Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

SorrisoIncógnito

Todo o sorriso é apaixonante devido ao incógnito que o ofusca! SORRIR_um estado de espírito...

18
Fev21

FCPorto x Juventos - o jogo impróprio para cardíacos!

Maria

Por muito portista que seja, por muito  azul e branco que seja o meu coração e que estamos juntos nas vitórias e nas derrotas, por muito orgulho que seja sempre que estamos na Liga dos Campeões... ontem não era um jogo fácil. Não éramos o favorito. Não tinha do meu lado a despreocupação garantida de algo a favor do [meu] Porto. Admito e como acredito que muitos adeptos se sentissem. Do outro lado estava uma Juventus em que dita a história tinha tudo a favor. E além da história tem uma equipa repleta de individualidades de topo mundial, sem sequer falar no melhor do mundo, Cristiano Ronaldo (e eu estava lá quando Ronaldo marcou aquele golaço no Dragão pelo Manchester United em 2009).

 

Acontece que a bola é redonda. Que continuei a manter a esperança. E que fui para assistir ao jogo com a verdadeira noção que podíamos sair de lá com uma derrota gorda mas com confiança que deixássemos em campo a alma dos verdadeiros dragões e a raça que nos é característica.

Um jogo às oito, no pós jantar é um jogo que tem tudo para não correr muito bem. O nervoso apodera-se cá dentro e a cada minuto o coração bombeia com tanta intensidade que não só parece que sofremos de incontinência urinária como há um turbilhão lá dentro nada aconselhável para hora de digestão.

Adiante.

Entramos em grande. No primeiro minuto o nosso primeiro golo. Há quem lhe chame sorte eu acredito no sentido de oportunidade de Taremi que se fez ao lance acreditando que valia a pena e valeu.

Vimos de uma linha muito exigente de jogos, a cada três dias um, seja para o campeonato, para a taça ou para a liga. E isso mói.

Mas ontem vi um Porto a entrar com determinação com a garra que nos mostra muitas vezes nestes grandes jogos e com a mística que nos faz estar lá, na Liga dos Campeões. Fez-me acreditar que podia ser ao anular o pouco jogo da Juventus. Ao fazer com que Ronaldo não fosse assim tão notado e a criar oportunidades que chegou a desperdiçar. Deram o que tinham que dar em campo. Acredito que muito do que lhes foi pedido pelo Conceição e que assim tinha que ser.

Vi um Sérgio Oliveira que saiu de rastos do último jogo no domingo a mostrar como se faz valer aquele emblema ao peito de um capitão e a ser escolhido como melhor em campo pela UEFA. Que orgulho!

Vi um Taremi que sem dúvida tem aproveitado a oportunidade que lhe foi dada e tem crescido.

Vi um Marega e um Marafá a fazerem um bom jogo.  Um Pepe irrepreensível. Um Corona e Otávio que sempre fazem a diferença. E vi um Francisco Conceição a ser mais uma vez lançado pelo Pai e que não teve tempo de mostrar o que vale, mas que da ponto do véu que já levantou está ali uma estrelinha.

Sérgio Conceição soube analisar o adversário e anulou as saídas de bola.

Gostei muito desta atitude. Espero que na nossa ida a Turim, não se perca esta garra.

Parabéns [meu] Porto. Contra tudo e contra todos, estamos lá.

F.C. PORTO 2 x 1 Juventus  (1ª mão dos oitavos de final da Liga dos Campeões)

06
Out20

(ser) Azul e Branco é o coração!

Maria

Danilo e Alex Telles

 

[Foto: Peter Spark / Movephoto]

Nós sabemos que eles não são nossos. Sabemos que nem todos vivem o clube da mesma maneira. Mas sabemos reconhecer quem sente "Porto".

Não gosto quando os que gosto vão embora. Fico sempre triste no final da época quando jogadores que foram bons no meu clube vão, porque me afeiçoei a eles, porque gostei do trabalho que fizeram, da dedicação, da garra e de como defenderam o emblema que trazem ao peito. Não são todos iguais, não sinto todos iguais também. Nem todos deixam pena.

