Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

SorrisoIncógnito

Todo o sorriso é apaixonante devido ao incógnito que o ofusca! SORRIR_um estado de espírito...

04
Jun21

Desafio de escrita dos pássaros 3.0 #3

Tema 3: - Não aguento mais contigo! - afirmou, enquanto o atirava para longe.

Maria

 

Domingo de manhã bem cedo, ainda meia a dormir mas há hora combinada lá estávamos.  Prontinhas para mais um treino eu e a Mariana. Uma corrida de dez quilómetros. Pela fresca, se bem que mesmo cedo a temperatura de verão já se fazia sentir. Ambas de calções e mangas cavas, pala na cabeça, bolsa na cintura, sapatilhas e smart watch em modo on.

Na verdade andamos nisto há cerca de meio ano. Sem falhas nos dias a que nos comprometemos.  Sempre juntas para uma dar apoio à outra. Semana após semana a analisar treinos mas os resultados não têm sido os pretendidos, confesso. Falo por mim uma pessoa parece que quanto mais faz mais a balança nos vira as costas!

Naquele dia, talvez por cansaço e também por termos madrugado a um domingo, fomos o treino a falar disso mesmo. Treinos e resultados. Logo um tanto ao quanto desanimadas.

A Mariana resmungava por perder menos calorias que as que devia. Eu incentivei que mais cedo ou mais tarde os resultados vão aparecer e também podemos aumentar os treinos. O tempo e as metas.

- E comer? - disse-me em tom de desilusão - o mínimo possível Maria, parece que engordo só de respirar! 

Deixa-te de coisas Mariana, é impressão tua, tens menos volume e isso vai acabar por refletir no peso. Pelo menos assim espero.

E assim que fizemos os dez quilómetros demos o treino como terminado. E já estávamos ambas com melhor disposição, prontas para aproveitar bem o resto do domingo depois de um bom banho até  que vejo a Mariana a olhar para o relógio e a resmungar por causa das calorias gastas:

- não aguento mais contigo!  - afirmou,  enquanto o atirava para longe.

Tem lá calma contigo Mariana. É mesmo isso que queres? O smartwatch não tem culpa e vais lembrar-te disso no fim do gelado logo à tarde - disse enquanto soltava uma risada.

- tens razão - disse-me por entre os dentes enquanto ia apanhar o relógio - é só porque quero comer logo um gelado sem peso na consciência!

Uma mulher sofre!!

:)

[desafio da passarada]

21
Mai21

Desafio de escrita dos pássaros 3.0 #2

Tema 2: Afinal havia outro... Fogão.

Maria

 

A viagem tinha sido longa e com tantas paragens para fotografar e conhecer cada cantinho, acabamos por chegar já bem tarde ao lugar onde íamos passar o fim-de-semana.

Tínhamos acabado de acordar naquela natureza tão boa mas o tempo não estava o mesmo que no dia anterior. De todo. Estava meio farrusco e decidimos que íamos fazer um bolo. Bolo de chocolate - digo eu - para ser um bom pequeno-almoço, sem horários a cumprir e sem regras, excepto ser feliz.

Perdidos enquanto seguíamos a receita do bolo de chocolate, farinha para aqui e para acolá, açúcar na ponta do nariz - aqueles beijos que ainda se tornaram mais doces - digo eu - olha esquecemos de pré-aquecer o forno...

Vamos a ligar e nada. Nem sim nem sopas, o forno tinha morrido, nada de sinal dele. Nem o fogão estava a funcionar. O micro-ondas dava sinal, mas de resto mais nada.

- Fazemos um bolo de caneca no micro-ondas? Atirou ele enquanto ria da minha cara.

- Olha agora com a receita pronta não dá!

E entre gargalhadas, acabamos  por comer a massa do bolo que estava uma delícia. Quem não gosta de raspar uma massa de bolo? - pergunto eu enquanto ele me olhava com aquele olhar fofo, sentados no sofá em frente à varanda de vidro que nos deslumbrava com a vista desafogada tão verde e apaixonante na montanha. Estávamos ali a apreciar só o momento. Aquele silêncio como se nos tivéssemos perdido algures onde o gps não chega, mas com todas as certezas de que aquele era o lugar certo para estar.

Antes mesmo de as dores de barriga não serem só de tanto rir ele reparou: Temos ali um bilhete em cima da mesa, já viste?

Pegamos no bilhete e era da Joana, a nossa amiga e dona da casa da montanha, um bilhete de boas vindas, mas como chegamos bem tarde nem tínhamos reparado e em que dizia:

"Amigos, aproveitem a estadia e desculpem qualquer coisa que não esteja do vosso jeito. PS.: A cozinha ainda foi mudada à pouco e tive problemas com a placa e o forno. Caso  precisem na dispensa têm outro fogão... a gás.  Sejam felizes!"

