Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

SorrisoIncógnito

Todo o sorriso é apaixonante devido ao incógnito que o ofusca! SORRIR_um estado de espírito...

10
Out18

A saúde deste País

Maria

As greves as greves...

Sinceramente eu nem sou muito de comentar as greves que se fazem neste país, mas quando toca à saúde a coisa custa-me.

Custa-me na parte de toda a gente é livre de fazer greve e os funcionários públicos fazem-nas.

Mas depois conhecer alguém com cancro que tinha operação já algum tempo marcada para amanhã e que lhe ligam a avisar que devido à greve dos enfermeiros não pode ser operada e depois marcam novamente operação é inexplicável.

«Se calhar estão à espera que uma pessoa morra para ser chamada para ser operada.»

Encolho os ombros mas... se calhar... e isto é tão triste.

21
Abr16

Assim vai o nosso país.

Maria

Esta polémica instalada sobre o governo mudar ou não o nome do Cartão do Cidadão para Cartão de Cidadania, faz-me lembrar um pouco aquela cena do mundo actual, em que há uma situação mais caricata ou alguém precisa de ajuda e as pessoas querem é fotografar e "discutem" se o devem fazer com ou sem flash ou qual o melhor ângulo da foto. O verdadeiro problema não interessa, interessa é, porque sim, o que for interesse para cada um. A discriminação está na nossa cabeça e cada um reflecte a sua.

Comparações estúpidas assim como "leis" que são propostas para voto.

Na realidade há todo um país cheio de problemas realmente importantes para discutir e discute-se isto.

07
Nov15

"Feitas as contas, assim é difícil encontrar Portugal."

Maria

 

"Um nojo que cresce, e a vida como se nada fosse. Uma bola no estômago em forma de raiva, e vergonha, e tudo. Ricardo Salgado vê a sua caução ser reduzida para metade pelo Tribunal Central de Instrução Criminal. Dos antes 3 milhões, terá que pagar apenas um milhão e meio para limpar a sua vida que não tem por onde ficar mais suja. Na mesma semana, como nos filmes maus, fica a saber que a sua reforma vai triplicar para um valor de 90.000€. Isto num país que tem de encontrar moedas entre as almofadas do sofá para pagar o dia de amanhã. E a vida segue, e o sol nasce, e nada acontece. A impunidade a qualquer preço num país que não merece ser pontapeado desta maneira. A merda que passa e acena a quem fica. O nojo que cresce. Merda por todo o lado, e mais merda. Merecíamos melhor. Merecíamos que a corrupção fosse punida por quem tem a responsabilidade jurídica e moral para o fazer. O país a ser defendido por nada. O que nos protege é um antibiótico que mata. Espalha a doença e segue, ninguém viu. Vítimas do BES com vidas destruídas por alguém que agora sai premiado. Mereciam melhor. É um país ao contrário, que já perdeu os sapatos, calça meias de cores diferentes e nada acontece. Amanhã tudo segue como ontem. Nada acontece a quem compra a liberdade nas traseiras de tudo. Assim é difícil acordar todos os dias. Assim é difícil não querer chamas e fogo e gritos. Feitas as contas, assim é difícil encontrar Portugal."

 

Bruno Nogueira no seu Facebook

Aplaudo de pé estas palavras. Vergonha deste meu pais tão bonito para fora, para olhos de outros com tanta podridão cá dentro. Por maus governos, más pessoas e grandes vigaristas. Por demasiada corrupção ao colinho. Por o grande ser sempre ajudado e o pequeno sempre espezinhado. País em que os inocentes vão parar à cadeia porque alguém se lembrou de lhes apontar o dedo e onde os maiores filhos da fruta estão em casa a desfrutar do que o dinheiro que roubaram lhes proporciona. Vergonha. Vergonha por saírem sempre impunes os mesmos. Porque alguém lhes dá essa hipótese. Mesmo jurando de braço levantado pela nossa Republica que farão sempre justiça. Afinal, o que é a justiça?

06
Out15

Constatação *123* (ainda do 5 de Outubro)

Maria

Ontem 5 de Outubro, comemora-se em Portugal a Implantação da República.

Cavaco Silva, Presidente da República, não compareceu às comemorações no dia de ontem, ex-feriado, apenas porque sim. Devia ter mais que fazer. Apraz-me dizer que é como sermos convidados para ir à festa da caipirinha e só terem água das pedras.

