Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

SorrisoIncógnito

Todo o sorriso é apaixonante devido ao incógnito que o ofusca! SORRIR_um estado de espírito...

30
Abr18

Nós somos um deles, eles são um de nós!

Maria

  

Que me desculpem todos os adeptos das equipas adversárias. Mas o que eu vi ontem, no aeroporto do Porto aquando a chegada da equipa do Porto foi extraordinário. É preciso tê-los bem no sítio, para terem a coragem de ir por um "corredor humano" sem escolta policial meter-se no meio dos adeptos.

Nós não estávamos lá para fazer nenhuma festa que não seja a da vitória de um jogo difícil num campo difícil para nós e para pedir aquilo que desejamos "EU QUERO O PORTO CAMPEÃO". Foi o que sempre ali se gritou. E o que se ouviu. Com alma. Coração. E muita emoção à mistura. Sempre disse e volto a dizer, há uma grande diferença em ser Porto. Tem que se sentir PORTO. 

Eu sinto exactamente isto. Nós somos um deles, eles são um de nós. PORTO.

O meu coração é Azul e Branco.

Eu quero o Porto Campeão.

Nada está ganho. Mas siga e mai'nada!

[quase que os esmagavam e na verdade nesta altura do campeonato

se as coisas correrem muito mal serão esmagados à mesma :) ]

26
Abr18

A simpatia pode ser a tua maior arma. A falta dela, a pior.

Maria

Mas há alguém que goste de pessoas que não conjuguem a palavra simpatia? Acredito que só mesmo aqueles que também não o são e se assemelham.

Eu não gosto. E tento lidar o menos possível com pessoas que não o sejam. Se as poder riscar na minha vida para todo o sempre assim será. Sejam conhecidos, amigos, vizinhos, colegas de trabalho, pessoas cujo profissionalmente nos cruzamos, ou dono de lojas, e afins que eu visite.

O ser simpático, faz-me olhar novamente. O não ser tira-me a vontade.

Isto para contar o que me aconteceu um dia destes. Éramos quatro em busca de vestidos de cerimónia. E é aqui que a discrepância entre o ser simpático e o não ter simpatia nenhuma altera todo o caminho a seguir.

Entramos numa loja, cujo atendimento foi maravilhoso. Sempre nos deixaram à vontade, escolher à vontade. Ver à vontade. Experimentar se assim o quiséssemos. Tirar fotografias até, nos disse a dona da loja que fomos. Sempre com um sorriso. Sempre simpática. É sem dúvida uma loja a voltar ou a aconselhar.

Entramos noutra loja. Para lá da montra era todo um outro mundo. Caras sisudas. E algumas pessoas à espera. E nós lá esperamos também sem que aparentemente tivessem notado que cinco pessoas tinham entrado na loja.. Passado cerca de quinze/vinte minutos de ninguém nos dizer nada, uma de nós viu uns vestidos num expositor e começou a aproximar-se para ver. Até que, surgiu, primeiro vindo sei lá bem de onde uma voz, tom alto, antipático e rude: "não mexa, não é para mexer, é esperar pela "Catarina" que ela é que vai amostrar o que quiserem ver".

Olhamos umas para as outras impávidas com a arrogância de um senhor que depois reparamos estava lá encostado a um canto (tipo a assobiar pro ar e a coça-los enquanto mandava uns bitaites debaixo de uma bata branca) que provavelmente seria o dono, e sem sequer falarmos, decidimos todas sair sem querer ver o que quer que seja.

Não percebi o porquê de não nos ter dito nem bom dia nem boa tarde quando chegamos e só nos falou assim que demos um passo para tentar fazer o que fomos ali a fazer - ver vestidos de cerimónia.

Escusado será dizer que perdeu a oportunidade de vender quatro vestidos e que ganhou também a nossa antipatia. De modo algum será aquela loja uma hipótese a voltar a visitar.

Gente triste. E vazia.

 

(ainda ouvimos a menina que devia ser a tal "Catarina" a dizer para umas senhoras - "fui ali rápido ao dentista e ele nem me deu tempo de isto desinchar")

23
Abr18

Bella Ciao, Bella Ciao, Bella Ciao Ciao Ciao!