Mas não gosto destes mimimi que fazem quando saem como se eles não tivessem dado o litro pelo clube.

Danilo e Telles não merecem.

Foram-me jogadores fantásticos nestes anos que envergaram a nossa camisola. E só lhes posso desejar o melhor. Sei que eles levam o Porto no coração. Sei que o sentiram. E fizeram-me apaixonar por eles enquanto jogadores.

Encantei-me com o Telles muito cedo. E não temos o que se lhe assemelhe. Titular indiscutível. Humano. Mas muito bom no que deu. Deu-me imensas alegrias. Lágrimas de emoção. E gritei muito por ele nos jogos.

E como já aqui disse, Telles. Como gosto quando ele corre de mão a estrafagar o emblema ao peito. Com aquela mística que abraçou, sendo ele um jogador à Porto, forte, convicto, preciso e bastante capaz. Titular inquestionável que deu, mesmo quando em dificuldade, tudo em campo. E que me trouxe lágrimas quando se lesionou e tentou mesmo assim estar lá. Grande Alex Telles. Que falta farás nas alas! - Oh se fará!

O Danilo soube sempre segurar o seu lugar, o seu meio campo e com orgulho vi-o Capitão.  Revi-me nas suas zangas, no seu bater o pé em campo e nas lágrimas sempre que se falhou.

Perdemos este fim-de-semana dois grandes jogadores. Titulares. Que deixaram muito deles e acredito levem de nós - FCPorto.

Ao [meu] Porto, espero que tenham a capacidade de se ajeitarem e reinventarem com estas perdas. Que tenham a capacidade de decidir bem. Que consigam que este seja um bom ponto de partida numa caminhada diferente mas com o mesmo objectivo.

Vamos Porto💙

16
Jul20

CAMPEÕES 💙

Maria

A duas jornadas do final do campeonato, a jogar em casa o clássico com o Sporting, ganhamos o jogo por 2-0 e somos Campeões.

Foi um campeonato difícil. Estranho. Atípico. Demorado. Muitos altos e baixos. Desconcertante. Emocionante.

A emoção que move o FCP esteve sempre lá. Neles em campo e em nós adeptos. Seja no início do campeonato em que se enchia o estádio, seja do lado de fora, em casa e com o estádio vazio de presença física, o nosso amor esteve sempre lá.

Neste retorno do campeonato em que atipicamente e jamais visto o estádio nunca se encheu de adeptos, não foi a mesma coisa. Faltou muito a presença. Os cânticos. O sentimento do sangue a fervilhar. A emoção em cada golo marcado.

Mas ninguém desistiu. Nem nós. Nem os que deram o suor em campo.

Obrigada. Obrigada Sérgio. Parabéns a todos. 

[ver o Telles ontem a chorar assim que saiu, trouxe-me ciscos aos olhos. Portistas entenderão]

Nós somos um deles, eles são um de nós. PORTO.

IMG_20200715_234135_298.jpg

O meu coração é Azul e Branco. 💙💙💙

16
Fev20

Lamentável.

Maria

1024.jpeg.jpg

 

Eu sei que há pessoas a assobiar para o ar e a deixar passar esta atitude em branco. Eu que tenho como uma das paixões futebol não consigo. Porque além da minha paixão por futebol, sou uma apaixonada pela vida e pelas pessoas. Pessoas. Seres humanos. Independentemente da raça , cor de pele, nacionalidade, estatuto social o que quer que seja. Se há coisa que eu não sou é racista e custa-me imenso acreditar que em pleno 2020 há mentes estupidas e retrógradas a sê-lo e pior que isso a fazer de um evento desportivo palco para a sua estupidez, cobardice e desrespeito pelo ser humano, pelo outro. Aquilo é só futebol. FUTEBOL! A cor da pele é só a cor da PELE.  É só pele.

Que não se assobie pro ar e nem se olhe para o lado com situações destas. Fazê-lo é compactuar com estes actos. 

Diria-o fosse qual fosse o clube. Fosse qual fosse o jogador. Seja quem for a pessoa.

