Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

SorrisoIncógnito

Todo o sorriso é apaixonante devido ao incógnito que o ofusca! SORRIR_um estado de espírito...

13
Out15

José Carlos Pereira em Alta Definição!

Maria

 

Admiro sempre quem tem a coragem de falar do seu eu negativo. De quem assume. De quem tenta mudar. O julgamento humano é a coisa mais fácil de acontecer, porque sempre criticamos o próximo até ao dia de estarmos na pele ou alguém dos nossos e que nos leva a entender o problema. Mas nem toda a gente tem a coragem de falar disso. Dos erros, das frustrações, dos dias maus, das desculpas que têm que se pedir. Acima de tudo, poucos são os que têm a coragem de admitir que em algum momento não gostamos de nós próprios. Do que vimos quando olhamos ao espelho além do fisicamente visível. E quando perdemos o amor próprio perdemos tudo. Ter a coragem de querer voltar a gostar é uma tarefa difícil que só se sujeita quem quer. Quem quer mesmo! Tendo em conta terminar ali um caminho e pôr todas as forças num outro completamente novo. Não quer dizer que se consiga, mas é no tentar que vêm as hipóteses. "Viver. Escolher viver."

24
Set15

Do Meco a Faro, passando na casa partida e num outro sem fim de lugares universitários - Quilómetros de estupidez.

Maria

 [Fotografia - Marisa Rodrigues/JN ]

 

Hoje bem cedo, ainda estava eu deitada na cama, meia a dormir meia acordada, com a porta do quarto entreaberta, ouço as notícias da rádio que a minha mãe tem sintonizado na cozinha. O alerta para uma caloira que esta noite, depois de uma praxe mal sucedida na praia em faro deu entrada no hospital. Falava-se de álcool e pessoas enterradas na areia. Levantei a cabeça porque aquilo evacuou logo qualquer tipo de morrinhice que se apodera de mim antes mesmo de me levantar. A minha mãe chega ao quarto e diz “ouviste esta? Mais uma caloira que foi parar ao hospital porque uma praxe correu mal na praia. Eles não têm já maus exemplos para fazerem estas merd@s na praia à noite?” gente estúpida mãe, saiu-me.

Agora pensando melhor… há gente muito estúpida mesmo, ainda não consegui perceber bem se mais são quem manda praxar se quem tem a dignidade de se deixar enterrar na praia, à noite e enxofrar álcool como se não houvesse amanhã.

Esperem, esta caloira num amanhã será uma “doutora” com um curriculum pessoal/social muito mais abonatório com o facto de ter feito esta praxe. 5 valores a mais. Digo eu, mas isto é atirar para o ar, não sei bem porque não estou a par da diferença de qualificação dada à estupidez e à verdadeira importância de ser-se bom no curso que se faz.

“Ahh mas tu não percebes Maria, faz parte. As praxes fazem parte da caminhada universitária.” Pois diz que sim. Mas desde quando é que uma praxe tem que passar por pôr em risco a saúde, o bem-estar, o respeito por nós, a nossa dignidade?

" A praxe consistia em enterrar os jovens na areia próximo da água de forma a que pudessem estar imobilizados enquanto lhe eram dadas, à boca, bebidas alcoólicas.

A jovem sentiu-se indisposta e teve de ser transportada de ambulância para o Centro Hospitalar do Algarve. À hora de fecho desta edição, estava na urgências a ser avaliada.

(...)

"A preocupação deles era tapar os buracos que fizeram na areia antes da chegada da GNR e da Polícia Marítima. A maré entretanto subiu e levou parte do vestígios", garantiu. Nas imediações, nos caixotes do lixo, eram visíveis dezenas de garrafas de bebidas alcoólicas."

daqui

Depois trazem-nos memórias do ainda não tão longínquo e trágico acontecimento do Meco. As pessoas morrem, ninguém é culpado e a estupidez humana aumenta a milhas.

15
Abr15

Aumento da idade mínima para o consumo de bebidas alcoólicas.

Maria

Quer o governo agora alterar a lei e proibir o álcool (sem distinção para a cerveja e o vinho) a menores de 18. Eu acho muito bem mas (e porque há sempre um “mas” e quando falamos de leis portuguesas na sua maioria valem mais os “mas” que as leis)… do concordar, ao estar correcto e à prática… a distância é tão grande que lá se vai a eficácia.