Maria

 

Já vi o final fez ontem uma semana. E andei a adiar o final da segunda temporada porque apesar de querer tanto saber como aquilo acabava queria tanto que aquilo continuasse.

Já não me lembrava que uma série me prendesse tanto. A última tinha sido "13 Reasons Why" e ainda hoje tenho o "bichinho" daquela série. "A Casa de Papel" é completamente diferente, mas todo o enredo, as personagens e as horas a passar nos prendem a querer saber o que vai acontecer no minuto a seguir. E eu vi as duas temporadas bem rápido porque sempre que tinha um bocadinho lá ia eu.

As minhas personagens preferidas foram sem dúvida a Nairobi, personagem bem carismática, divertida e humana.

 

O Berlim, pelo lado charmoso, inquietante e misterioso. E o Professor por conseguir controlar quase tudo, menos o coração. (mas no fundo gostei de todos)

 

 

E parece que está confirmada a terceira temporada. Venha ela.

20
Abr18

Seis meses!

Maria

Consigo contar, em seis meses, os cigarros que fumei. Uns seis (sendo que o primeiro foi no jantar de natal da empresa e o último foi na derrota com o Sporting esta semana). É obra. Ou melhor, um orgulho. Sim eu sei, se nunca mais tivesse fumado é que era. Eu também acho que, se isso não tivesse contribuído para o meu aumento de peso (que acredito que sim) é que era. Adiante.

Sempre que ficava adoentada da garganta conseguia deixar de fumar. Aliás era automático e já aí ficava uns dias sem fumar. Conforme o que tinha acontecido, uns dias, umas semanas. E foi assim que também deixei de fumar desta vez. Tive uma crise em Outubro. Amigdalite. Má. Muita má. Uma semana de cama, repouso absoluto, falar o mínimo possível e não estar com gente. Seis penicilinas. E o normal - não queria nem ver o tabaco e o tempo foi passando e nem queria que me falassem em tabaco. E é por isso que estou há tanto tempo sem fumar. Com as tais excepções que fiz quando me apeteceu.

Não é fácil. Não é um mar de rosas. Fumar ou não. E nisto de dar a opinião, é a minha experiência. Mais nada. Mas o céu não ficou sempre azul depois de ter deixado de fumar. Pelo contrário. Cheguei a ouvir - "parece que desde que deixaste de fumar ficaste pior!". Totalmente verdade. Tá certo que também há os pontos positivos. Estou a tentar descobrir mais.

No Natal voltei a ficar adoentada e até à passagem de ano não consegui ter umas férias descansadas no meio do remédio e sem conseguir comer um doce que seja. Mas tudo voltou a piorar no início deste ano. Ou seja dois meses e pico depois de ter deixado de fumar tive a pior crise de sempre. Urgência para o hospital, cortisona para dilatar as veias, nebulizações, bomba e mais uns dias de cama a fazer contas a esta vida.

Desde que deixei de fumar foi tudo um mar de rosas? Não. Pelo contrário. Em seis meses tive a pior crise de sempre.  Continuei a ter crises de garganta. Estou quase a acabar um tratamento com penicilinas que sinceramente não me parece que esteja a ser um sucesso. Tenho mais seis quilos generosamente distribuídos apenas em sítios específicos, sempre aqueles que não se quer engordar. Não acho que esteja a respirar melhor. Não sinto mais o paladar das coisas. Não comecei a dormir melhor.

É isto.

Isto e seis meses sem fumar.

19
Abr18

Faceweek*

Maria

IMG_20180419_111421.jpg

 

Alguns looks usados nos últimos dias. A Primavera parece que chegou, mas ainda há uns dias tivemos temperaturas bem baixinhas. Estou a precisar cortar a juba, mas eu e o meu karma em que as minhas cabeleireiras vão todas para fora trabalhar e eu até me dou bem sem procurar uma, mas às vezes precisa-se. É a altura.

Estou ansiosa por estes dias mais leves e soltos. Pelo sol. Por não andar carregada. Pelos tons mais claros. Tenho saudades. 