Não ao racismo. E espero que o "grito" do Marega em não ter que suportar semelhantes actos, seja apoiado. E que a quem de direito, faça valer os direitos que todos os seres humanos têm de serem respeitados.

06
Fev20

Do [meu sempre] Porto ♥

Maria

Eu não falo aqui de uma das minhas paixões há muito tempo. Quem me segue já deve ter reparado. Mas sinto. 

Eu não falo aqui de futebol há muito e gosto muito de o fazer. Sempre adorei escrever sobre futebol, essa paixão que me está entranhada, mas... o que eu gosto mesmo é de escrever sobre a minha paixão no futebol. O FCP. E o último post que fiz foi este e data de 20 de Maio do ano passado, ou seja foi o ponto final da época passada. Foi ali um grito, um apelo, um abre olhos para todo e qualquer portista que ama o Porto e que ama futebol.

FB_IMG_1580977456107.jpg

 

No pré época não consegui escrever nada e pelos vistos já estamos na segunda volta do campeonato e eu ainda não escrevi nada sobre o FCP.

Na terça-feira, o Porto empatou com o Académica de Viseu para a Taça de Portugal e estamos a três dias de um clássico que é um ponto de viragem, sempre muito importante, mas este ano ainda mais, na época e falta-me muita confiança na equipa, a sete pontos do nosso maior rival que lidera o campeonato.

Eu tenho muita vontade de falar e escrever sobre tudo o que se passa no [meu] FCP, mas só de pensar, fico revoltada. 

Na terça-feira foi para esquecer, nem jogo digno de equipa B foi. Foi mau demais. Não querendo aqui desvalorizar o Viseu, mas aquilo foi mau de assistir. Mesmo sabendo que falo de um jogo com todas as modificações. Foi mau.

E nervos. Muitos nervos a cada minuto e jogada mal executada.

Eu não quero saber se a culpa é dos jogadores, se é do treinador, da equipa técnica, do presidente ou da comandita toda. Mas quero que resolvam de uma vez por toda essa merda que anda aí em volta e só estraga o que é o meu clube.

O presidente estava na bancada de barrete na cabeça e se eu lá estivesse a assistir ao jogo quem enfiava o "barrete" na sacola era eu e ala que se faz tarde.

Estou triste com esta caminhada. Estou triste e sem palavras par tentar justificar o que quer que seja.

Não me lembra em anos sentir a falta de confiança antes de cada jogo. 

Sábado em nossa casa eu quero acreditar que vão sentir o clube e que vão dar a volta a esta porra, que já chega de terem perdido o norte!

Não consigo deixar de terminar como disse antes:

Continuo sempre a pedir que demonstrem aquilo que sempre me apaixonou. A mística, a garra, a confiança, a luta, o empenho, a atitude, a alma, o dar tudo por tudo de mão ao peito de orgulho. Ser Porto. É isto. Mas não tem sido. Anda em falha. Falharam. Em alguns momentos falham todos.

Não deixem.

Assim como eu não deixarei de amar de alma e coração o [meu] Porto, não o matem.

20
Mai19

[meu sempre] Porto ♥

Maria

"Quem não se sente não é filho de boa gente". Tal e qual. Não poderia dizer melhor para começar este post.

Antes de começar a descambar, tivemos uma época boa. Nada fazia prever que as coisas chegassem a este ponto. Só quando começamos a perder pontos e a lidar com as imensas lesões é que tudo deu para o torto. Em contra partida foi nessa mesma altura, em que o nosso adversário mais directo ganhou força. E aproveitou.

Digo sempre que demos este campeonato porque não o soubemos segurar. Perdemos nove pontos quase seguidos quando estávamos numa fase de glória em primeiro lugar. E nem vou falar dos últimos pontos perdidos, depois de um jogo em que ganhávamos a dois e nos últimos dez minutos deixamos empatar numa fase crucial do campeonato que não se pode perder. Mas o problema esteve antes. Muito antes. Aquilo que não se conseguiu segurar.

