Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

SorrisoIncógnito

Todo o sorriso é apaixonante devido ao incógnito que o ofusca! SORRIR_um estado de espírito...

16
Jun20

365 DNI - o filme!

Maria

Estava em número 1 dos mais vistos em PT na Netflix e lá fui eu ver um filme para quebrar o meu ciclo de séries. 

365 dni

 

Nem sei bem por onde começar,  não querendo fazer spoilers mas dar dicas, aquilo só vale a pena pelo jeitoso do protagonista, e mesmo assim... É um drama erótico, diz. Mas... há umas cenas calientes um bocadinho forçadas por um enredo que não me cativou lá grande coisa. Para mim, só aquele joguinho do início foi o mais interessante. E não vou falar do final!

Mas gajas que me lêem, o homem dá na vista ai isso dá! Só. 

 

11
Abr20

Milagre da Cela 7 (Netflix)

Maria

1926679.jpg

 

"Preso pelo homicídio da filha de um comandante, um pai com deficiência intelectual tem de provar a sua inocência e regressar para junto da sua filha."

 

Um filme forte. Um murro no estômado daqueles! Uma realidade tão esmagadora. Um filme emocionante! Comovente. Intenso. Das fragilidades da sociedade. Do abuso do poder.

 

26
Mar20

Fala-me de Um Dia Perfeito (Netflix)

Maria

Frase do filme: Às vezes a pessoa que mais precisas, precisa mais de ti.

 

Dois adolescentes lidam com problemas pessoais e criam uma forte ligação, enquanto embarcam numa viagem para documentar os locais mais deslumbrantes do Indiana.

Violet Markey (Elle Fanning), uma rapariga introvertida devastada pela morte da sua irmã, recupera a alegria de viver quando conhece o excêntrico e imprevisível Theodore Finch (Justice Smith).

06
Dez19

Desafio de escrita dos pássaros #13

Maria

» Reescreve o final dum filme «

desafio passaros.JPG

 

Quando Ana revela em tribunal que só estava a fazer aquilo porque Kate lhe tinha pedido para a deixar ir porque estava pronta para morrer, toda a gente ficou em choque. Mas Ana queria fazer isso mesmo.

Assim que chegou a casa e foi ter com Kate que estava descansando, disse-lhe que estava tudo a correr como planeado. Kate estava enjoada com um novo medicamento mas na verdade estava a sentir-se melhor.

No dia seguinte, quando Kate realizou uns últimos exames no hospital o médico viu resultados incríveis que estavam a ser fruto do novo tratamento ainda experimental.

Assim que ficaram sozinhas no quarta, Ana perguntou a Kate se queria mesmo que ela desistisse ou se ainda acreditava que podia não ser a hora certa e ela não estar preparada para partir.

 Kate confessou que as palavras do doutor a deixaram sensível e esperançosa.

Kate conseguiu chegar ao dia da operação e a mesma correu bem.

Enquanto esperavam Kate acordar, Ana falava com o advogado, Campbell e este perguntava-lhe se Ana queria mesmo continuar com o processo contra os pais, ao que Ana respondeu que sim.

- Quero muito fazer com que a Kate possa ser feliz e viver mais, mas quero muito também ser eu a decidir o que fazer com o meu corpo - respondeu Ana.

Assim que Kate acordou, a família estava toda reunida na sala e Sara a Mãe pediu-lhe desculpa por nunca ter visto os sinais de que ela queria partir porque estava pronta, mas sempre acreditou num milagre e porque não está preparada para ver uma filha partir! Pediu também desculpa a Ana, por a ter usado para salvar a irmã, mas que sabia que um dia Ana ia dar ainda mais valor a isso.

Passaram-se uns dias desde a operação de Kate.

Já em casa com alta e a recuperar, Kate agradecia a Ana por a ter salvo e por, mesmo quando deixou de acreditar Ana estar sempre do lado dela.

A campainha tocou e era o advogado de Ana.

Ana tenho uma notícia para lhe dar, ganhamos essa batalha, agora és uma menina emancipada e és tu quem decide o que fazer com o teu corpo.

Senhor Campbell, a batalha já estava ganha com a esperança que a minha irmã ganhou com este novo tratamento que está em fase de teste mas que eu acredito que a vai salvar.

Novo final do filme "My Sister's Keeper".

 Vejam outros textos meus para este desafio aqui.

28
Jun19

Cafarnaum - "Prepare-se para ficar perplexo"

Maria

 

Há muito que não via um filme tão forte em termos emocionais, psicológicos e com aquele murro no estômago de uma realidade que existe. Que nós sabemos que existe. Mas que no fundo, não sabemos o quão má, podre, desconcertante, desgastante, imoralmente real, triste, dolorosa, atordoante, impensável  e infeliz pode ser essa realidade.

"Em tribunal, decidido a processar os próprios pais, Zain de 12 anos, pergunta por que é que eles o trouxeram ao mundo se não tinham condições, emocionais ou económicas, para cuidar dele. Em retrospectiva, num cenário de devastação e pobreza algures no Líbano, é revelada a sua história e as razões que o trouxeram ali.
Em competição pela Palma de Ouro no Festival de Cinema de Cannes (onde mereceu uma ovação de pé e o Prémio do Júri), um filme dramático com assinatura da realizadora libanesa Nadine Labaki ("Caramel", "E Agora, Onde Vamos?"), nomeado para o Óscar de Melhor Filme Estrangeiro. No elenco participam Zain Al Rafeea, Yordanos Shiferaw, Boluwatife Treasure Bankole, Kawthar Al Haddad, Fadi Kamel Youssef, Cedra Izam, Alaa Chouchnieh e também a própria Nadine Labaki."

