Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

SorrisoIncógnito

Todo o sorriso é apaixonante devido ao incógnito que o ofusca! SORRIR_um estado de espírito...

29
Abr19

Faceweek*

Maria

IMG_20190429_105311.jpg

Aqui ficam alguns looks que usei na semana passada. Poucos, que entre "dois feriados" a coisa esqueceu-se. Tem estado um tempo típico de Abril que nos deixa desNORTEados. Fez frio. Muito frio. Chuva e mais chuva. Trovoada. Granizo. Neve na serra. E acabamos a semana com sol e calor. Isto não combina com sanidade mental e por isso dá-se um desconto à falta.

IMG_20190429_105449.jpg

Foram encontros à mesa e por mais que eu diga que estou a cerca de quinze dias de um casamento e que devia fazer uma dieta a pão e água para caber num vestido, assim que me põem comida à frente esqueço. E isto desde a Páscoa tem sido a desgraceira. Tive um jantar de família típico da zona. E que eu não gosto nada (adoro!) anho assado e arroz no forno a lenha. À beira da fogueira porque nesse dia estava um gelo (há uma semana)!

Ali estão as minhas sapatilhas antes mesmo de ir treinar com muita chuva e frio lá fora. Foi um acto de negação até à hora de ir. Mas fui.

No fim de semana estive no Porto, tempo bom. Sempre a correr e não fiz metade do que ia fazer. Arrumei prendas e já não foi mau. No mesmo dia almocei cachorro com molho de francesinha e jantei pizza das melhores pizzas que conheço em forno a lenha. O que me devia fazer valer uma semana sem comer, só que não. No dia a seguir (ontem) tive a festa de aniversário do meu Pai. Um dia à volta da mesa portanto. E é isto. Comprei o batom do beijo da @Quem disse, berenice? aprovado pela @Helena Coelho no tom vinhe. Estou a usa-lo hoje e a fazer a prova dos nove a dar beijos sem medo. Vejam tudo nas stories do instagram.

IMG_20190426_200941_215.jpg

O pormenor da ultima manicure feita! Verniz da @Andreia nº H34 Hibridgel!

Podem sempre acompanhar todas as novidades: 

26
Mar19

Peripécias deste lugar à beira Pólo Norte plantado.

Maria

Em dias de vento agressivo como está, havia de filmar uma noite aqui, um bocadinho abaixo do Pólo Norte porque vocês já conhecem as minhas peripécias com o vento, mas isto só visto.



Não encontrei um único caixote do lixo em pé. Encontrei muitas árvores caídas, seguradas pelos fios. Ramos a voarem, estrada completamente cheia de porcaria arrastada do vento. E uma noite mal dormida a pensar quando a casa descolava e acordava noutro lugar.

O vento começou já ontem ao início da noite e só piorou até agora de manhã. Não é como nas tempestades que vem umas rajadas bem fortes e pára. Foi toda a noite com rajadas fortes e a levar tudo pelo ar.

As persianas lá de casa, pareciam automáticas a terem um piripaque. Por volta das cinco da manhã acordei, ouvia-se um barulho estranho, algo de plástico ao reboliço cá fora, a bater contra tudo.

A caminho do trabalho encontrei de tudo nas bermas da estrada, vasos, cadeiras de plástico e afins. Passei por tempestades de areia que só visto e trouxe folhas agarradas ao pára-brisas do carro. Uma balbúrdia!

Passei por uma senhora que ia a segurar nos óculos com as duas mãos enquanto tentava andar quase sem sair do sítio, assim como de repente andou dois metros, se no sentido correto não sei! 

O vento é gelado e preciso de trazer o cabelo bem amarrado para andar lá fora.

É isto. Coragem Maria! Coragem! Tu sabes, a vida não é fácil para quem mora ali um bocadinho abaixo do Pólo Norte.

15
Fev19

A minha rua é melhor que a tua #9

Maria

Ontem quando cheguei a casa, o comer já estava no forno quase quase pronto. A mesa para o jantar também já estava posta e inevitavelmente reparei com um prato a mais. "eu não trouxe ninguém para jantar cá a casa" digo eu, acompanhada de uma gargalhada que acabou por ser geral. Diz o meu pai "ainda vais ter um first date sem contar!", mais gargalhadas claro!

Não, diz a minha mãe. Sabes, hoje vem cá jantar a vizinha (uma vizinha que mora sozinha). Disse-me que hoje o filho não vinha jantar com ela e eu, como fiz comer que chegue disse-lhe para vir cá jantar connosco. Afinal de contas ela também me tinha dado umas batatas um dia destes. Vá, e hoje é um dia de amor. 

Compreendem agora quando eu digo que a minha Rua é melhor que a tua? Pois, é isto. E a minha Mãe é a maior. Óbvio!