Falar de arbitragens (quando vejo gente que comemora o campeonato orgulhosamente a envergar "colinho"!!) é dar valor aquilo que, pelos vistos não tem valor no futebol português e por isso não vou alongar a discussão. Todos já foram favorecidos, todos já foram prejudicados, houve escândalos demasiado óbvios para passar. Houve VAR que não serviu para nada. Mas eu continuo a crer acreditar no futebol. Nessa paixão que também a mim me move. Sem paralelismos. Más arbitragens. Emails. Frutas. Amigos do peito. Dinheiros... A ver.

Com o fim da época e campeonato, vem depois outra das minhas tristezas. A saída de jogadores. Se há alguns que não mexem tanto, outros há que fizeram parte desta família de corpo e alma e que os sinto tão Porto como eu. Herrera é nosso. Titular inquestionável. Bate a mão no peito com a convicção de que somos Porto. Abraça os nossos como família. Enfrenta os obstáculos com garra e foi um fiel capitão. Errou como todos erram. Mas é das saídas que mais me custa neste grupo. Neste grupo que vai ser abalado por diversas saídas e isso vai fazer (ainda mais) mossa.

Militão já está vendido algum tempo e acredito que agora valeria bem mais. Jogador espectacular. Duro. Sempre a dar tudo. Eficaz.

Telles. Como gosto quando ele corre de mão a estrafagar o emblema ao peito. Com aquela mística que abraçou, sendo ele um jogador à Porto, forte, convicto, preciso e bastante capaz. Titular inquestionável que deu, mesmo quando em dificuldade, tudo em campo. E que me trouxe lágrimas quando se lesionou e tentou mesmo assim estar lá. Grande Alex Telles. Que falta farás nas alas!

Felipe e aquele sorrisão que defendeu tantas vezes a fúria dos adversários. Que dava vontade de estrafagar num abraço de cada vez que falava e dava vontade de bater sempre que sorria até mesmo nos maus momentos. Carismático. Duro de roer. Raçudo. Vai fazer muita falta na defesa.

Marega é bicho duro de roer. Mas nunca foi o meu sonho quanto a finalização.

Brahimi e as suas loucuras com a bola. Foi um jogador que me dividiu tantas vezes entre o "és o maior" e o "apetece-me bater-te até te doer mesmo" de cada vez que pegava na bola e queria fazer tudo sozinho. Na verdade quando fazia em bom, era espectacular.

Casillas. Não falei dele aqui aquando do grande susto que defendeu com alma e garra na sua vida. O enfarte de miocárdio atirou-o para fora da sempre sua baliza. Todos, nós Porto, e não só, estremecemos naquele dia. Casillas entrou no Porto para ficar. Dedicou-se a elevar o Porto. Vem de outro patamar e demonstrou-o diversas vezes. No auge dos seus, hoje 38 anos (Parabéns Casillas!) foi sempre capaz. Foi lutador. Foi responsável. Foi líder. Foi "pai". Mística. Garra. Convicção. Paixão. Coisa que não lhe falta. A meu ver não voltará a defender as redes da baliza do nosso Porto. Em prol da sua saúde. Essa será também uma das grandes perdas deste grupo. Principalmente pela sua presença em campo. Experiência. Ensino. E sem dúvida, capacidade de gerir emoções. Vou aguardar pelas próximas notícias mas acredito que possa ficar na estrutura do Porto.

Sérgio Conceição. Um jogador do FCP vir a ser seu treinador é obra. Principalmente quando esse ex-jogador tem alma de dragão. Tem mística a correr-lhe nas veias. Tem sangue quente de um homem do Norte. Tem garra, peso, dureza e respeito pelo Porto. Por muito que digam que ele sai, eu não estou a acreditar e continuo a acreditar que permanece. Não foi um ano bom. De todo. E acredito que tenha dado bastante nas orelhas dos jogadores quando as coisas correram mal. Mas esteve lá sempre a dar a cara. Foi fiel aos seus princípios. E não me venham dizer que ele desrespeitou os adeptos, nomeadamente os "Super Dragões" porque discordo de todo. Aquela tensão deveu-se aos exageros que deveriam ficar de parte no futebol. No que é o Fair play, no que é o respeito pelo próximo. No que é o respeito pelo homem acima do posto de trabalho que ocupa. Não é por ser Portista de alma e coração que defendo todos os actos cometidos pelos mesmos. De todo. Repudio qualquer acto de violência, de desrespeito. Compreendo a cabeça quente em momentos complicados, mas não compreendo que se esqueçam que isto é só futebol e que deve ser um desporto saudável gerido por emoções passíveis e respeitosas para todos. Tudo o que ultrapassa essa linha, ultrapassa a minha paixão pelo futebol. Pelo jogo jogado. Pelas quatro linhas. Pelos jogadores que dão o litro. Pela emoção de ver os nossos conquistarem vitórias.