Não acredito... um fogão a gás e que dá para usar a fornalha!! Cadê a massa do bolo?

:)

[desafio da passarada]

07
Mai21

Desafio de escrita dos pássaros 3.0

Tema 1: Foi o que ouvi...

Maria

desafio passaros.JPG

 

Na verdade, cada um tem a sua história e ninguém sabe o que lá vai dentro. Mas foi isso que aconteceu.

- Mas matou-se mesmo?

Sim. Matou-se. E temos todo um lugar em consternação. Primeiro ninguém supôs quem tivesse sido, depois a trágica notícia caiu que nem uma bomba para todos os que a conheciam.

- Ainda estamos parvos. Qual seria a razão para tal?

É fácil criar burburinhos depois de as coisas acontecerem. Principalmente sobre alguém que jamais se imaginasse que tivesse esse desfecho... aparentemente tudo estava bem. Boa família. Vida organizada. Mas aconteceu... Até à hora, diz-se, fez a sua vidinha normal, foi aos sítios onde tinha marcado ir, esteve com quem tinha combinado, mas depois parece que disse vou ali e já venho...

- Seria depressão?

Pois... aquela doença que tanta gente luta e que por quem passa ao lado não acredita, desvaloriza... há até quem diga que são manias. Lamentável! Mas na verdade pode ter sido. É claro que isto são suposições, e sabes como é o diz que disse... mas não querendo acrescentar mais um ponto pode muito bem ter sido isso. Parece que nunca tinha falado em tal, mas se calhar lá dentro já era algo que podia estar na cabeça dela. Ou então foi um acto irreflectido.

- Assim do nada?

Como assim do nada? Uma pessoa de fora nunca sabe se é assim do nada. Cada um tem a sua história e só a pessoa sabe o que lá vai dentro. Podemos supor o que quer que seja. Pode inventar-se mil e duas coisas. Pode até não se perceber de todo. Mas só a pessoa saberá o que a levou a tal passo. O que a fez achar que seria a melhor opção. Ou a única vá.

- Acabar com a própria vida nunca é a melhor opção!

Mas isso é o que pensamos quando estamos cientes disto que é especial - viver. E quando não estás? Vivemos tempos difíceis psicologicamente. E com certeza há muitas pessoas que precisam de ajuda e que não chegam sequer a pedir. É importante trabalhar isso. É importante partilhar mais a mensagem que há tratamentos, ajuda psicológica e a sociedade tem que estar mais receptiva nisso. Em olhar mais o outro. Em não desvalorizar quem pode estar a sofrer muito com isso e a incentivar qualquer pessoa a ter a coragem de aceitar o que lhe está a acontecer e que há quem lhe possa dar a mão.

Mas vai na volta não foi disso. Não posso confirmar. Sabes como é.

 

[de volta aos desafios da passarada depois de ter entrado nos dois primeiros e bem, para voltar a entrar é porque a experiência só foi positiva]

14
Fev20

Desafio de escrita dos pássaros #2.3

Maria

» Manual para iniciar relacionamentos «

desafio passaros.JPG

Em dia de S. Valentim, o amor vai estar no ar

Há muitos Amo-te e Gosto de Ti

Há muita gente a se declarar

E outros tantos a pensar - o que foi isto que eu senti?

Não rumam todos para o mesmo lado, não estão sempre em sintonia

Uns dias  se for preciso até cantam o fado, com aquele ar de poesia.

Noutros dias poderá  ser tudo muito desfocado, longe de ser uma alegria.

Estes são dias de gastar mais uns trocos

E o tempo de dar um peluche já lá vai

hoje em dia são outros focos

até que um dia a ficha cai.

Não é fácil para quem está solteiro nesse dia só de lamechice

Em qualquer lado são só corações, no restaurante não há lugar

tudo para acabar na traquinice

mas tens que pagar o jantar a dobrar.

Seja por opção ou porque calhou

a todos os que não têm par

vejam bem o que sobrou 

e tentem um Manual para iniciar relacionamentos arranjar.

Não sei se será de fácil leitura,

mas diz que para bom entendedor meia palavra basta,

o que é certo é que têm que estar ambos com a mesma abertura

senão vão andar ali só no arrasta.

Não brinquem com o sentimento

A vida dá voltas e o mundo gira

um dia brincas no outro és brinquedo

vai na volta a gente pira!

Vejam os meus textos  aqui.