05
Out15

Legislativas 2015

Maria

Bem vistas as coisas Portugal está muito bem. Não sei porque os portugueses tanto se queixam. A vida por cá anda bela e maravilhosa. Meus queridos amigos e familiares emigrantes, voltem para o vosso país. Deixem-se de merd@s e de quererem estar longe dos vossos. Portugal está bem. Aqui vive-se bem e a vida principalmente a nível de trabalho está óptima, tão só por isso, continua-se com os mesmos.

Não quero com isto dizer que plenamente outro seria a solução, quero com isto dizer que ao estar mal o diferente é uma hipótese de poder ser melhor.

Provavelmente nestes próximos quatro anos muitos dos que vão ler este post terão que emigrar, incluindo esta que vos escreve.

Obrigadinha.

P.S.: Lembrar que hoje podia ser feriado não ajuda!

 

30
Abr15

Alguém jogou "Monopólio" demasiadas vezes.

Maria

Portugal vende tudo, tipo “Monopólio”. Esse monopólio que era nosso, deste pequeno país à beira mar plantado, repleto de riquezas tão suas. Foi tempo. Agora vende-se tudo, desde empresas de renome nacionais a pedaços desta terra. Cada vez estamos mais escassos. Apenas se esquecem que no fim de vender tudo e outros tantos comprarem, não se fecha o “tabuleiro” e guarda para depois quando se tornar a pegar poder voltar à estaca zero e vender-se tudo novamente. O cúmulo mesmo é chegar a vender pedaços desta nossa terra, mas como já aí chegamos tudo o resto é apenas descer mais baixo. E então o que é que Portugal tem? Nada. Basicamente um dia destes é isto. O verbo ter passar-se-á a usar apenas no passado. Portugal tinha… já não tem. E também já há tanta gente que “se vende” que um dia destes também se acham no direito de nos vender. E nós cada vez por cá somos menos, mas parece-me que a tendência não está para melhorar. É que não tarda chega o dia que nada mais há para vender e depois Portugal, como é?

Cada vez estamos mais escassos e cada vez essa escassez é de valores, isso sim preocupante.

15
Abr15

Aumento da idade mínima para o consumo de bebidas alcoólicas.

Maria

Quer o governo agora alterar a lei e proibir o álcool (sem distinção para a cerveja e o vinho) a menores de 18. Eu acho muito bem mas (e porque há sempre um “mas” e quando falamos de leis portuguesas na sua maioria valem mais os “mas” que as leis)… do concordar, ao estar correcto e à prática… a distância é tão grande que lá se vai a eficácia.

Façam-me um favor poupem os papeis e as burocracias e o dinheiro gasto em mais uma lei que não interessa nem ao menino Jesus. Isto em termos práticos. É mesmo assim. Falando por experiencia própria, eu comecei a sair cedo, com o mano, ele mais velho mas na hora de pedir uma bebida ele não fazia o obséquio de me acompanhar ao bar para tal e nunca me negaram nada, muito menos me pediram a identificação e tenho a dizer que antes de chegar à maioridade, eu era uma trinca espinhas que nem sequer disfarçava a idade que tinha, na volta parecia sempre mais nova. Falando do que vejo… melhor nem falar. Nos bares, hoje em dia e já aqui falei do assunto cada vez se vê o pessoal mais novo a beber. E em exagero. Sim. A minha opinião passa por aí. Hoje em dia a canalha bebe para se divertir, o que chega a ser bastante preocupante e vergonhoso as figuras que se vê, já não falando do sentido pior da saúde. Claro que no meu tempo de juventude também se bebia, mas era diferente, nós divertíamo-nos e bebíamos. Mas nunca com o exagero que é hoje. Em pessoal cada vez mais novo. Não esquecendo que hoje em dia as mulheres chegam a ser mais exageradas que os homens. Foi há pouco tempo a primeira vez que vi alguém pedir a identificação a menores porque queriam comprar umas garrafas de bebidas brancas. E foi num hipermercado. Porque nos cafés, bares e discotecas (locais onde mais álcool se vende) dificilmente acredito nesse controlo. A lei do dinheiro e do vender ainda é mais aliciante do que andar na lei.

10
Dez14

TAP e as greves e quem se lixa é o Zé povinho.