Continuo sempre a pedir que demonstrem aquilo que sempre me apaixonou. A mística, a garra, a confiança, a luta, o empenho, a atitude, a alma, o dar tudo por tudo de mão ao peito de orgulho. Ser Porto. É isto. Mas não foi. Falhou. Falharam. Em alguns momentos falharam todos. Logo falhou a equipa.

Não deixem.

Assim como eu não deixarei de amar de alma e coração o [meu] Porto, não o matem.

20190410_002906.jpg

 

Classificação época 2018/2019:

1º Benfica

2º Porto

18
Abr19

Do meu 💙

Maria

Ontem falhamos na finalização. Tivemos diversas oportunidades mas a finalização não esteve lá. Faltou eficácia. 

 

Mas tenho muito orgulho na caminhada que o meu PORTO teve nesta liga dos Campeões. E o 1-4 de ontem não me envergonha.  Porque não espelha o que foi o jogo e a nossa entrega. Aquele primeiro golo deles depois de mais de vinte minutos a levar o jogo sempre no meio campo deles foi mais que um balde de água fria. Depois foi o que se viu. Mas eu mantive a esperança com o que vi na primeira parte, mas depois do golo foi difícil. 

Orgulho naquele estádio cheio. Naqueles adeptos. No numero doze que não desilude na garra.

Vais falar de arbitragem Maria? Vou, mesmo que venham já para aqui com os dedos apontados que nós beneficiámos como se nestas duas mãos a arbitragem não tivesse nada a dizer contra nós. O Salah é um fiteiro, e isso ajuda um bom jogador como ele é.  Mas se já não tinha gostado de quando ganhou o melhor golo do ano passado, contra a bicicleta do Cristiano Ronaldo depois do vermelho que ficou por mostrar na nossa primeira mão ficou-me atravessado. Só tenho pena que o Danilo não tenha feito o espectáculo todo que ele fez ontem quando o Danilo quase nem lhe tocou. E ele mandou-se às cambalhotas. Enfim. Mas o arbitro viu duas mãos na bola dos jogadores do Porto quando uma até foi o Marega quando ia a correr de costas para a bola e deu falta. E a mão deles de frente para o arbitro da grande área deles não teve interesse. 

É  isso. Mas quem lá estava? O Porto. E saiu de cabeça erguida até onde conseguiu chegar. Agora ouvir hoje coisas como "que vergonha" de quem vê quartos de final de ligas dos campeões do sofá é ridículo. 

Orgulho [meu] Porto 💙

F.C. PORTO 1 x 4 Liverpool  (2ª mão dos quartos de final da Liga dos Campeões e eliminação do FCP)

10
Abr19

Do chegar lá. Do estar lá.

Maria

20190410_002906.jpg

[Fotografia: Paul Ellis/AFP]

Assim a quente não tenho o sangue frio para não falar mais que aziada do jogo. Não nos quero comparar na dimensão que é a equipa. Liverpool como quem conhece sabe que é uma grande equipa de topo. Raçudos em campo. Rápidos. Físicos.  Bola sempre lançada para a grande área do adversário.  Não é fácil conseguir parar aqueles alas. E ter pernas para os acompanhar. O Militão esteve gigante hoje. Ponto. O Liverpool foi claramente mais forte é certo. Nós entramos bem, mas no contra ataque rápido foram eficazes e aquele golo foi um iceberg lançado. 