Façam-me um favor poupem os papeis e as burocracias e o dinheiro gasto em mais uma lei que não interessa nem ao menino Jesus. Isto em termos práticos. É mesmo assim. Falando por experiencia própria, eu comecei a sair cedo, com o mano, ele mais velho mas na hora de pedir uma bebida ele não fazia o obséquio de me acompanhar ao bar para tal e nunca me negaram nada, muito menos me pediram a identificação e tenho a dizer que antes de chegar à maioridade, eu era uma trinca espinhas que nem sequer disfarçava a idade que tinha, na volta parecia sempre mais nova. Falando do que vejo… melhor nem falar. Nos bares, hoje em dia e já aqui falei do assunto cada vez se vê o pessoal mais novo a beber. E em exagero. Sim. A minha opinião passa por aí. Hoje em dia a canalha bebe para se divertir, o que chega a ser bastante preocupante e vergonhoso as figuras que se vê, já não falando do sentido pior da saúde. Claro que no meu tempo de juventude também se bebia, mas era diferente, nós divertíamo-nos e bebíamos. Mas nunca com o exagero que é hoje. Em pessoal cada vez mais novo. Não esquecendo que hoje em dia as mulheres chegam a ser mais exageradas que os homens. Foi há pouco tempo a primeira vez que vi alguém pedir a identificação a menores porque queriam comprar umas garrafas de bebidas brancas. E foi num hipermercado. Porque nos cafés, bares e discotecas (locais onde mais álcool se vende) dificilmente acredito nesse controlo. A lei do dinheiro e do vender ainda é mais aliciante do que andar na lei.

25
Jul11

RiP

Maria

Bem, isto de nos desconectarmos de qualquer veia noticiosa tem como resultado ser dos últimos a saber das coisas. Então a Amy partiu mesmo. Ontem em pleno casório alguém disse "- Recebi uma mensagem, a Amy morreu". Pois sim. Foi coisa do momento, tipo a sério, ou será falsa notícia? Mas a coisa passou, só agora que voltei a pôr os pés no chão e que o meu mundo gira mais calmamente é que vi as ultimas notícias. A Amy tem músicas fantásticas, mas ali era um talento muito maior que o franzininho corpo de 27 anos, que aparentada uns quantos mais... A vida que levava era envolta em dependências que se a curto prazo não levassem outro rumo teriam este final, que teve. O dinheiro, a fama e o sucesso não são sinónimo de maturidade, juízo, pés assentes na terra e imortalidade. Uma pena, lamenta-se. E vícios, esses que todos estamos sujeitos a ter, desgraçam a vida de qualquer um. Drogas e álcool dão um fim trágico a todos aqueles que se apaixonam por eles, os que mais dinheiro têm, apenas morrem do amor mais precocemente.

RiP Amy Winehouse!

22
Ago10

Há que pôr o dia a render!

Maria

Ontem foi um dia fantástico! Começou cedinho por uma paragem em Serra D'água para uma Poncha, só naquela de abrir o apetite já que íamos a caminho de uma churrascada para o Chão dos Louros! Abriu muito mais que o apetite é certo, pois às onze da manhã Poncha como pequeno almoço não é o mais indicado! O churrasco foi muito fixe com pessoal que melhoraram a coisa e o lugar só ajudou! Com uma temperatura diferente do Funchal, pois cá em curto espaço de tempo e quilómetros apanhas diferenças de temperatura... À noite de volta a casa, já a coisa não estava lá muito bem mas alguém foi comprar para experimentar Pé de Cabra já que nunca tinha bebido e... gosto de Poncha!!!

26
Abr10

À conta do que se passou no meu fantástico fds…

Maria

Recebi uma mensagem da minha amiga O. a dizer -Ai mulher Tu vais para o céu! O que é verdade é que o diabinho que existe dentro de mim às vezes esconde-se e quando é preciso que ele apareça para dizer poucas e boas o coração da menina resolve dar o ar da sua graça.

Tipo, vamos lá ser bondosos (demais), vamos lá compreender (o incompreensível), vamos lá dizer que sim (quando para aprenderem devia sair o não), vamos lá fazer o que uma verdadeira amiga faz (entendeste isso?), ela faria o mesmo por mim (agora que escrevo fico com tantas dúvidas), até é fixe andar de ambulância (not!), até nem tinha mais nada para fazer (fora continuar numa despedida de solteira com mais vinte mulheres) … De certeza que quando me passar um flash de “Espelho meu, espelho meu, haverá alguém mais amigo do que Eu??” Vou-me lembrar da noite de sábado! Certezinha.

10
Mar10

Será?

Maria
 
Acredito que o álcool ajude a tirar muito do que fica preso cá dentro e não se tem coragem de dizer ou de fazer… tira-nos a inibição, mais ou menos se calhar consoante a quantidade de álcool que se tenha ingerido. A verdade é que quando estamos mais alterados deixamo-nos levar, mas não acho que o álcool seja desculpa para o que se faça, apenas acho que ele ajudou a que acontecesse o que já se queria. Por isso acredito que quando se diz que quando se bebe disse as verdades, acredito que grande parte sim! Mas será que devemos acreditar sempre no que dizem quando bêbedos ou mais animaditos?

Sobre mim

foto do autor

Espreitem Como eu Blog

Sigam-me

<>

INSTAGRAM

<>

<>

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sorriso desde 11/02/09

<>

<>

Twita-me

<>

<>

Pesquisar

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D