro-me a todos aqueles por quem já pedi um minuto de silêncio. Por aqueles que escrevem “voçes”, “nesseçario”, “benefiçio”, trocam o “há” pelo “á” e coisas que tais, tal como diz o Vasquinho e os D.A.M.A e muito bem (atentem no vídeo):

 

 

Entenda-se que os erros por quem pedia um minuto de silêncio são erros básicos que se aprenderam na escola todo o sempre, estes novos que passarei a dar são de um agora que não foi como aprendi na escola (quota pá!).

Diz que a partir de hoje a faixa ali em cima do blog deixa de fazer sentido “Este blogue não adopta o Acordo Ortográfico” porque a partir de hoje passa a ser obrigatório o uso do mesmo.

Tiram-se acentos, outros ficam. Evaporam-se letras que se liam ou que eram “mudas”. Com ou sem hífen. Etc, etc...

Valha-me o amor da santa, que já estou aqui às voltas e a minha avó no túmulo (certezinha) também, que a partir de hoje vou ser pessoa para dar muitos mais erros que aqueles que já dou. Dúvidas então, nem se fala. É que até agora não adoptei e nem estava a fazer intenções de. Mas agora que me apontam uma arma à cabeça e para que não me esquartejem em praça pública terei mesmo que ceder?

E tu dominas a cena?

15
Abr15

Aumento da idade mínima para o consumo de bebidas alcoólicas.

Maria

Quer o governo agora alterar a lei e proibir o álcool (sem distinção para a cerveja e o vinho) a menores de 18. Eu acho muito bem mas (e porque há sempre um “mas” e quando falamos de leis portuguesas na sua maioria valem mais os “mas” que as leis)… do concordar, ao estar correcto e à prática… a distância é tão grande que lá se vai a eficácia.

Façam-me um favor poupem os papeis e as burocracias e o dinheiro gasto em mais uma lei que não interessa nem ao menino Jesus. Isto em termos práticos. É mesmo assim. Falando por experiencia própria, eu comecei a sair cedo, com o mano, ele mais velho mas na hora de pedir uma bebida ele não fazia o obséquio de me acompanhar ao bar para tal e nunca me negaram nada, muito menos me pediram a identificação e tenho a dizer que antes de chegar à maioridade, eu era uma trinca espinhas que nem sequer disfarçava a idade que tinha, na volta parecia sempre mais nova. Falando do que vejo… melhor nem falar. Nos bares, hoje em dia e já aqui falei do assunto cada vez se vê o pessoal mais novo a beber. E em exagero. Sim. A minha opinião passa por aí. Hoje em dia a canalha bebe para se divertir, o que chega a ser bastante preocupante e vergonhoso as figuras que se vê, já não falando do sentido pior da saúde. Claro que no meu tempo de juventude também se bebia, mas era diferente, nós divertíamo-nos e bebíamos. Mas nunca com o exagero que é hoje. Em pessoal cada vez mais novo. Não esquecendo que hoje em dia as mulheres chegam a ser mais exageradas que os homens. Foi há pouco tempo a primeira vez que vi alguém pedir a identificação a menores porque queriam comprar umas garrafas de bebidas brancas. E foi num hipermercado. Porque nos cafés, bares e discotecas (locais onde mais álcool se vende) dificilmente acredito nesse controlo. A lei do dinheiro e do vender ainda é mais aliciante do que andar na lei.

30
Jan15

Do hoje.

Maria

Não gosto de formações à sexta-feira que se estendem perto da hora de almoço. Começo a ficar com fome e depois não ouço metade daquilo que preciso porque o meu subconsciente “não está nem aí”. Não gosto de fins de mês ao fim-de-semana em que para prazos de serviços públicos não passam ao próximo dia útil. Não gosto de leis em cima do joelho e o “tuga” que se amanhe. Não gosto de estar sempre a bater na tecla em ficheiros, códigos, números, valores. Não gosto de ter que ligar a técnicos porque quando “pareço um burro a olhar para um palácio” nem sei bem por onde começar para me esclarecer qualquer coisa, ou tudo. Não gosto quando ligo para um serviço público e recebo como resposta “não sei” (mas que car@lho estão ali a fazer? Se não sabem, vou saber eu?)! Não gosto de leis que depois da prática não servem para todos encaixar a carapuça. Não gosto de em dias destes em vez de olhar lá para fora para desanuviar com um céu azul e solzinho, ver só nevoeiro e a aquela chuvinha virada a vento a bater nos vidros. Assim mesmo sempre certinha que até me desalinha o "tico e o teco". Conclusão: Está tudo hoje com uma morrinhice que não se pode. Nem parece(-me) sexta. Baah.