Rio douro

 A_DOURO

Às vezes o melhor mesmo é parar. Olhar. Procurar luz. Podemos não estar lá, mas ela está bem ali do lado. É parar. Olhar.

Nails

Nails

O pormenor das duas últimas manicures usadas. 

 

Podem sempre acompanhar todas as novidades pelo Facebook. Ou pelo Instagram - @sorrisoincognito

18
Abr18

To listening... ♥

Maria

 

"Não é sobre ter Todas as pessoas do mundo pra si

É sobre saber que em algum lugar Alguém zela por ti

É sobre cantar e poder escutar Mais do que a própria voz

É sobre dançar na chuva de vida Que cai sobre nós

É saber se sentir infinito Num universo tão vasto e bonito, É saber sonhar

E, então, fazer valer a pena cada verso Daquele poema sobre acreditar

 

Não é sobre chegar no topo do mundo E saber que venceu

É sobre escalar e sentir Que o caminho te fortaleceu

É sobre ser abrigo E também ter morada em outros corações

E assim ter amigos contigo Em todas as situações

A gente não pode ter tudo Qual seria a graça do mundo se fosse assim?

Por isso, eu prefiro sorrisos E os presentes que a vida trouxe Pra perto de mim

 

Não é sobre tudo que o seu dinheiro É capaz de comprar

E sim sobre cada momento Sorriso a se compartilhar

Também não é sobre correr Contra o tempo pra ter sempre mais

Porque quando menos se espera A vida já ficou pra trás

Segura teu filho no colo Sorria e abrace teus pais Enquanto estão aqui

Que a vida é trem-bala, parceiro E a gente é só passageiro prestes a partir

Laiá, laiá, laiá, laiá, laiá Laiá, laiá, laiá, laiá, laiá

 

Segura teu filho no colo Sorria e abrace teus pais Enquanto estão aqui

Que a vida é trem-bala, parceiro E a gente é só passageiro prestes a partir"

daqui

16
Abr18

Nada está ganho. Mas fez mossa.

Maria

Ainda sinto a batida no peito do Herrera da tamanha emoção que nos deu. E sentiu. Ser Porto.

E ele bateu. E bateu. Com garra. E força. E alma. De dragão no peito. Firme a olhar para o 12. E gritou. PORTO. Mais que isso. Sentiu.

Foi certeiro. Eficaz. Foi capitão. 

Foi um jogo de nervos. Como sempre o é,  um clássico. O Benfica começou melhor. Sem dúvida.  Nós fomos agarrando o jogo. Crescendo.  Apalpamos terreno.  Caímos e pusemos-nos ainda mais rápido de pé para dar tudo.

Não posso deixar de dizer que soube melhor pelas circunstâncias que foram. Não é por o rival ser quem foi, mas sim por irmos buscar o nosso lugar. Recuperarmos no campo deles. Isso torna ainda mais difícil a nossa conquista. Não ganhamos o campeonato. Sabemos que demos um passo importante para o conseguir, isso sim.

E não nos ganham se jogarmos com alma, garra, mística e levarmos o dragão ao peito. Não é mostrar o nome. É mostrar o símbolo da camisola que vestem. É a diferença.

FCP

 

E Herrera, eu estava lá, bem no meio dos super quando no dia 6 de Novembro de 2016 tu podias ter mandado a bola ali prá VCI mas foi para canto e o Benfica já nos descontos empatou num jogo que nitidamente não merecia, mas estava lá e sinto que um terço da força que puseste ontem no remate estava no sangue a fervilhar nas veias do que tinha acontecido.

Todos erramos, e estou em dúvida se tens sido tu a errar mais em campo, se nós, enquanto adeptos que nunca te chegamos a dar o devido valor que tens tido no [nosso] Porto.

 

Herrera, que tiro foi esse?

 

Benfica 0 x 1 Porto

Pág. 1/2

Sobre mim

foto do autor

Espreitem Como eu Blog

Expressões à moda das “tripas” do Porto!

Sigam-me

<>

INSTAGRAM

<>

<>

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sorriso desde 11/02/09

<>

<>

Twita-me

<>

<>

Pesquisar

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D