 

 

Pobreza extrema. É a lei do desenrasca a fazer valer-se por si. É o não ter condições nenhumas. É o fazer o possível (e impossível) para tentar sobreviver sem saber o que na realidade deve ser viver. Surge um miúdo que de uma forma arrebatadora luta por alguma dignidade dos direitos humanos numa família que não tem a base para lhe educar sequer isso. Mas que ele não parece fruto da não educação que lhe deram. Que faz acreditar que há pessoas que têm um coração do caraças mesmo quando não têm nada, mas querem fazer ainda a diferença. E isto vindo de um miúdo é de partir o coração.

É assim que se fiquei no fim do filme. Arrebatada com tremendo aperto por uma história tão atordoante.

Este miúdo Zain, merece o melhor prémio pela desgastante personagem que faz. E sempre no melhor. Fantástico trabalho. Com expressões que nos tocam mesmo.

Valeu bem a pena.

10
Mar19

Bohemian Rhapsody

Maria

 

 

Ninguém fica indiferente às músicas dos Queen. E àquele jeito tão próprio e alucinado do Freddie!

Apetece cantar todas as músicas e ouvir o filme alto e em bom som.

 

Aquela voz. Para sempre. Em músicas que ficam também elas para sempre. Uma voz de sempre e para sempre. Músicas intemporais. Que atravessam gerações.

Não foi um filme de música. É um filme da história. Do Freddie. E de muitos de nós na sua música. 

15
Nov18

To listening ♥

Maria

Estou apaixonada por esta música.

Admirada pelo look da Lady Gaga. Encantada com o Bradley Cooper a cantar.

Não vi o filme "A Star is Born", mas estou ansiosa por ver, já que a música vale a pena.

Tell me something girl
Are you happy in this modern world?
Or do you need more?
Is there something else you’re searching for?

I’m falling
In all the good times I find myself along and for change
And in the bad times I feel myself

...

06
Ago17

Filme do fim-de-semana!

Maria

 

Só agora consegui ver este filme porque como os outros, foi combinado ver entre amigos e não tinha surgido oportunidade. Segui sempre a saga. Assim que começa sente-se logo a falta dele. É impossível os filmes voltarem a ser os mesmos. Ou melhor a trazer-nos o mesmo. Quem seguiu desde o início tem ali o lugar dele em falta. No entanto acho que se consegue uma boa homenagem e previsível a ele do Dom neste filme.

25
Jul17

"As cinquenta sombras de Grey"

Maria

 

 

Ora, nada melhor do que, estar em casa doente, de repouso, com uma "proibição" de sair de 48 horas no mínimo e arranjar o que fazer. Pois eu cá gosto de ver filmes.

Nunca consegui perceber muito bem o alarido em volta do filme. Nunca tinha visto sequer o trailer. Aliás, na maior parte das vezes gosto de ir às escuras. Os trailers tiram-nos a surpresa. Agora que vi o primeiro filme "As cinquenta sombras de Grey" também não consigo perceber, no entanto consigo perceber o porquê de quererem tanto ver o segundo. É que por exemplo a mim, seja qual for o género do filme, comédia, drama, suspense, romântico... ficar aquela ponta do véu levantada é cuticar-me e aí sou uma cusca do pior. Assim até eu, quero saber o que o Mrs Grey vai fazer com a pressa toda a sair daquela reunião com a Anastásia na cabeça.

Falta só dizer uma coisa, sim o Mrs. Grey consegue dar a volta a muita gente. E não estou a falar do sexo. Só. Estou mesmo a falar de todo aquele ar misterioso. Seguro. Confiante. Elevadores. De como as pessoas nem sempre se conhecem verdadeiramente até alguém as fazer conhecer a elas próprias. E de como muitas vezes quando entras de cabeça, sais de coração. Sexo incluído.

Por isso retiro esta da rubrica "eu nunca..." mas podem vir de lá, na mesma as chibatadas :p

_____________________________________________________________________________________________

 

 

ADENDA:

Já vi o segundo e a conclusão que tiro é que, acontece muitas vezes, aquela pessoa que controla, reformulo, que acha que controla - o que quer que seja - acaba por ser controlada.

No fundo, um Mrs Grey está realmente nos sonhos de muitas de nós... porque acha que controla a situação, domina vá, mas no fundo, acba por ser dominado... em tudo, no sexo também é claro, mas não só...

01
Mar17

Passengers - o Filme.

Maria

 

"Dois passageiros acordam 90 anos antes do tempo programado durante uma viagem de rotina no espaço devido a um mau funcionamento de suas cabines. Sozinhos, Jim (Chris Pratt) e Aurora (Jennifer Lawrence) começam a estreitar o seu relacionamento. Entretanto, a paz é ameaçada quando eles descobrem que a nave está correndo um sério risco e que eles são os únicos capazes de salvar os mais de cinco mil colegas em sono profundo."

 

Confesso que tinha expectativas elevadas para este filme. Acho que o final não foi assim tão surpreendente, mas gostei da mensagem que passa.

Sobre mim

foto do autor

Espreitem Como eu Blog

Expressões à moda das “tripas” do Porto!

Sigam-me

<>

<>

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Twita-me

<>

<>

Pesquisar

Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
BrandBacker Member

subscrever feeds