Maria

Eu nunca vou perceber estas cenas. Nem quero. E é por isso que tenho pelo dinheiro um sentimento de amor-ódio. E pelo poder. E é por isso que não sou nada materialista. E talvez seja por isso que as pessoas que idolatram o dinheiro sejam-me coisinhas. É por isso que tenho em mim uns valores que me lixam em muitas situações mas caramba, no fundo vim a este mundo para no mínimo gostar de mim e gosto assim. Eu nunca vou perceber, porque é que se lembram de fazer tantas greves. Aliás percebo apenas e basta, que o fazem porque não trabalham para o privado e não levam com leis e com as regras do privado, estão habituados a trabalhar para o público e tudo é muito bonito quando querem bater o pé, fazem greve. Dizem que é para chamar a atenção dos grandes, mas sempre, sempre quem se lixa é o povo. Os pequenos. Aqueles que precisam do serviço. Aqueles que por um ou outro motivo davam muito para aquele serviço estar a funcionar mas quem lá está e porque nunca se está satisfeito, faz greve. Dizem que é para alertar aqueles grandes, mas esses é para o lado que dormem melhor, já para os pequenos que afectam causa insónias. O pessoal da TAP está sempre a fazer greves. Independentemente do que os move, quando dizem que o objectivo "é sensibilizar o governo" e marcam uma greve para o período entre o Natal e a Passagem de ano quem é que realmente vai ficar sensibilizado? Quem é que vai sofrer? Aqueles imigrantes que passam o ano a trabalhar fora e vêm a casa  e perdem horas e horas no aeroporto. Ou aqueles que não conseguem passar a noite de natal com os seus, mas arranjam um tempinho para ir ali dar um abraço, no entendo metade do tempo de viagem é perdido nos aeroportos.

Dando um exemplo pessoal. A TAP nesta altura rouba cada um de nós que queira ir à Madeira ou vir de lá (viajar no nosso país è um roubo) uma pipa de massa. Ah e tal e coisa é época alta. Mas acho um descalabro os preços. O meu irmão e família não vêm cá passar o Natal porque acho uma estupidez pagar por três pessoas (uma delas criança) dentro do próprio país 1500 euros por uma viagem. Sim, sem hotel, sem nada. Simples viagem. Para vir passar o natal com os pais e a família. Quando, se puder, um mês à frente com sorte consegue uma viagem para os três por 300/400 euros. Parece brincadeira não é? Mas não é. Possa mas depois não dá, porque os compromissos não deixam e as férias são nesta altura, época alta, temos pena. Acontece o mesmo comigo, eu que tenho férias nesta altura adorava ir passar as férias com eles. E não é pela passagem de ano, porque já lá passei mais que uma vez e não era isso que me leva lá, mas sim eles. Mas pedirem-me 500 euros pela simples viagem, quando este ano já lá fui e pela mesma viajem paguei 95 euros... Brincam comigo? Não! Brincam com toda a gente que tem coração e a infelicidade de ter a família à distância por esse mundo fora, perdão, por esse Portugal fora. É uma realidade triste. Mas é a que temos. 

Ah então quer dizer tu és roubada com uma viagem de 500 euros dentro do teu próprio país e ainda tens a sorte de calhar greve nesses dias o que pode muito bem acontecer tu perderes horas no aeroporto a roubar o pouco tempo que tens para a viagem e que foi caríssima certo? Certo. Porquê? Para sensibilizar o governo. E que tens tu a ver com isso? Sou eu que me fodo. Sou Zé Povinho. E isso basta. E quem faz greves a pensar no governo e as pessoas que realmente afectam? Não. Não interessa(m).

27
Out14

Dúvidas existenciais! #12

Maria

Penso no que fará o apostador do Euromilhões que ganhou na sexta-feira o primeiro prémio de 190 milhões depois de receber o valor de 152 milhões. Penso no que estará a fazer agora, esse apostador que pelos vistos ainda não reclamou o prémio. Mas aquilo que me causa urticária é, por uma lei parva que nem o diabo percebe mesmo que se interesse, que raio vai fazer o estado com os 32 milhões extra que lhe vão entrar no bolso?

Sobre mim

foto do autor

Espreitem Como eu Blog

Expressões à moda das “tripas” do Porto!

Sigam-me

<>

INSTAGRAM

<>

<>

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sorriso desde 11/02/09

<>

<>

Twita-me

<>

<>

Pesquisar

Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D