07
Fev20

Desafio de escrita dos pássaros #2.2

Maria

» É que isso de médicos, nunca fiando «

desafio passaros.JPG

Numa conversa entre amigos o tema passa pelas viroses típicas da época, pelas constipações e gripes desta vida. E fala-se inevitavelmente no lado dos médicos, dos farmacêuticos e das pessoas - os pacientes/doentes. De como todos lidamos de forma diferente com tudo e com todos, com aquilo que nos dizem e com aquilo que, por vezes queremos ouvir.

A Laura está doente, primeiro passou na farmácia mas não foi lá com uns ben-u-ron nem com xaropes. A coisa agravou-se e foi a dois hospitais no prazo de uma semana. 

- E está melhor?

Nem por isso, passou a noite no hospital e tem uns exames para fazer. Mas entretanto tinha ido a um médico particular.

- A sério? Tanto médico. Mas porque procurou ela outro médico?

Ela diz que o primeiro disse que foi gripe e que o segundo disse a mesma coisa, mas ela continuou sempre a pensar que poderia ser alguma coisa no coração e na verdade, aquelas aflições do coração não passavam e podia ser. É que isso de médicos, nunca fiando. Mas no particular disse a mesma coisa, era gripe, mas já estava ali com qualquer coisa num pulmão.

- E do coração é alguma coisa?

Não. Com o coração estava tudo bem, todos disseram o mesmo com os exames que ela fez. Aquilo eram ataques de ansiedade só.

- Então não fez nada ter ido a tanto médico diferente!

Não. Mas saiu-lhe um peso da consciência, podia ser do coração.

- Mas não foram duas opiniões ainda precisou de mais! - estupefacta.

Sabes como é, há pessoas que acham que sabem o que têm e quando vão ao médico e eles não confirmam aquilo que elas acham, elas pensam que quem está enganado são os médicos...

- Estou a ver ... então se o primeiro médico lhe tivesse dito que era algo do coração não procurava mais opiniões.

Provavelmente não.

 - Mesmo que afinal fosse um problema grave num pulmão.

Pois.

...

Vejam os meus textos  aqui.

31
Jan20

Desafio de escrita dos pássaros #2.1

Maria

[Devia ter feito uma reflexão sobre o primeiro desafio dos pássaros e sobre a minha vontade de ir na onda e continuar este desafio, agora numa segunda fase e pôr-me a jeito das loucuras criativas de escrita deste bando, mas não é que, gostei mesmo muito de ter participado no primeiro desafio? Aí vamos nós para a segunda fase]

» Acho que a coisa não vai correr bem. «

desafio passaros.JPG

Mariana andava bastante cansada, sem conseguir aproveitar as noites para dormir. O stress do trabalho estava a dar cabo da boa disposição dela. Andou dias assim no "deixa andar" até que como não passou, decidiu tomar alguma coisa para a ajudar a descansar e a dormir melhor.

Nesse dia logo após tomar a medicação,  ligam-lhe uns amigos para ir lá a casa e ela nem se lembrou que já tinha tomado aquilo. Quando chegou a casa dos amigos e se sentou no sofá começou a ficar com uma moleza extrema e aí sim, lembrou-se que tinha tomado um comprimido e pensou "acho que a coisa não vai correr bem" !

Mas não quis dar a parte fraca. Então não contou a ninguém.  Mas cada vez estava a ficar mais difícil conseguir manter os olhos abertos. 

Na TV, assistiam a um filme mas estava a ser os cabos dos trabalhos acompanhar.

Até que aquilo que eu não queria mesmo que acontecesse aconteceu. Os olhos começaram a fechar, primeiro ao dar conta ainda tentou arregala-los o mais que podia até que, começaram a fechar tão lentamente, que todas as tentativas de os manter abertos se tornaram infrutíferas para seu desespero. E ali estava ela, no sofá em casa de amigos aterrada no sofá. 

Até que alguém repara e Mariana acorda com as gargalhadas a gozarem com a cara dela. E ela consegue abrir uma linha dos olhos mas não tem forças o suficiente para acordar para a vida e se levantar.

O filme a assistir ali já era outro. E tudo se concentrou na tentativa de acordar Mariana e fazer com que ela se conseguisse levantar e ir à sua vidinha. Até que lá conseguiram despertá-la e ela, entre gargalhadas logo disse, "bem me pareceu que a coisa não ia correr bem"!

(eu não sei quem é a Mariana, mas tive a sensação de déjà vu)

 Vejam os meus textos do primeiro desafio aqui.