O onze não foi o habitual e as opções também não eram muitas. Telles jogou mas nitidamente fora da forma dele. Maxi esteve muito bem em muitos lances. O Marega podia ter sido mais certeiro na finalização. 

Quanto à arbitragem. Nitidamente nós somos o FCPorto e eles são o Liverpool. Isto pesa. Ponto. Não vou falar em roubalheira, vou falar em pontos discutíveis e outros que nem tanto. O possível penalti logo na primeira parte que poderia ter sido marcado faz-me confusão.  Foi mão.  Foi corte na bola. Há VAR e nas repetições viu-se bem não marcaram. Ponto. O mínimo encosto que nós fizemos foi sempre falta. O lance com o Felipe que pedem também penalti é discutível. E a meu ver não o ter marcado é correcto.

Mas depois há aquele ponto que não pode ser discutível.  O lance do Danilo com o Salah, com o árbitro de frente para o lance, a ver perfeitamente, e o Salah leva o pé com os pitons à perna do Danilo. Vejam que na imagem até os adeptos deles parecem sentir a dor.

20190410_002926.jpg

 

Este foi um lance para vermelho directo. Mas nem amarelo o arbitro deu. Que como se viu estava a cerca de dois metros do lance e de frente para o mesmo. Em casos de vermelho o VAR deve intervir, como deixam passar aquilo em branco? Numa liga dos Campeões que são sempre tão donos da verdade? Ah esperem, é o Liverpool,  vá e foi o Salah.

Inacreditável. 

Adiante. Nós não nos damos por vencidos. Até porque fomos nós que lá fomos dar o corpo às balas. Que lutamos para conseguir segurar um jogo difícil e em desvantagem por dois desde os 25 minutos. E conseguimos, com mais ou menos fôlego,  mas com garra e sempre a tentar fazer das adversidades novas opções. 

Não será um jogo fácil cá.  Mas nós vamos à luta. Mesmo!

Liverpool 2 x 0 F.C. PORTO (1ª mão dos quartos de final da Liga dos Campeões)

 

Podem sempre acompanhar todas as novidades pelo Facebook. Ou pelo Instagram - @sorrisoincognito 》

 ▪Texto em destaque na página do @SAPO

09
Abr19

Até os comemos, vale?

Maria

IMG_20190303_000609_478.jpg

 

Hoje há jogo grande.

Hoje é dia de Liga dos Campeões onde está o meu FCP, único representante luso nesta fase. Uma fase em que já só se vê dos grandes e os adversários, qualquer um que fosse era uma dor de cabeça, calhou-nos o Liverpool, do qual não temos boas memórias, eliminou-nos o ano passado, e que está numa das suas melhores fases, sendo o actual líder da liga inglesa. É mais logo, às 20h, que vamos a Anfield Road tentar a nossa sorte.

A minha dúvida e de muitos portistas, será o onze que hoje não é o mais provável. Não podemos contar nem com Herrera nem Pepe, dois titulares claros mas que hoje ficam de fora. E ainda há a dúvida de Telles se está recuperado ou não. Outro nosso titular de peso. Não podemos contar com Manafá nem Mbemba porque não estão inscritos. Ora estas baixas podem ser decisivas. Mas confio no mister Conceição para o melhor onze a pôr em campo para lutar pelo emblema que levam ao peito. Numa liga que exerce muita pressão e que é preciso ter sangue frio para aguentar. Vá e experiência.

Há sempre esperança por muito difícil que seja a guerra.

E nós, de coração azul e branco, somos guerreiros, com vontade de vencer e espero que em campo demonstrem o quanto este jogo é importante para continuar esta caminhada rumo às meias.

Aguardo um apoio do nosso número 12 como vem sendo habitual como melhor pano de fundo! Eu estarei a sentir PORTO.

Somos Porto. Com garra determinação e foco. Até os comemos.

Sobre mim

foto do autor

Espreitem Como eu Blog

Expressões à moda das “tripas” do Porto!

Sigam-me

<>

<>

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Twita-me

<>

<>

Pesquisar

Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Em destaque no SAPO Blogs
pub