13
Fev19

A minha rua é melhor que a tua #8

Maria

Está um dia incrível. A puxar um bom dia de Primavera em pleno Inverno. Mesmo que hoje tenha saído de casa pela manhã com os termómetros a marcarem quatro míseros graus, agora à hora de almoço está um quentinho bem bom e um sol (que faz mal) que é um desperdício não aproveitar.

Fui por isso almoçar a casa e aproveitar as minhas duas horas de almoço. Acabei de almoçar e vim sentar-me ao fundo das escadas, ao sol. Os meus pais também. Apareceu logo a minha afilhada com a mãe. Apareceu também uma outra vizinha que nos ouviu falar e ali se sentou para dar duas de letra. Apareceu de seguida mais outra (minha ex sogra por acaso) que aproveitou para nos trazer uma abóbora do seu quintal. E mais dois dedos de conversa.

Eu podia ter aproveitado o fim da hora de almoço para passar no café ou na padaria para um cafezito e coisa e tal. Mas eu gosto daquela convivência. Eu gosto dos meus vizinhos. Eu gosto do dar e receber que ali se consegue. Eu gosto das conversas sem serem intrometidos. Eu gosto das ajudas que somos todos uns para os outros. Eu gosto de lhes perguntar se está tudo bem, porque continuam a ser os primeiros a aparecer se estou doente.

E por isso me custou ainda mais, quando me levantei peguei na mala e soltei um até logo que tenho que ir trabalhar.

Eu sei que muitos não sabem sequer o que isto é. Mas é isto que me faz gostar tanto de viver ali. A minha rua é melhor que a tua. É isso.

25
Set18

A minha rua é melhor que a tua #7

Maria

Lembram-se do meu vizinho que a família não ligava nenhuma e que era ajudado por todos lá na rua? Devido à doença, abandonou a casa onde estava, neste momento está num hospital a ter cuidados continuados. Infelizmente nunca mais o vi, mas vamos sabendo notícias, sei que já tem familiares que o visitam, sei que não fala desde o seu internamento no IPO e poucas visitas pode receber porque fica muito ansioso por não poder falar e ainda é pior. Infelizmente. Mas lembro-me imensas vezes dele e sei, que se ali continuasse todos os vizinhos o continuavam a ajudar...

Como disse ele saiu da casa onde estava e foi para lá viver um casal idoso. Deram-se as boas vindas e nunca houve muita conversa, a senhora lá anda na sua vida e o senhor é acamado. Só há uns dias após comprar uma máquina de lavar roupa pediu-me se lá podia ir explicar como a coisa funcionava. E eu lá fui. Agradeceu-me de cada vez que lhe expliquei alguma coisa.

Na sexta-feira à noite estava a chegar a casa e ouvi uns gritos. Esperei para ver de onde vinham e ouvia alguém a chorar desesperadamente. Estava eu ainda na rua quando a minha mãe vem cá fora também com o barulho. Apercebemos-nos que era da casa dessa vizinha. Corremos até lá, encontramos outra vizinha também a lá chegar e... a senhora estava desesperada. Tinha acabado de receber a notícia por telefone que o marido falecera no hospital para onde tinha seguido durante a tarde.

A senhora na casa dos oitenta anos por volta da meia noite e meia recebeu aquela notícia sozinha em casa. Já tinha chamado a filha mais próxima. E ficamos ali a tentar acalmar aquilo que nestas alturas não se acalma. O coração de quem ama. Chegou outra filha e estávamos nós, as vizinhas que se aperceberam ali com o sofrimento daquela mulher.

Já mais tarde, quando começaram a chegar familiares, retirei-me para fora de casa e ali à porta uma das filhas agradecia o termos ido logo lá. Vezes sem conta agradeceu.

E Eu só pensava no quanto os vizinhos nos podem ser.

Não lhes retiramos a dor. Mas não assobiamos para o ar enquanto o "vizinho do lado" esmorece aos poucos.

Eu já disse que a minha rua é melhor que a tua? A minha rua é melhor que a tua. É isso.

04
Mai18

Karma is my middle name.7

Maria

Durante cerca de um mês não usei um kispo meu e depois quando me lembrei de o vestir, porque ia levar um outro para a lavandaria, cadê?

Ora, era o eras.

Vi em toda a casa. Todos os cantinhos. E é um kispo minha gente, nada que não tenha imenso volume e tem um carapuço cheio de pê-lo que se vê ao longe. Vasculhei tudo. E pus os meus pais a vasculhar. Gavetas, armários, debaixo das camas (era para ver tudo), nos carros, na esteticista. Cuidei de ligar para todo o lado. Que figura a minha. Para os meus amigos. Às lojas em que me lembrava ter ido com ele e podia ter deixado lá... Até para a lavandaria só naquela de lá ter deixado para limpar sem me lembrar (quem nunca?! pois se calhar só mesmo eu).