10
Jan20

Desafio de escrita dos pássaros #17

Maria

» Luz e sombra « [o último tema do desafio]

desafio passaros.JPG

 

A vida é uma constante aprendizagem. Cheia de fases boas e menos boas. Mas sempre de aprendizagem. É preciso saber tirar o proveito de cada dia. Saber agarrar as oportunidades. Ter a capacidade de decidir por nós e aprender com os erros. Mais que isso, ter foco mesmo depois de levar com as consequências desses erros. É fácil julgar os outros e mais que isso, é fácil acreditar no que os nossos olhos vêem dos outros. Mas cada um tem a sua história e nós nunca sabemos a verdade do que vai dentro da história de cada um.

Deixar-nos levar pelas aparências é a maneira mais fácil de nos iludir. Para o bem ou para o mal.

Devemos ser pessoas melhores todos os dias. Agradecer mais do que pedir. Dar valor ao que realmente é de valor. Respeitar o próximo e acima de tudo, respeitar a nós próprios. Ser positivos e tentar alcançar boas energias. Passar essas mesmas boas energias para que à nossa volta seja sempre um ambiente tranquilo.

De que adianta quando estamos tristes, passar só essa tristeza? O Mundo até pode chorar contigo, mas só vai gerar mais tristeza. Devemos sim canalizar o nosso melhor sorriso para que nos ajudem a sorrir ainda mais. Há dias de Luz. Há dias de sombra. A Luz e Sombra andam sempre de mãos dadas. Não há que ter medo da sombra, porque onde há sombra, em algum lugar próximo brilha a luz. Se hoje não sentes, amanhã sentirás. Se hoje sentes que estás mais na sombra, no escuro, numa fase má, é ter fé e acreditar num amanhã melhor. Num amanhã do outro lado da sombra, naquela luz ao fundo do túnel que nem sempre conseguimos ver quando estamos na sombra mas que, com persistência percebemos que ela está lá. 

A vida é essa aprendizagem.

[Adorei fazer parte deste desafio. Adorei o desafio e superou as minhas expectativas que desde o início paniquei a pensar que não ia conseguir. Obrigada por me fazerem acreditar, por todas as palavras de incentivo que fui recebendo e por todas as visitas]

 Vejam outros textos meus para este desafio aqui.

03
Jan20

Desafio de escrita dos pássaros #16

Maria

» Sobre a vida adulta: Ainda não entendi o que é para fazer. «

desafio passaros.JPG

 

Continua a ser inevitável questionar-me - é pá já passei dos trinta há uns anos e há pelo menos duas décadas ao olhar para alguém da minha idade, além de colar logo o rótulo de trintona acrescentava o "já foste".  Porque temos ideias meias concebidas talvez da educação que se teve, das fases que se foi vivendo e da questão social que nos faz ter quase prazos para tudo e mais alguma coisa. Sendo-se rigorosos com o termo "idade". E então lá prós trintas e tal a ideia de gente é  estar mulher casadoira, com filhos, casa própria, família organizada, trabalho que te dê boa estabilidade, caminhos perfeitamente estabelecidos e tretas e mais tretas. Isto porque, quando cá chegas e a vida deu lá uma reviravolta e tu nem sabes se agora está no lado certo, mas tens a noção que estás fora dos "parâmetros" e nem por isso te sentes mal (?!) Com isso, mas socialmente já foste mesmo. É  inevitável não pensares se tivesse sido diferente, se tivesses tomado outras opções se tivesses seguido outros caminhos... É inevitável...

Daqui a uns dias será o meu aniversário e sobre esta vida adulta [muitas vezes penso] ainda não entendi o que é para fazer!

Não sei se siga caminhos pré-concebidos e me sinta uma falhada por as coisas terem saído diferentes da perspectiva, se siga o que é e o que tem de ser e sou feliz à minha maneira.

Isto de ser adulta não é fácil e dizê-lo está longe de ser um clichê.

Falhei muito. Tomei más decisões.  Errei e pasmem-se vou continuar a fazê-lo, porque na verdade se soubesse de antemão o que está certo, saberia lá eu o que é viver. No entanto entendi que o correcto é seguir o que Eu acho que devo seguir, mesmo que isso me leve a tropeçar várias vezes e a ficar com a marca dos joelhos esfolados. Mas quem garante que se tivesse feito diferente,  seria melhor?

Não tenho o mesmo corpo, ganho mais rugas a cada dia, flacidez, marcas, celulite e quilos! Mas a essência do coração está lá e uma coisa eu sei, se o seguir, estou no bom caminho. Tenho mesmo que entender o quê?!

 Vejam outros textos meus para este desafio aqui.