27
Out14

Dúvidas existenciais! #12

Maria

Penso no que fará o apostador do Euromilhões que ganhou na sexta-feira o primeiro prémio de 190 milhões depois de receber o valor de 152 milhões. Penso no que estará a fazer agora, esse apostador que pelos vistos ainda não reclamou o prémio. Mas aquilo que me causa urticária é, por uma lei parva que nem o diabo percebe mesmo que se interesse, que raio vai fazer o estado com os 32 milhões extra que lhe vão entrar no bolso?

22
Abr14

IMTT, uma vergonha.

Maria

Por razões parvas tive que fazer a alteração da morada na minha carta de condução. Mais precisamente acrescentar o número da porta. Tarefa difícil. Parece-me, pois devido a esta alteração à qual fui obrigada se não quisesse ser autuada por o número da porta não constar na carta de condução, estou há oito meses sem a mesma. Uma vergonha inaceitável. Um serviço ser tão demoroso. Uma vergonha o trabalho do IMTT ao qual não arranjo qualquer tipo de desculpa para a alteração de um documento ter um tempo de espera destes. Além desta pouca vergonha de serviço, ainda temos que nos dirigir ao IMTT ou ao balcão de cidadão para carimbar a guia que nos dão por um período de 120dias. Ora no meu caso, tenho que fazer cerca de 35 klms para a loja de cidadão mais perto, esperar com muita sorte uma hora e levar um carimbo numa guia que segundo o ultimo agente de autoridade com quem falei numa operação stop ainda me disse “sabe, você não pode conduzir fora do país com essa guia” ao qual prontamente respondi, é a pobreza dos serviços que temos em Portugal.

Uma desilusão. Uma trabalheira para nós por incompetência de outros. Não se admite. Não há desculpas. Oito meses para fazer a alteração da merda de um número de porta aquando a junta de freguesia resolve mudar a toponímia da mesma. Que incompetência. Que vergonha ter serviços destes. Que vergonha esta, num país como este pagar-se 60 euros se não mudares o número da porta na tua carta de condução mas no entanto um serviço demora, no meu caso e para já, oito meses a imitir um documento e consequências zero.

15
Out13

A nova lei da treta sobre a circulação de bens.

Maria


E a palhaçada começa hoje. Eu sei que muitos são os que esta lei passa ao lado, muitos são os que gostariam que passasse mas não passa. Isto desde o início da fase de “teste” que é uma grande treta usar. A comunicação electrónica dos documentos de transporte é obrigatória  desde o dia 1 de Julho, mas o Governo deu um período de adaptação a este novo regime até hoje, 15 de Outubro, data a partir da qual as autoridades  podem aplicar coimas e apreender mercadoria aos incumpridores.  E é aqui que já se sabe que a partir de hoje eles vão andar aí like dogs em busca da multa. Sim sim, as coisas são mesmo assim, porque todos sabemos que quando é para fazer dinheiro vai tudo à frente, e partindo pelos senhores do governo o que eles querem é dinheiro a entrar nos bolsos, perdão, nos cofres do estado, logo importa lá bem se as leis que criam servem para alguma coisa ou não. Isto é, toda a mercadoria que saia aqui do estaminé tem que ser comunicada antes às finanças para isso as empresas, que já não têm encargos e impostos fiscais que cheguem, tiveram que se actualizar com programas informáticos para a tal comunicação, mas essa falha muitas vezes, porque imaginem num país terem um portal para todo aquele que transporta uma mercadoria aceder, é claro que dá barraca, erros e muitos nervos em franja. E lacunas na lei muitas. Mas isso não importa. Importa é que é lei e havendo ou não condições para, tem que se cumprir.

Sobre mim

foto do autor

Espreitem Como eu Blog

Expressões à moda das “tripas” do Porto!

Sigam-me

<>

INSTAGRAM

<>

<>

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sorriso desde 11/02/09

<>

<>

Twita-me

<>

<>

Pesquisar

Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D