Passado mais de quinze dias liga-me a minha mãe a dizer "Maria isto parece mesmo impossível mas... imagina o que estava aqui no armário mesmo assim à vista?"

Pois...

 

* ou de como «No creo en brujas, pero que las hay, las hay» 

06
Fev18

Peripécias deste lugar à beira Pólo Norte plantado.

Maria

-2ºC 

Quando o teu rádio, como forma de protesto por o teres deixado a dormir ao relento resmunga contigo. E como? Remetendo-se ao silêncio...

20180206_090040.jpg

 

Sim é isto. Até o rádio parou de funcionar. Por isso imagino as temperaturas de madrugada...

As manhãs no inverno estão longe de serem aquilo que tu achas que elas poderão ser.

Se gostas de olhar pela janela para teres uma primeira impressão de como estará o dia cá fora, esquece. Está tudo muito bonito. Céu azul lindo. Poucas nuvens. Sol radiante. Pões um pé fora da porta e os dois graus negativos até te congelam a alma.

Aquele descer as escadas a olhar para o carro é o processo mais doloroso, muito mais que a espera da água na mangueira congelada. E é toda uma ventura para te lançares à estrada.

Coragem Maria, coragem. Tu sabes, a vida não é fácil para quem mora ali um bocadinho abaixo do Pólo Norte.

01
Fev18

A minha rua é melhor que a tua #6

Maria

Sim. Por aqui continua-se a ter os melhores vizinhos. Principalmente quando te dão "bons dias" tão - digamos que - originais.

Hoje vou a entrar no carro para vir trabalhar e ouço a bom som da janela da minha vizinha:

"Se tivesse um filho homem dava-to! Oh rapariga mai' jeitosa pá"!

Eu já disse que a minha rua é melhor que a tua? Pelo menos conseguiu fazer com que a minha viagem para o trabalho não passasse sem umas boas gargalhadas. A minha rua é melhor que a tua. É isso.

23
Jan18

34 ❤

Maria

Ontem quando me deitei, antes mesmo de me preparar para ver todas as mensagens que recebi (e ainda não consegui ver -mas já li algumas deliciosas) procurei uma fotografia da festa para partilhar. Não tinha. Não tenho fotografias da minha festa de aniversário ontem (vá tenho uma do bolo e uma de um ramo que vieram cá entregar a casa de um amigo meu).

Só tive tempo de dar conta que não tinha fotografias e nem sequer consegui ler uma mensagem - Aterrei. Adormeci de coração carregado, cansada, mas com aquela sensação que aproveitei muito bem o que me deram.

Consegui juntar as minhas duas afilhadas, coisa que não é fácil e nem assim tirei uma fotografia com as duas para mais tarde recordar. Consegui juntar dos meus amigos mais importantes com os meus pais e não tenho uma fotografia que seja. Nenhuma do jantar. Nem de cantar os Parabéns, nem dos brindes. Nem das gargalhadas. Das minhas afilhadas no colo dos meus pais. Das partilhas.

A única explicação que tenho é que, tudo foi tão preenchido e "saboreado" por mim, por nós, que os telemóveis foram secundários.

Às vezes parece impossível, mas o facto de acontecer é que estamos a viver o momento. Ontem era o meu e eu vivi. Aproveitei-o. E apesar de atender as chamadas, as mensagens já não consegui tomar conta. Não fui egoísta, mas tinha que aproveitar a festa e os meus, caso contrário não conseguiria aproveitar nada.

E hoje não tenho fotografias mas tenho uma memória fotográfica recheada. Cheia de emoções e um coração a transbordar.  Tenho uma felicidade em mim de ter momentos como este que me fazem ver o que vale realmente a pena. Aproveitar o momento com quem nos acrescenta é sem dúvida um mote para este novo ano meu.

Vocês que por aqui passam e ficam. Uns mais que outros vão fazendo parte.

27023863_1730176543705293_653247550548272797_o.jpg

 

Obrigada. OBRIGADA de coração às mensagens que recebi. Às palavras que me deixaram, tanto aqui no blog como no mail, facebook e instagram. Obrigada por esses sorrisoincognitos e acima de tudo obrigada por me ajudarem a continuar a sorrir. Beijinho e mil sorrisos!

Venham mais. Sim são 34 anos de sorrisos.  Estou feliz! ❤

Sobre mim

foto do autor

Expressões à moda das “tripas” do Porto!

Espreitem Como eu Blog

Sigam-me

<>

INSTAGRAM

<>

<>

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sorriso desde 11/02/09

<>

<>

Twita-me

<>

<>

Pesquisar

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D