20
Dez19

Desafio de escrita dos pássaros #15

Maria

» O Pai Natal decidiu reformar-se e as entrevistas começam esta semana. Descreve uma dessas entrevistas na perspectiva do recrutador de recursos humanos: A Rena Rudolfo. «

desafio passaros.JPG

 

Rudolfo era uma rena, com um nariz encarnado

e vivia nesta altura, um dilema atribulado.

O Pai Natal está velhote, diz que se vai reformar.

E todas as outras renas, não sabem pra onde se virar.

Mas numa dessas noites o Pai Natal veio esclarecer

Rudolfo, confio em ti, vais ter que ser tu a escolher.

E assim foi logo naquela noite o Rudolfo a comandar

uma série de entrevistas, para um novo Pai Natal arranjar.

A tarefa não era fácil, mas Rudolfo ia se empenhar

queria arranjar alguém capaz e que todos fossem gostar.

À entrevista chegaram muitos barbas, mas nem todos tinham jeito pras crianças,

Uns diziam que não desciam chaminés, outros que estavam mal das panças.

O Rudolfo apreendido, pensava que não ia encontrar,

alguém à altura, do Pai Natal que se vai reformar.

Até que numa noite, depois de muito trabalho,

Surge alguém que disse, tu de mim vais gostar.

Estou pelo desemprego, mas não parei de trabalhar,

tentei sempre algo fazer e muita gente ajudar

deixei crescer mais a barba até que o meu neto disse 

Avô, pareces o Pai Natal e as crianças vão te adorar.

Foi então que decidi, anúncios de Pai Natal encontrar, 

Mesmo depois da carta de trenó ter que ir tirar.

Rudolfo muito encantado, ficou logo a sorrir,

e o seu nariz encarnado feliz por ele se decidir.

[adaptado à música A Rena de Nariz encarnado, Rudolfo]

 Vejam outros textos meus para este desafio aqui.

06
Dez19

Desafio de escrita dos pássaros #13

Maria

» Reescreve o final dum filme «

desafio passaros.JPG

 

Quando Ana revela em tribunal que só estava a fazer aquilo porque Kate lhe tinha pedido para a deixar ir porque estava pronta para morrer, toda a gente ficou em choque. Mas Ana queria fazer isso mesmo.

Assim que chegou a casa e foi ter com Kate que estava descansando, disse-lhe que estava tudo a correr como planeado. Kate estava enjoada com um novo medicamento mas na verdade estava a sentir-se melhor.

No dia seguinte, quando Kate realizou uns últimos exames no hospital o médico viu resultados incríveis que estavam a ser fruto do novo tratamento ainda experimental.

Assim que ficaram sozinhas no quarta, Ana perguntou a Kate se queria mesmo que ela desistisse ou se ainda acreditava que podia não ser a hora certa e ela não estar preparada para partir.

 Kate confessou que as palavras do doutor a deixaram sensível e esperançosa.

Kate conseguiu chegar ao dia da operação e a mesma correu bem.

Enquanto esperavam Kate acordar, Ana falava com o advogado, Campbell e este perguntava-lhe se Ana queria mesmo continuar com o processo contra os pais, ao que Ana respondeu que sim.

- Quero muito fazer com que a Kate possa ser feliz e viver mais, mas quero muito também ser eu a decidir o que fazer com o meu corpo - respondeu Ana.

Assim que Kate acordou, a família estava toda reunida na sala e Sara a Mãe pediu-lhe desculpa por nunca ter visto os sinais de que ela queria partir porque estava pronta, mas sempre acreditou num milagre e porque não está preparada para ver uma filha partir! Pediu também desculpa a Ana, por a ter usado para salvar a irmã, mas que sabia que um dia Ana ia dar ainda mais valor a isso.

Passaram-se uns dias desde a operação de Kate.

Já em casa com alta e a recuperar, Kate agradecia a Ana por a ter salvo e por, mesmo quando deixou de acreditar Ana estar sempre do lado dela.

A campainha tocou e era o advogado de Ana.

Ana tenho uma notícia para lhe dar, ganhamos essa batalha, agora és uma menina emancipada e és tu quem decide o que fazer com o teu corpo.

Senhor Campbell, a batalha já estava ganha com a esperança que a minha irmã ganhou com este novo tratamento que está em fase de teste mas que eu acredito que a vai salvar.

Novo final do filme "My Sister's Keeper".

 Vejam outros textos meus para este desafio aqui.

Sobre mim

foto do autor

Espreitem Como eu Blog

Expressões à moda das “tripas” do Porto!

Sigam-me

<>

<>

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Twita-me

<>

<>

Pesquisar

Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Em destaque no SAPO Blogs
pub